segunda-feira, 31 de maio de 2010

A Partida de Chubby


Flashdream: A Partida de Chubby

Status: Ocorrido

Término do sonho: Foi uma semana antes dele partir.

Essa é para ver como Deus se importa com nossas coisas, por mais que achemos que essas coisas, em nossas vidas, possam ser “menores”.

O sonho

Eu via Chubby numa casa , e ele ia ia direto como se fosse embaixo de uma pia.

Ali havia um buraco um pouco mais largo, dava para cair uma bola de futebol, e com uma água limpa, cristalina, a disposição.

Quando ele foi beber essa água, ele foi sugado para dentro do buraco:

Eu via quando ele descia, e fiquei desesperado, pois não dava para fazer nada.

Então, fui atrás da responsável pela casa, ao qual eu pedia para recuperar o corpo de meu bichinho...eu queria saber quem ela era.

Aparece então uma jovem, com um sorriso no rosto, para me atender.

E assim encerrou o sonho...

Naquela semana agitada, eu só tive tempo de fechar a tampa dos vasos daqui de casa...

Eu não sabia que aquele sonho, na verdade, era o Chefe me preparando para aquilo que estava por vir.

Interpretation

Só cai na real depois que estive com as partes do quebra cabeça montado, e depois de tudo que aconteceu naquele dia...á noite, me lembrei do sonho.

Casa em que Chubby estava:

Era a clínica veterinária, que é numa casa mesmo, de estilo antigo, aqui perto de casa.
A sala de atendimento era muito semelhante a da sala do sonho.

Chubby bebendo água, e deslizando pelo buraco:

A passagem deles, que é diferenciada da nossa - Eles não tem julgamento, pois são criaturas do Chefe...nós, temos que ter o nome no livro da vida.

Jovem responsável pela casa:

Representava a jovem veterinária que cuidou dele, e que me ligou dizendo que ele havia partido...assim, fui ver o corpo.

Por não ter parado para interpretar o sonho, e sequer tendo anotado ele, fui pego meio de surpresa...eu sentiria, claro, mas seria um pouco menos doloroso:

Chorei mais na morte de meu bichinho, que na de meu pai- este, eu mesmo contei a ele o sonho, seis meses antes, em que o via caído morto, ensanguentado, no convés do navio.

Como, resposta, ele sorriu e disse que “era apenas um sonho”.

Talvez por isso, tenha sentido menos, na hora em que soube do acidente dele...

Era pra ter sentido um pouco menos com Chubby...

Hoje, a porteira que está indo embora do meu prédio( arrumou algo melhor), e gostava dele, me avisou pelo interfone que minha janta havia chegado...

Ela já sabia que Chubby tinha ido, mas pelo hábito, só chamou pelo interfone com um toque:

Eu havia pedido a ela para fazer isso, pois se continuasse tocando a campainha, ele ficava latindo...um toque só bastava.

Fui atender, e ela pediu desculpas...sabia que esse único toque, era por causa dele...

Me emocionei com o toque personalizado...o toque anti-latido...rsss...

Ah, e quando algum mané, seja ele pastor ou não, disser pra você que os bichos são apenas “elementos transitórios”, que não existe isso de irem pro céu, que não tem bicho no céu, etc, saiba o seguinte:

Eu mais novo, ia entrando na onda deles, no mesmo discurso, até que o Senhor me repreendeu:


Como é que eles sabem disso?

Ora, há uns 500 anos atrás, a igreja católica matava os índios sem peso na consciência, pois diziam que esses não tinham alma...era uma carnificina.

Na época da escravatura (dos negros), haviam duas correntes de pensamento teológico da mesma igreja:

A que eles não tinham alma;

E a que eles eram seres inferiores, por terem a “marca de Caim” (uma marca que Deus botou em Caim, após matar seu irmão Abel, que não é especificada na Bíblia).

Esse segundo caso foi muito difundido entre os protestantes, a ponto de muita gente em igreja dizer que os negros eram “a marca do pecado”, cansou de ter “mensagem” assim no inicio e metade do século 20, nos púlpitos.

E como até hoje é quase proibido pensar em igreja, imagine então naquela época, onde o que o pastor falava era lei...muitos engoliram isso.

Sem sequer parar para pensar que Deus jamais iria marcar negativamente uma raça inteira com cor, dando âmbito negativo a esta, favorecendo discriminações.

Mas Isaías nos dá alguns indícios, falando da morada celestial, em convívio com animais...se você não gosta de bicho, é melhor ir se acostumando, veja como será a Nova Jerusalém celestial:

“Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.

Mas vós folgareis e exultareis perpetuamente no que eu crio; porque eis que crio para Jerusalém uma alegria, e para o seu povo gozo.

E exultarei em Jerusalém, e me alegrarei no meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor.

Não haverá mais nela criança de poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias; porque o menino morrerá de cem anos; porém o pecador de cem anos será amaldiçoado.

E edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o seu fruto.

Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras das suas mãos.

Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a perturbação; porque são a posteridade bendita do SENHOR, e os seus descendentes estarão com eles.

E será que antes que clamem eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei.

O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente.

Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR.” ( Isaías 65. 17 a 25).

Lee

domingo, 30 de maio de 2010

Lidando com nossas Perdas

Pedra do Arpoador, RJ

" E buscou Davi a Deus pela criança; e jejuou Davi, e entrou, e passou a noite prostrado sobre a terra.

Então os anciãos da sua casa se levantaram e foram a ele, para o levantar da terra; porém ele não quis, e não comeu pão com eles.

E sucedeu que ao sétimo dia morreu a criança; e temiam os servos de Davi dizer-lhe que a criança estava morta, porque diziam:
Eis que, sendo a criança ainda viva, lhe falávamos, porém não dava ouvidos à nossa voz; como, pois, lhe diremos que a criança está morta? Porque mais lhe afligiria.

Viu, porém, Davi que seus servos falavam baixo, e entendeu Davi que a criança estava morta, pelo que disse Davi a seus servos: Está morta a criança? E eles disseram: Está morta.

Então Davi se levantou da terra, e se lavou, e se ungiu, e mudou de roupas, e entrou na casa do SENHOR, e adorou. Então foi à sua casa, e pediu pão; e lhe puseram pão, e comeu.

E disseram-lhe seus servos: Que é isto que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém depois que morreu a criança te levantaste e comeste pão.

E disse ele: Vivendo ainda a criança, jejuei e chorei, porque dizia: Quem sabe se DEUS se compadecerá de mim, e viverá a criança?

Porém, agora que está morta, porque jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei a ela, porém ela não voltará para mim.

Então consolou Davi a Bate-Seba, sua mulher, e entrou a ela, e se deitou com ela, e ela deu à luz um filho, e deu-lhe o nome de Salomão; e o SENHOR o amou. " (2 Samuel 12.16 a 24)

Nesse texto, vemos que o estado emocional de Davi foi muito mais intenso no processo em que seu filho se encontrava enfermo.

Ele tinha esperança de que Deus pudesse curá-lo, se consagrou espiritualmente, mas esse não era o desejo do Senhor.

O Senhor se compadeceu dele, no caso, com o segundo filho com Bate-Seba, que foi Salomão, seu sucessor como Rei...assim quis o Senhor.

Pode haver um processo de dor mais intenso do que perder um filho?

Tive uma irmã que não conheci, portadora de necessidades especiais ( um açougueiro, na hora de tirá-la, apertou demais a cabecinha, pois na época forçou um parto natural, puxando-a com uma espécie de pinça gigante).

Não podia andar, falar, nem conseguia se alimentar sozinha.

Adorava ver televisão, e ria muito na hora dos desenhos animados...

Adorava ver e ouvir Jorge Ben Jor, na época apenas Jorge Ben ( o Jor só foi adicionado em 89).

Ouvia e entendia tudo, só não podia se expressar...
Um dia, minha mãe foi levar a janta dela na cama...(pausa)

Aos sete aninhos, Roseli tinha partido para estar ao lado do Senhor.

Pergunta pra minha mãe se ela não queria estar tendo trabalho de cuidar dela até hoje?

Mas a história desse episódio com Davi nos ensina aqui uma grande lição no momento de perda:

A dor é inevitável, seja em caso de enfermidades, de acidentes, ou mesmo de morte por velhice...quem não sente saudades mesmo de uma vovó, que se vai bem tarde?

Mas essas coisas, fazem parte da vida- por isso, fico indignado com esses pilantras que tentam iludir o povo, dizendo que não existe sofrimento para Cristãos:

Essa ilusão, aumenta ainda mais a dor, além de ser totalmente infundada e distorcida, por quem busca “não sentir dor”, e se sente culpado.

Crente, em geral, tem muito problema com relação á sofrimento, por não compreender essas coisas:

Uma das maiores dificuldades da igreja hoje, é entender o sofrimento da vida, por causa de ensinos distorcivos.

Todo mundo na terra – incluindo quem é Dele, por confissão – cai, se machuca, pega doença, inclusive incuráveis, se acidenta, morre de acidente, tem que viver tomando remédio....

Assim é a vida....por que tanta dificuldade em entender e aceitar isso?

Mas Davi, assim que seu filho se foi, tomou um banho, trocou de roupa, e adorou ao Senhor.

Não ficou culpando ao Chefe...se lamuriando...simplesmente tocou a vida, e mais tarde, teve outro filho com a agora mulher, antes caso, Bate-Seba.

Sempre sentiremos a dor da perda, mas é necessário voltar ao cotidiano- ou mudá-lo, se esse for o caso.

Quando perdi meu pai aos 15 anos, de forma brutal em acidente de navio, na terça eu estava no enterro dele, e na quarta-feira, dia seguinte, me forçei para ir ao cinema.
Pois isso é uma coisa que eu gosto, e o elo da dor com o elo do prazer, se misturaram ali dentro...era uma espécie de “remédio emocional”, que intuitivamente procurei.

No domingo de manhã, estava na grei, cantando no coral (pois havia ensaiado na semana anterior), de frente para todos que me olhavam como "centro das atenções"...

E na segunda, estava na aula, com um gibi do Hulk dentro do caderno, para as aulas chatas...rsss...

O problema de eu ter me emocionado muito com Chubby, deve-se ao fator, comentado no post anterior, que o bichinho me tornou mais humano...

Cometário realçado por minha irmã feito ontem.

Eu curo meus cansaços emocionais, tentativas de depressões, e renovo minhas baterias espirituais após combates, na praia, em contato com a natureza do Chefe.

Ontem fomos eu e ela, até a pedra do Arpoador, ver, sentir, respirar cheiro de mar, ver o mar.

Com a cara ainda inchada do dia anterior, foi difícil acordar no sábado, e ver que não tinha mais meu bichinho me esperando para passear...

E ver que ele não estava em seu cantinho, e em nenhum outro...

Quando vi os donos passeando com seu cães, me senti sozinho, e passando ainda pelas árvores que Chubby gostava de ir, foi difícil...

Ainda mais passando na clínica, para encaminhar o corpinho dele, que passara á noite na geladeira especial, para cremação, ainda que eu não o tenha visto.

Mas me lembrei de quando ainda fiz carinho na sua cabecinha, ele já morto, os olhos sem vida, e a linguinha sempre de fora....

Já lá em cima da pedra do Arpoador, minha irmã falou:

- Você era incrivelmente frio, até assustava...como ele te mudou.

Na verdade, eu nem chorei no enterro do meu pai, de tão frio que era...realmente, algo havia mudado, em mim.

Do alto da pedra vejo um Labrador, na pedra lá embaixo, pulando no mar, para buscar uma bolinha de borracha que seus donos jogavam...

Ele mergulhava no mar, escalava a pedra, e devolvia...descansava um pouco, e insistia para que o dono jogasse novamente ao mar, para que ele mergulhasse novamente.

Como não gostar de bichos assim?

Um barquinho passa á nossa frente (foto acima), e minha irmã se diz curiosa em andar num deles...

Uma pequena lancha passa depois, e eu perfiro pilotar é uma dessas...que nada, sou retrô.

Descemos e caminhamos de Ipanema até o Othon, em Copa...

E ali no calçadão vejo um York incrivelmente semelhante ao Chubby:

Sem coleira, olhava pro dono, andando na frente,como a pedir para que andasse logo...

E acelerava, todo feliz da vida, com seu passeio.

- É assim que Chubby deve estar, todo feliz, passeando lá por cima, disse a minha irmã.

- Com certeza, então é mais um motivo para não ficar triste, respondeu ela.

Dessa vez, as lágrimas voltaram novamente, mas foi com um sorriso de alegria...

Não foi á toa que o Chefe me fez ver aquele York ali naquela hora.

Lee, pensando em breve adquirir outro amiguinho, para cuidar...

Amanhã, posto o flashdream que tive uma semana antes de Chubby partir, mas que nem acabei levando muito em consideração...

E não interpretando corretamente, só até o dia depois do acontecimento.


sexta-feira, 28 de maio de 2010

Adeus, Chubby (1999 – 2010)

Onze anos lado a lado
Nunca vou te esquecer, bichinho.

(Haverá algumas pausas no texto...é quando parei pra chorar)

Oi Chubby,

Eu só queria te dizer o quanto agradeço por você ter feito parte da minha vida (pausa.)

Nunca poderia imaginar que um bichinho como você pudesse me tornar mais humano...

Ganhar você, foi um presente de Deus.

Você foi meu primeiro cãozinho, que sempre quis ter desde criança, mas aconteceu de eu só poder ter em idade adulta.

Me lembro até hoje, no meio de 10 alegres Yorkshires seus irmãos, que vinham e falavam comigo, que você foi o único diferente...

Eu tinha que escolher um dos meninos...e você foi o único que parou na minha frente, e não seguiu caminho como os outros:

Simplesmente continuou parado...sentou e ficou me olhando.

Naquele momento, te puxei pro colo, e aquele seu olhar sereno me chamou a atenção...

Eu não sabia, mas na verdade era você que estava me escolhendo, com seu gesto (pausa).

Nesses onze anos juntos, você me viu passar de uma pessoa agitada, estressada, até se tornar uma pessoa mais tranquila...e como você me ajudou nisso...

Nunca poderia imaginar todo o ritual antes de sair de casa que envolvia cuidar de você, fosse ajudar nessa transformação:

Limpar seus olhinhos com algodão todos os dias...

Passear nos cantinhos que você se acostumara...

Verificar se você estava com pulga ou os malditos carrapatos, que acabaram fazendo você adoecer :

A rua está infestada desses malditos, por todo lugar.

Você era amado não só por mim...as crianças do prédio faziam fila para te levar pela coleira, até a saída da garagem...

E depois na entrada do prédio, até o nosso bloco...dava briga, lembra?

Alías, sua coleira...está pendurada no mesmo lugar...passei minutos fitando-a ainda há pouco, vendo com que agora não tinha com quem passear...

Ela tinha quase a sua idade (pausa)...e me trouxe tantas lembranças...

Acabei de pedir o China in Box, Chubby....

Jantar pela primeira vez sem você ao meu lado, quase me tira a fome...

Instintivamente, olhava pra baixo, onde você, sempre educadinho, esperava que eu oferecesse, jamais avançando...

Comia o Carne com legumes do China,onde eu te dava mais os legumes...o frango assado que você adorava...e suas frutas favoritas, maçã e tangerina.

Ração era muito ruim, né? Mas eu sempre dava uma melhorada.

Lembro dos momentos difíceis quando ainda era casado, e você ao meu lado...

De quando eu falava “I love you, Chubby”, fazendo você mexer seu cotoco de rabo, e gerando ciúme na ex, que não ouvia isso...era espontâneo.

Eu não sentia o mesmo por ela, naquilo que foi a maior precipitação de minha vida.

E de quando, de pinimba, ela tentou ficar á força com você, só para me atingir...

Lembra quando ela trancou a porta, quebrando o acordo de que eu pegaria você para passear pela manhã?

Você sentiu meu cheiro, e eu nem sabia que tinha mudado a chave...

Começou a arranhar a porta, gemendo querendo falar comigo...
Me sentei ao lado da porta, naquele dia, no chão....você chorava de um lado, eu chorava do outro.

Eu nem poderia imaginar que seis semanas depois estaríamos juntos em definitivo:

Você foi doido, Chubby...

Plantar atrás da porta me esperando todas as noites, foi uma coisa;

Se enroscar na única camisa que esqueci por lá – e não sei como você descobriu – todos os dias, sentindo o meu cheiro ,também foi outra;

Mas fazer greve de fome, bichinho...quase uma semana só bebendo água, você é louco?
Eu não mereço isso (pausa). Não bichinho...não por mim....(pausa).

Eu tentei arrumar uma namorada pra você, mas nunca havia nenhuma do seu tamanho.

Parece que até nisso éramos parecidos:

Não demos “sorte” no amor...

Eu tinha esperança de te apresentar uma, que fosse gostar de você....

Também não deu tempo, Chubby...sorry...mas vou ficar bem...espero.

Senti sua falta quando cheguei em casa:

Sempre procurei chegar no máximo, ás nove da noite, pra você não ficar ansioso me esperando..
.
Sentirei sua falta na sala, vendo tv...com você no seu cantinho ao lado do sofá, em cima do seu travesseiro...me senti tão só lá hoje...desliguei e vim pra cá.

Alías, aqui no computador, onde você ficava ao meu lado, e ás vezes embaixo da mesa....
Onde ás vezes tinha de fazer uma pausa, quando você vinha, colocava as patinhas em mim, pedindo carinho...claro que eu parava de teclar o texto...
Vou sentir sua falta, quando você pulava o cercadinho, pra vir me acordar de manhã...

Esticava as patinhas em cima da cama, ou deitava a cabeça em cima do colchão do outro quarto (onde costumo estudar, meditar, etc), dependendo de onde eu pegava no sono...

Sentirei saudade de cantar suas musiquinhas...e de brincarmos de esconde – esconde:

Mesmo com seu olfato, te venci algumas vezes, num vem não!
Tirei minha camisa ainda agora...hoje, minha camisa que ficou com seu cheiro, ao te carregar ao lado do corpo..e como foi difícil jogar minha camisa no cesto, fiquei o máximo de tempo possível com ela, pra sentir , dessa vez, o seu cheiro ao meu lado.

I love you, Chubby (pausa)...tô muito triste hoje...

Mas sei que a essas alturas, você já está correndo no céu, ao contrário de uma manézada de igreja que acham que vocês , criaturas Dele, não sobem...

E quando chegar o dia de nos reencontrarmos, dessa vez numa comunicação mais perfeita, vamos agradecer ao Chefe juntos por um dia termos ficado lado a lado aqui na terra.

(Pausa.)...obrigado por ter tido o prazer de cuidar de você por onze anos....

Você foi muito especial pra mim...nunca esquecerei meu primeiro cãozinho (pausa).

Vai algum tempo até ter outro.

Lee
Bônus: A Passagem de Chubby

Consegui sair mais cedo do trabalho, e dei entrada na clínica perto de casa ás 14.30h, com Chubby.

Meu bichinho se foi ás 15.40h, não resistindo a doença do carrapato.

Fiquei ao lado dele até ás 15 horas, ele consciente, mas já de cúbito, com o coraçãozinho já com batimentos fracos...A médica veterinária foi franca, já me alertando do pior.

Mas eu já sabia:

Quando der, conto o sonho que tive uns sete dias antes de Chubby piorar e partir:

Era o Chefe me preparando para a partida dele.

E também conto a experiência que o Coronel teve na hora do óbito dele.

Fui no banheiro da clínica e chorei, mas disse ao Chefe que se era para ele ter complicações (corria esse risco, mesmo se conseguisse reverter o quadro, teria que fazer transfusão, etc), que o levasse sem sofrer.

Como resposta, Ele me mandou ir pra casa...obedeci.

Só depois entendi que, enquanto ali estivesse ao lado de Chubby, ele me vendo, e ouvindo minha voz (fazendo carinho na cabeça dele), meu bichinho iria resistir ao máximo que pudesse.

Até nessa hora, ele queria me agradar...(pausa)

Saí, e 40 minutos depois, Chubby foi na paz.

A cena foi muito parecida com a do filme abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=rKjtnKNT5jo


quinta-feira, 27 de maio de 2010

Escapando dos Zumbis da Colina

Casa na Colina
Os Zumbis se aproximavam dela


Flashdream: Escapando dos Zumbis da Colina

Status :Em curso

Término do Sonho: Ás 6.25h da manhã de Quarta Feira, 27 de maio de 2010


Havia uma horda de mortos vivos vindo para nos pegar, e transformar-nos num deles.

O local era no alto de uma colina, em uma grande casa, que na verdade, estava meio apagadinha...

Ele vinham da mata, e estavam entrando pelo portão lateral da casa:

A única saída agora, seria descer a colina pela portão da frente...mas teria que ser rápido.

Estava em uma sala de aula espaçosa, e nesse momento, eu via Sorele, que de vez em quando, dá aula na EBD em ITA.

Ela estava vestindo um avental azul, semelhante ao colete que as meninas do culto infantil usam.
Nesse avental, havia um bolso na frente.

Ela não entende o movimento que havia (o barulho da horda se aproximando), e naquele momento, me mostra o que há no bolso da frente do avental:

Cinzas.

- Precisamos sair daqui, disse a ela.

Enquanto fugíamos por dentro da casa, já com zumbis vindo atrás ( esses não eram lerdos, também corriam), em direção á porta da frente, encontrava duas pessoas:

Uma adolescente sem rosto, mas com muita semelhança física a Giovanna Bergantini, de Copa;

E Helena Akerman, que canta num dos coros de ITA e toca na orquestra.

Na entrada da casa, para fugir da horda em nosso encalço, ganhando vantagem sobre eles, percebi que não adiantaria seguir o caminho comum:

Era um caminho de várias curvas, para subir ou descer da colina...seríamos alcançados.

Foi quando eu disse:

-Saltem...com 2 ou 3 saltos, saíremos daqui, é nossa única chance, senão eles nos alcançam.

Eu dei um grande “salto voador”, pulando sobre duas partes da estrada sinuosa, que era toda gramada:

Aterrisei firme, caindo sob os dois pés, sem que nada acontecesse ao corpo, era como se momentaneamente a lei da gravidade tivesse sido alterada.

Ganhava vantagem sob a horda, que não sabia saltar.

Sorele saltou a seguir, vindo no meu embalo, e enquanto as outras duas criavam coragem para saltar, ela me pergunta, com espanto:

- Como você consegue fazer isso??

- Já estou acostumado, respondi.

Interpretation:

Casa na Colina: ITA

Sala escura: Era a sala da EBD temática/ pré-vestibular na semana.

Estava escura, assim como toda a casa, por estar sem luz...o sonho se passava num final de tarde quase escurecendo, e não havia luz para acender na casa:

Não havia interruptor nenhum na sala.

Avental: Símbolo de alguém trabalhando, alguém com “ a mão na massa”, com disposição para servir.

Cor azul do avental: Autoridade - Um professor ensinando sobre as coisas do Chefe na casa Dele, sempre será autoridade (mas nem todo professor “é Dele", ainda que seja velho e tenha família com pedigree”- ela, é).

Cinzas no bolso do avental: Tem a ver com flashdream anterior, Ita em cinzas.

Adolescente sem rosto: teens da grei...Ita tem um "planeta teen "dentro dela.

Sorele, Helena, e Teen sem rosto:

Representam outro grupo de pessoas, sem serem líderes da igreja (como no sonho dos Gremlins) no caso educação , música, e teens, puros de coração, e que não eram atingidos.

Não descer pelo “caminho comum”: Não andar por vista; Não seguir o cotidiano; Não andar pelo caminho “seguro” onde todos andam ( que na verdade, era onde iriam nos pegar).

Salto : Viver na fé, na dependência do Chefe.

- Estou acostumado com isso (resposta a pergunta da Sorele):

Dois significados:

Primeiro, pela graça de Deus, realmente tenho vivido cada vez mais na fé;

Segundo, a ter que deixar uma igreja, já com uma zona de conforto (como foi em ITA), perto de casa, pra não sei pra onde, onde provavelmente não conheço ninguém.

Não é nem pela questão de ser mal aproveitado (mais uma vez) como fui, mas porquê, pelo que vi em curso, e pelo que recebo via espiritual, nada poder fazer para que o quadro possa ser alterado;

Ele está me retirando, para não ser atingido, bem como várias pessoas não serão atingidas (as de coração puro, e os líderes e que trabalham no culto que realmente são designados por Ele), e por isso não poderei ficar.

Inclusive, já me desliguei da banda...

É um salto de fé, e de fuga de perigo...

Já estou acostumado.

Lee

Obs: Quinto sonho com Ita, 3 meus, 2 do Coronel.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Uma Certa Idade


Naquele dia Moisés jurou, dizendo:

Certamente a terra em que pisou o teu pé te será por herança a ti e a teus filhos para sempre, porque perseveraste em seguir ao Senhor meu Deus.

E agora eis que o Senhor, como falou, me conservou em vida estes quarenta e cinco anos, desde o tempo em que o Senhor falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos;

Ainda hoje me acho tão forte como no dia em que Moisés me enviou;
Qual era a minha força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar.

Então Josué abençoou a Calebe, filho de Jefoné, e lhe deu Hebrom em herança. (Jos 14.9 a 12)
Domingo, escrevi sobre os teens, e a potencialidade deles, que fiz questão de ressaltar:

Alguns adultos tratam teens como idiotas.

Mas também existe o outro lado:

Tratamos algumas pessoas mais velhas como incapazes.

A pior frase que se tem a respeito é aquela que dirigimos a eles:

Fulano/a já tem uma certa idade...

"Certa idade", no caso, é uma sentença de limitação que fazemos as pessoas.

Isso não é bíblico, como vemos no exemplo acima:

Aos 40 anos, Caleb e Josué foram enviados por Moisés para espiarem Canaãn.

Pois somente 45 anos depois, já com 85, e com a energia e vitalidade de tempos atrás, Caleb herdou um pedaço da terra que fora espionar.

Em geral, por aqui espera-se que as pessoas “de certa idade”, se é homem, que ele passe as manhãs nas praças jogando carteado com outros velhos;

Se é mulher, que esta fique vendo o Vale a pena ver de novo nas tardes da Globo, e as receitas de bolo que passam nos programas culinários da vida.

Que bom que isso já vem mudando...

Aumentaram o número de re-casamento de mulheres na faixa dos 40 aos 44 em mais de 200%, segundo o IBGE:

Antes desiludidas, reencontraram um novo amor, ao contrário dos que pensavam que elas já tinham “certa idade” para encontrar alguém.

E estão em franca atividade física...veja o relato abaixo:

"A alegre avó Elaine Lane de Willand recebeu o 3 º dan de Karatê (graus quando chegam a faixa preta) aos 52 anos.

É uma das sete mulheres com mais de 50 anos na Grã-Bretanha ter conseguido tal façanha.... Elaine faz Karate Shotokan há 26.

Depois que Elaine recebeu sua faixa preta, em 1993, ela começou a trabalhar sobre os níveis de dan e claro o lapso de tempo necessário entre cada uma.

"Karate Shotokan tem um estilo distinto. É tanto disciplinados e agressivos. Cada movimento tem que ser controlado", explicou ela. "

Eu comecei karate porque eu queria começar algo excitante para substituir o repetitivo fitness. Lembro-me de alguém ter sugerido que eu tentasse uma arte marcial, devido ao aspecto da auto-defesa.

Eu gostei desde o início e é muito gratificante - é exigente fisicamente e mentalmente, então quando você for premiado com a faixa seguinte você sabe que você mereceu.

Elaine diz que a idade não foi um obstáculo para alcançar um padrão tão alto, embora ela disse que esta seria sua última série, não pretende mais prestar exames."

Seu companheiro de treino tem 21 anos, é da seleção britânica de Karatê...

E mesmo com mais de 30 anos de diferença, fica admirado do poder de esquiva e contra-ataque da jovem vovó.

Não entre na conversa de quem lhe diz que você já tem uma “certa idade”:

Na verdade, é a idade certa para você alcançar coisas que jamais as pessoas imaginariam que você pudesse alcançar.

Não existe “certa idade” para atividades físicas:

No barbeiro, um senhor de 74 anos conversava comigo sobre sua primeira maratona, aos 65, e a última , aos 70:

Agora, ele é corredor “só de 10 mil metros”, sendo competidor.

Não existe certa idade para atividade intelectual:

Várias pessoas estão entrando na faculdade após os 50 anos, tendo inclusive desconto;

O escritor mais velho a publicar um livro no Brasil tem 94 anos...

Foi quando José Carreiro escreveu “ Os Três Amigos”.

Não deixe que o conceito de “certa idade” o impeça de fazer alguma coisa :

A idade certa para fazê-las, é quando você simplesmente as começa.

Lee

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Do you like Macacada?


No meu dia de folga, fui jogar bola no Colégio Batista, aqui na Tijuca.

É uma imensa área verde, com várias árvores, e entre seus habitantes,estão os macacos saguís.
Após o jogo, vários deles começaram a vir para atrás da árvore onde estava o meu gol...

Tentaram, e conseguiram, pegar algumas mangas dali...mas a maioria ainda estava verde.

Após a pelada, um colega começou a dar as sobras de pão para eles, de pão com café que fica a nossa disposição, quando chegamos, que havia sobrado.

Uns oito macacos desceram...aí resolvi ajudar, pegando os 4 pães restantes...

Um veio buscar na minha mão, o que é raro...eles são meio desconfiados, com os humanos...também pegaram na mão do meu colega.

Mas assim que acabou o pão, enquanto todos iam embora, fiquei para ver o espetáculo da natureza...e como aquilo me relaxou, após um fim de semana cansativo.

E pude ver a travessia deles:

Saltavam confiantes de galho em galho, crendo que esses suportariam seu peso;

E atravessaram o campo se agarrando na rede de proteção lateral, até chegarem ao outro lado, onde escalaram as árvores.

Naquele mesmo lado, estão construindo um prédio, e o homem mais uma vez não respeitou a natureza:

Avançaram pela mata, ali bem ao lado das árvores que eles ficam, o que restringe cada vez mais o espaço deles.

Tenho certeza de que assim que os apartamentos estiverem prontos, bem rente as árvores deles, eles vão invadir as sacadas em busca de comida:

E ninguém vai poder reclamar...afinal, ali originariamente, é o terreno deles.

Se eu me lembrar, semana que vem levo banana pra eles,pra não ficarem só no pão.
Se toda a semana resolvessemos ter contato com a natureza, sentir "cheiro de verde", ver bichos, sentir o "cheiro de praia", teríamos uma vida bem menos estressante.
Eu levava uma vida tensa, até entender que ver e sentir essas coisas simples da vida , é um santo remédio que Deus deixou, anti- stress para o homem.

Lee, em plena selva de pedra, fascinado com um pedacinho da selva de verdade.

domingo, 23 de maio de 2010

Os Teens também Sobem o Everest

Jordan com o Pai e a Madrasta

O adolescente americano Jordan Romero, de 13 anos, se tornou a pessoa mais jovem a escalar o Monte Everest, na fronteira entre o Tibete e o Nepal.

O teen da Califórnia ligou para sua mãe do topo da montanha mais alta do mundo, disse Leigh Anne Drake, mãe dele:

"Mãe, estou te ligando do alto do mundo", foram as palavras do jovem, segundo ela.

Jordan escalou o pico acompanhado de seu pai - um experiente alpinista - e três guias sherpas.
O jovem já subiu as montanhas mais altas de seis dos sete continentes do mundo.

Ele subiu o Monte Kilimanjaro, na África, quando tinha apenas 10 anos de idade.

Agora, só falta escalar a montanha Vinson Massif, na Antártica, para completar as montanhas mais altas de todos os continentes – Vão para lá em dezembro desse ano.

Seu pai escreveu num e -mail recente para o acampamento da base:

Isso não foi idéia minha; é ele (Jordan) que tem me dado inspiração e motivação para levar isso adiante” ;

“Jordan está arrastando a gente para escalar os maiores picos do mundo e nós somos apenas facilitadores de seu desejo”.

Paul Romero, além do filho, estava acompanhado da namorada e companheira de escaladas Karen Lunfgren, e mais 3 nepaleses da etnia Sherpa, que vivem na base da montanha.

Era de um outro teen nepalês Sherpa, de 16 anos, o recorde anterior de mais jovem a subir o monte.

Antes de ir pra igreja de Copa ontem á noite, eu tinha visto o vídeo sobre este feito (está na Sessão Revival lá embaixo), e precisava pesquisar mais sobre o jovem e sua família:

Senti que deveria fazer isso, pois já sabia que teria que postar sobre esse assunto.

Quando saí da grei ontem á noite, sentia meu coração feliz por ver muitos jovens, num sábado á noite, em um dos locais mais infernais do mundo, á noite:

Copacabana “ferve” á noite...

Boates e praças onde se consomem drogas, ruas específicas de encontro para programas, prostituição generalizada no calçadão á noite, jovens bebendo de cair no chão...tudo ali perto,e com muitos teens envolvidos nisso.

Na entrada do metrô Siqueira Campos, onde desceria para voltar pra Tijuca, vi uma mãe chorando com seu filho...

Vi que não era caôzada, e antes que me pedisse dinheiro, eu mesmo fui até a ela, com seu filho de uns sete ou oito anos, ao lado.

Tinha perdido seu Riocard (cartão de passagem de ônibus), e não tinha como voltar para Niterói, terra da lindinha Dani Valim, onde ela morava.

- Quanto custa a passagem?, perguntei.

- 4,80 para cada um, respondeu.

Puxei 10 pratas do bolso, que iria dar de oferta pra Cy e o namoradinho não ficarem só comendo PCO em entradas de garagens, e dei pra mãe voltar pra casa com seu filho.

Já na Tijuca, fui ao Shopping levar lanche pra viagem, e sem saber, o Chefe me fez ver duas imagens contrastantes com a história do teen alpinista acima:

Vi um um jovem pai judeu com seu filhinho de uns 5 anos, no máximo, caminhando alegres pelo Shopping...

Era sábado, já deveriam ter ido a Sinagoga mais cedo (provavelmente a do Templo Sidon, mais perto dali), e ambos estavam com seus kipás cobrindo a cabeça:

O Kipá significa que “existe um Deus acima de mim”.

Alías, a Tijuca é o local com maior presença de templos judaicos no Rio (cerca de 7), seguido depois por Copa (com cerca de 5 Templos, um inclusive na rua ao lado de PIB Copa).

Fiquei vendo aquela cena, e pensando naquele pai, que ensinava seu filho “ no caminho que deve andar”...

E lembrando como vejo pais de igreja aos montes, empurrando a criação para as mães dos seus filhos...alguns tem até vergonha de andar com filho...

São apenas “cavalos reprodutores”...canso de ver até hoje isso, pais sem carinho nenhum com os filhos- dentro de igreja.

Na saída do shopping, que é point de encontro teen na frente dele, vi um menino que passara mal...

O segurança botou ele na cadeira de rodas, levando para atendimento médico...

Acontece que ali perto, oferecem drogas para os adolescentes, e alguns já chegam na porta do shopping tendo dado uma cafungada no pó....

Outros, já chegam misturados de Red Bull com bebida alcóolica, chapados...

O rapazinho deve ter exagerado num dos dois, e não aguentou.

Que contraste de imagens no shopping, em tão pouco tempo...

Mas a” melhor viagem” quem fez foi Jordan, subindo o Everest .

Quero chamar a atenção para você teen ou jovem:

Jordan não tem uma família perfeita...seus pais se separaram...

Mas este continuou a amar tanto a seu pai, quanto a sua mãe, e até mesmo sua madrasta, que está na equipe com eles.

Em vez de ficar se lamentando, virando um teen problema, enchendo a cara de bebida ou dando cafungada por aí, Jordan foi praticar um esporte, e superar limites.

Se ficasse se lamuriando, ele jamais seria a força motivadora que contagia toda uma equipe a superar limites.

Ele tinha todos os motivos e desculpas possíveis para isso, todo mundo iria “entender”.

E Jordan, ao contrário de muitos de sua idade, faz atividade física para poder aguentar o tranco, e procura se alimentar bem:

Ele, que tem um site, sabe que não pode passar a noite inteira em MSNs, se não fica sonado o dia seguinte inteiro;

Não conseguiria sequer estudar, muito menos escalar montanhas.

E Jordan sabe que não pode ficar comendo porcarias, pois precisa de energia adequada para se tornar combustível:

Os EUA tem a maior geração de obesos teens da história.

Teens precisam ter vida regrada: quando assim o fazem, desde cedo, os resultados também aparecem mais cedo.

Os teens de hoje tem enorme preguiça de fazer um esporte, de virarem competidores, atletas desde cedo:

Os Playstations da vida, a TV a cabo, a internet, roubaram a atividade física deles.

A história de Jordan, confirma sempre que quem é do bem, e procura atividades saudáveis, prevalece.

E que nós temos que reconhcer o potencial de um adolescente em influenciar positivamente os outros, inclusive adultos, quando este é um teen positivo.

Jordan quis subir as sete montanhas mais altas do mundo:

Agora, só falta uma, e ele só tem 13 anos.

Os teens podem subir o Everest, desde cedo:

Nunca deixe ninguém dizer que você é um imprestável, um infeliz, um condenado a uma situação de piedade permanente, um incapaz, só porquê é mais novo.

O teen Samuel já ouvia a voz do Chefe, surpreendendo até seu Mestre, Eli, quando era mais novo;

Davi teen já matava urso e leão para defender seu rebanho:

Aos 17, encarou Golias...muitos anos antes de ser Rei, aos 30.

E um Jesus teen impressionou os mestres do templo, aos 13 anos, com suas respostas.

Lee
Dúvida: Era Giovanna Santi que tava na minha fileira ontem, e saiu antes?
Não deve ter sido...afinal, ontem tava vendo gente até do Alaska...preciso descansar.

Na Sessão Revival, veja Jordan no Everest:

sábado, 22 de maio de 2010

Te Pego lá Fora – a Evolução do Bullying


Bullying é um termo inglês utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo.

É mais comumente relacionado as escolas de ensino, mas ocorre direto em academias militares, e até mesmo em igrejas, pelo que vi ao longo do vida.

Hoje, tornou-se extremamente perigoso, ao ponto de lá fora, nos EUA, terem colocados na maioria das escolas públicas, detector de metal na entrada da escola:

As pendências” bullymicas” já estavam sendo resolvidas a bala.

Ainda lá por cima, o inspetor de alunos ganhou status de segurança, com algemas e tudo.

Por aqui, tradicionais escolas de Belo Horizonte só não instalaram câmeras no banheiro:

Nas salas, de frente aos armários dos alunos, no pátio, é tudo Big Brother, e quem passa mais de 20 minutos no banheiro, entra um inspetor/a para conferir o que está havendo.

Ainda por aqui, uma escola não deixa mais os alunos saírem na hora do intervalo:

Trazem a merenda para dentro da sala de aula, e eles só saem para ir ao banheiro.

Quem é apanhado em bullying, para não ir a justiça, as escolas pedem autorização dos pais para uma correção alternativa:

Varrer a escola, pintar muros da escola, e outros serviços gerais...

A maioria dos pais topam, para não serem processados.

Mas o bullying, pelo que vejo hoje, é muito mais agressivo, covarde, e estimulado a participar.

Tem bullyings marcados pela internet, como as atuais brigas de torcidas;

E hoje, estimulados pelos vale tudos da vida, o agressor faz coisas que nem no vale tudo é permitido:

Vejo a molecada chutando e pisando na cara de quem cai (e ninguém separa), é uma covardia sem fim.

Em minha época, geralmente era tudo resolvido no famoso Te pego lá fora:

Pronto, estava marcada a briga, e ninguém ficava mais ameaçando um ao outro.

E depois da briga, perdendo ou ganhando, a diferença estava resolvida, não havia mais continuação de pendências, zoação, humilhação, nada disso:

Naquela época, havia uma espécie de senso de honra, iamos na mão, e depois dali, tudo acabava, ao contrário do que vejo hoje.

Fui desafiado duas vezes, e não corri:

Na primeira, ainda na sexta série, na hora H (ou seja, “lá fora") a própria turma convenceu meu desafiador a não ter briga, por um motivo nobre:

Ele é o goleiro da turma! Se machucar a mão, como vamos ficar?” Disse Chiquinho para Cadu, já fora da escola... Fui liberado.

Na segunda vez, já no Colégio Militar houve confronto.

Em todos os casos acima, eu era o mais “fraco”, fisicamente falando...
Pois esta é uma das características dos agressores adeptos de bullying:

Eles são covardes...no mano a mano, procuram só os mais fracos, ou então, andam em bando.

Só que o cara não sabia que eu já era aluno, na minha fase pré- Jiu-Jitsu, do Sensei Uriu, ainda na ativa aos 79 anos, aqui na Tijuca..

Aluno de um mestre Japonês de karatê 8º dan por 4 anos, indo na academia de segunda a sábado, com treinos que incluíam ataque de 3, 4 agressores ao mesmo tempo...

E com as mãos até hoje calejadas (com colaração avermelhada até hoje nos ossos) de tanto socar no makiwara (madeira coberta por uma leve camada de pano, que tinha atrás da academia).

O fortão era terceiro anista, e vivia humilhando os primeiro anistas, e pra piorar, era da artilharia, e não da minha companhia, a Infantaria, onde todos se davam bem, de todas as séries lá no Colégio.

Até que eu dei uma resposta a ele, que só não fez nada por ainda estarmos dentro do Colégio, e anunciou a famosa frase “Vou te pegar lá fora”.

- Por que não pega aqui, tem medo?, debochei...mas o cara sabia que se pego, seria expulso, e ele deveria querer uma vaga numa escola militar, depois...

Eu, num tava nem aí, e ele não sabia que eu sabia me defender, apesar dele ser mais forte e mais alto.

Disso, o fortão não sabia, e esperava que a luta fosse rápida....e foi:

Um chute no lado interno do joelho dele, seguido de três socos na cara, em cerca de 30 segundos tudo havia acabado.

Soube depois que ele levou 3 pontos no supercílio, numa clínica...como disse, a época, a mão era pesada...hoje, ela só pega a gola do kimono dos colegas, tentando estrangular.

Mas toda sexta-feira, tem defesa pessoal, que adoro.

Sabe o que aconteceu? Pararam de nos zoar...e o grandão honrou a farda do Colégio:

Na semana seguinte que passou ao meu lado, bateu continência pra mim, sendo retribuído da mesma forma.

O assunto morreu ali...hoje em dia, tem revanche da revanche da revanche...

E a molecada filma no celular e joga na internet...anos atrás, ficava só entre a gente.

Trote é uma coisa, que varia entre o saudável, e o jocoso...lá mesmo no colégio, eu:

Já paguei flexão, “surfei” no corredor de ônibus em viagem, carregava as bolas de futebol pro treino...

E fiquei trancado dentro do banheiro do ônibus que nos transportava para Campinas por 15 minutos, batendo o recorde de ocupantes num banheiro de ônibus:

12 alunos entre 15 a 18 anos, dentro daquele espaço minúsculo...se quebrasse o vidro, caía aluno na estrada!

Mas no bullyng, é diferente...

Nele, a pessoa é constantemente, dia após dia, humilhada, ameaçada, contrangida, até chegar a ser agredida.

Vemos muito Bulliyng em escolas...abafa-se muito em academias militares...

Tem bullying em academias militares...o comandante que diz que não, ou é um alienado, ou um mentiroso.

Um dos meus colegas dos tempos de Colégio Militar, passou pra Aman, que é a que forma os oficiais aqui em Resende, no Rio.

Mas ficou só um mês...oficialmente, não resistiu a uma surra de toalha molhada (que dói pra cacete, e a marca sai logo, não evidenciando prova).

Apanhou pelado, no chuveiro, de vários veteranos, e não aguentou...só descobri essa história uns sete anos depois, á la Cold Case, com outro colega em comum...

Mas até hoje, desconfio que foi mais do que isso, se é que você me entende.

Mas até mesmo em igrejas, eu já vi bullyings mais pesados...

Saintclair era um adolescente franzino, de seus 13 anos, e havia começado a frequentar a igreja, através do futebol que havia aos sábados na mesma.

Eu devia ter a idade dele, pois era um dos mais novos...
Mas um dos filhos do pastor da época, mais velho, logo colocou o apelido nele de coelhão:

O menino tinha os dentinhos pra fora, era dentuço, branco, e magrelo.

Sem graça, de início ria, para ver se o deixavam em paz...

Mas o mala do filho do pastor, que até hoje de convertido não tem nada (típica pessoa acostumada ao ambiente, mas não convertida) infernizava a vida dele.

Ficava ao lado do rapaz, tentando deixar ele enturmado, apesar de eu mesmo não ser enturmado com aquela patota nojenta e discriminatória:

Eu só era tolerado pois sempre fui goleiro por opção, desde os sete anos, enquanto ninguém queria ir pro gol...

Era um dos primeiros a ser escolhido, com o passar dos anos, também pela habilidade.

Mas como enturmar alguém numa turma em que o os próprios filhos do pastor faziam a panelinha, e comandavam o festival de constrangimento?

Assim, após dois meses sendo o coelhão, coelhão magrelo, coelho da páscoa, e indo embora pra casa triste e abatido, ele foi embora da igreja:

Nunca mais vi Saintclair sequer passar em frente a mesma, nos dez anos restantes que perdi meu tempo ali...

O tio dele, um português que tinha um bar em frente á grei, nunca perdoou a igreja por isso, e passou a ter raiva de crente.

Foi mais um belo serviço dos bullymistas da turma daquela igreja, a maioria filha de líderes da mesma...

Mas, enfim, o que fazer em casos de Bullyng?

Primeiro, os pais de crianças ou adolescentes devem ficar atentos, pois quem é vítima disso, difícilmente conta alguma coisa até o ponto em que isso se torne insuportável.

Sinais: baixo rendimento escolar, desejo de não ir as aulas (ou igreja), escoriações, etc.

Mas você que é vítima disso, siga o conselho de Jesus, e não resista ao inimigo:

Não entre na pilha deles quando chamar de feio/a, gordo/a, dentuço/a, salsicha, orelhudo/a, narigudo/a, viadinho/piranha e outras palhaçadas que giram em torno disso.

A primeira glória do Bullymista, é conseguir atingir a pessoa sem tocar fisicamente.

A segunda, é o contato físico que vai gerar a agressão.

A briga mais feia que vi de bullying na vida, foi de duas meninas que quase saíram carecas da luta:

Ficaram tantos nachos de cabelo na rua, que dava pra fazer uma peruca.

Ande em grupo na escola; peça a coordenação para mudar de sala;

Não tenha vergonha de pedir para algum responsável buscar depois da aula;

Dedure os bullymistas para o diretor/a, e leve consigo duas ou três testemunhas que viram você falar com a direção, caso nenhuma medida seja tomada
;

Grave as agressões verbais escondido no celular (modo de gravação) como prova;

Fale com seus responsáveis do ocorrido, para que exijam da escola uma providência.

Ore e peça proteção a Deus...

Quando fiz uma oração nesse sentido, nunca mais me perturbaram na igreja, pois caí na simpatia de “ser goleiro”, e isso me ajudou também na escola.

Evite ao máximo que puder o confronto, seguindo a orientação de Jesus de não resistir ao inimigo:

Cansei de me fazer de besta, e fazer ouvido de mercador, pra não brigar...

Até porquê a covardia hoje, não existia antigamente...eles podem voltar depois pra dar um tiro, ou dar facada na covardia...ou mesmo, furar com lápis, como alguns fazem.

Mas aprenda a se defender o suficiente pra fugir...e se não tiver ninguém por perto?

Se acontecer o inevitável, você tem que saber se defender, o que inclui fugir:

Já fugi de um cara de de bicicleta, que me perseguiu por vários minutos...se não corresse, apanhava, quando tinha lá pros meus 12 anos.

Vai ficar levando tapa na cara, soco, chute, pedalada, tapão pra estourar o tímpano?

Nessas horas, a aula de balé não vai ajudar...

E nem a de piano....

Pense nisso.

Lee
Na Sessão Revival, o clássico da Sessão da tarde Te Pego Lá Fora:


quarta-feira, 19 de maio de 2010

A Igreja Malafaiana tem Medo de Robin Hood



Parece incrível, mas é verdade:

Mal o sogro partiu, o Mala já deu o bote.

O Pr. José Santos, presidente da Assembléia de Deus da Penha (bairro suburbano aqui no Rio) e sogro de Silas Malafaia, passou para a eternidade no dia 3 de fevereiro passado.

Ele teve uma vida inteira dedicada a essa igreja, que assumiu quando ainda era uma simples congregação em São Cristóvão, na zona norte da cidade, antes de se mudar para a Penha.

O Pastor passou nada mais que 50 anos á frente da igreja, nos seus 83 anos de vida:

Viu a simples e humilde congregação virar uma igreja de mais de 15 mil membros, á base de muito evangelismo á moda antiga, sem tv.

Era a época em que se pregava nas praças, nos trens (agora proibido de pregar o evangelho, aqui no Rio, algo que era feito desde a década de 50), nas ruas...

Era a época em que se pregava o evangelho, pura e simplesmente, em todas as denominações:
Além do Pr. José Santos, da Assembléias de Deus, haviam outros:

Os Pastores Lessa (Batista), aqui na minha Tijuca, falecido ano passado, e o Reverendo Antônio Elias (Presbiteriana), em Niterói, fundador de várias igrejas Presbiterianas no Brasil, falecido em 2007.

Tempo em que não se trocava a mensagem do evangelho pela ganância de dinheiro, como vemos hoje;

Tempo em que o ar era mais puro, nas igrejas;

Tempo em que a única “vaidade” dos Pastores, quando existia, era de ver quem convertia mais gente num dos famosos cultos evagelísticos de domingo á noite nas igrejas.

Mas aí um dia, o Mala se casou com a filha do Pastor, a Elizete...

Anos mais tarde, já era vice-presidente da igreja.

Pois bem, três meses depois do sogro presidente morrer, o Mala reuniu a igreja e conseguiu, com a lábia que tem, fazer com que mudassem o nome da grei:

Agora, é o mesmo nome de seu programa na TV:

Assembléia de Deus “Vitória em Cristo”....todos aprovaram em sessão administrativa a mudança do nome.

Um pouco antes disso, Mala foi repreendido pelo secretário da Convenção Geral das Assembléias de Deus, pela bizarrice feita em seu programa com o picareta do Morris Cerullo, que já até tirou cana nos EUA:

A tal da semente de 900 reais...

Uma oferta “voluntária” (esse “voluntária”, que aparece embaixo no vídeo, é ótimo) de 900 reais, que seria uma “semente de fé”, que iria “erradicar qualquer pobreza financeira vida”.

Mas a oferta não poderia ser enviada a um orfanato, a um abrigo de idosos, a um centro de tratamento para dependentes químicos, ou mesmo para sustentar um missionário distante:

Era pra ser enviado pra conta corrente do programa dele, claro.

Isso foi em agosto de 2009...

Em dezembro do mesmo ano, Mala se deu um presente de Natal:

Pagou num Cesna de pouco uso 19 milhões de reais á vista , realizando seu antigo desejo de ter um aviãozinho particular a custa dos outros.

Ou seja, o povo plantou, e o Mala colheu...


Como as pessoas caem numa lábia de algo tão absurdamente bizarro?

Alías, a revista Cristianismo Hoje mostrou o complexo de Ícaro desses profetas da prosperidade.

Que carrão que nada...carro é pra gente “comum”...o negócio agora é ter jatinho:

O campeão, claro, é Macedão, com um Global Express de 85 milhões de reais (mesmo preço do caça Rafale, que a França ofereceu pra FAB);

R.R. Soares foi mais discreto com seu King Air 350, de 9 milhões de reais;

Terra Nova, do G12, tem um de 6 milhões.

Como não gostou da enquadrada que levou de sua denominação nessa picaretagem, Mala tomou uma decisão:

Se desligou da Convenção das Assembléias de Deus, onde também era vice-presidente, renunciando ao cargo;

E desligar a sua agora igreja - em que é presidente há só 3 meses, após 50 anos de ralação do José Santos na denominação Assembléia de Deus - a se desfiliar da Convenção Assembleiana.
Com isso, a igreja não fica mais subordinada aos princípios da Convenção Assembleiana.

Fica ligada somente aos princípio$ do Mala, que não precisa mais dar satisfação a nínguém...os Assembleianos devem estar agradecidos.

Acredite:

Um dia, o Mala já foi Pastor...mas isso foi há muito, muito tempo atrás.

Eu assistia os programas de anos atrás, e apesar de um legalismo aqui ou ali, ainda saía uma mensagem que edificava...

Ele mesmo, de início, combatia tudo isso que ele faz atualmente, a teologia da prosperidade.

Só existem dois meios de você se manter há muito tempo na TV, em programas evangélicos:

Ou com muita unção e dependência do Chefe, que irá suprir as despesas, daqueles que são justos;

Ou com muita grana, pedição de dinheiro e falsas promessas de cura por contribuição e enriquecimento á base de ofertas enviadas pelo povo ludibriado.

Agora mesmo o R.R Soares (que é cunhado do Edir Macedo), não aguentou pagar mais de 4 milhões por mês pra Band, e fundou um canal a cabo, que sai mais em conta - por enquanto.

A Universal tem a Record, herança deixada pelo Fanini...tem todo um amparato de TV( e o recurso vindo de comerciais caríssimos), e quando falta grana, retira do dinheiro vindo dos templos.

Conseguiram exclusividade para os Jogos olímpicos de 2012, em Londres, pagando uma fortuna, e querem humilhar a Globo na hora de revender o direito as transmissões para esta.

Valdemiro, da “Poder Mundial de Deus”, consegue pagar pra CNT 3 milhões de reais...

Mas o Mala, não tinha todo esse amparato...

Ele cansou de dizer, no passado, se lamentando em seus programas, que não havia uma igreja ou denominação por trás de seu ministério, pra bancar as despesas.

Mas agora, ele finalmente conseguiu.

Por isso, a primeira coisa que ele fez foi mudar de nome para associar ao seu programa:

A Assembléia de Deus na Penha, tem mais de 100 congregações espalhadas pelo Brasil, e todas elas agora serão “Vitória em Cristo”:

Praticamente, surgiu uma nova denominação, encabeçada por ele.

Entenderam a ganância do epísódio, agora?

O Mala, que há muito tempo deixou de ter a unção divina em sua vida, sabia que não dava pra bancar seu ministério só vendendo Bíblias:

Nenhum desses tele - “evangelistas” ficou rico vendendo Bíblia....não" se fica rico" vendendo Bíblia na tv, tem que apelar para outras coisas.

Se fica rico, nesse meio, prometendo e propagando uma porção de coisas que o evangelho nunca prometeu, mas que eles dizem que sim, em troca de grana.

E de preferência, com uma denominação – ou Igreja forte – ajudando a bancar esse tipo de programa “pedição de dinheiro”, cujo o único beneficiado é o dono, e não pessoas.

O Mala finalmente acaba de conseguir um suporte financeiro para bancar seu horário na tv, assumindo o “trono” que era de seu sogro...

Sim, pois não há como evitar a comparação com o filme do Robin Hood, em cartaz com Russel Crowe:

Se você for ver o filme, vai ver que a atitude do Mala é igualzinho á do Príncipe João, que se unia aos súditos quando lhe convia, fingindo estar ao lado deles:

Assumiu o trono do Pai (no caso dele), morto em combate, amado e respeitado pelo povo, mas sem o menor carisma do pai, sem liderança, sem compaixão;

Invejoso, ao ver que o povo reconhecia era Robin Hood como líder, por edital fez dele um fora da lei, perseguido.

E a primeira providência como novo Rei, foi aumentar os impostos , saquear as sementes de planteio das cidades, queimar as cidades de quem não pagava os pesados e injustos impostos abusivos.

E rasgou um acordo que havia feito com os representantes das aldeias, após vencerem os franceses numa batalha conjunta, queimando o documento de comprometimento na frente do povo.

Os Robin Hoods das igrejas, estão escondidos nas florestas, cuidando de suas vilas (suas congregações)...os justos são tidos como foras da lei.

Mala e outros “Reis” da igreja brasileira quebram palavras, queimam acordos, saqueiam dinheiro do povo, perseguem quem não se alia a eles.

E dizem que tudo isso é ter “Vitória em Cristo”, como nas cruzadas antigas, em que se matava quem não queria se converter ao que chamavam de Cristianismo.

Mas eles morrem de medo dos Robin Hoods do Chefe, que denunciam suas maquinações:

A melhor maneira de levar essa turma a falência, é disparar flechas, como Robin Hood:

Quando você não contribui para o programas deles, você dispara uma flecha;

Quando você não assiste ao veneno que eles pregam na tv, não dando Ibope, você dispara um flecha neles;

Quando você alerta ao povo sobre esses lobos, e não age covardemente, olhando só para sua vila (sua igreja), você atira flechas sobre eles;

E quando não frequenta o reino (igrejas) desses saqueadores, você também atira uma flecha neles.

Cada vez que você faz isso, é como se atirasse uma flecha neles, tal como Robin Hood fazia - só que melhor, pois essas são flechas da verdade:

Como flechas na mão do valente, assim são os filhos da mocidade (jovens ousados).

Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava (local onde o arqueiro guarda as suas flechas, nas costas – Bem aventurado quem tem desses jovens ousados e destemidos para guerra);

Não serão confundidos, quando falarem com os seus inimigos à porta” (Pois saberão a real intenção deles). Salmos 127.4,5

Lee

Na Sessão Revival, Mala e sua turma saqueando o povo :

http://www.youtube.com/watch?v=U3rUROtMO2I

domingo, 16 de maio de 2010

Sobre Bichos e Homens

Chubby me deu um Susto

Fiquei muito sentido com o incêndio que houve no instituto Butantã, em São Paulo.

Dizem que foi um curto circuito...tomara mesmo que não tenha sido criminoso.

Cerca de 85 mil cobras morreram carbonizadas - várias delas produziam o soro antiofídico, que abastece a população em casos de picadas de cobra venenosa.

Crente, em geral, não gosta de cobra:

Associa logo a serpente do Éden, lá em Gênesis...

Para vários crentes, toda cobra é do diabo:

Esquecem que elas estão no pacote da criação de Divina.

Ontem, também vivi um momento dífícil, com Chubby, meu Yorkshire.

Ele conseguiu pular a cerca de proteção que coloco na área, que é maior que ele:

Tudo para ficar perto de mim, pois havia descido para lanchar, e na volta, não “falei com ele” (me esqueci).

Quando estava aqui no computador, por volta de dez da noite, ouço aquele choro canino, raramente escutado por aqui:

Chubby não é de chorar, e mesmo de latir.

Era um choro de lamento e dor, horrível...disparei para ver o que estava acontecendo.

Na sala, chego a tempo de ver ele se arrastando, para a seguir cair sobre 4 patas, e desmaiar, após o esforço de se arrastar.

Começo a fazer massagem na nuca e cabeça dele, para ele despertar...funcionou.

Mas ele ficou ainda mancando até a manhã de hoje, tendo melhorado ao longo do dia.

Deve ter se estabacado feio, caindo de mal jeito de lado, e se machucando.

Passou o dia todo querendo ficar perto de mim, e quando saio, tenho que falar com ele, bem quando chego.

Bichos mexem muito comigo...

Na semana, tinha visto uma tartaruga de uma casa vizinha, que sempre chega perto do portão...

Falei com ela para ir ao outro lado, pegar sol, e comecei a “conversar com ela”...

Uma mulher passa, me vê, e começa a dar risadas...

A bichinha abriu os olhos, procurou ver de onde estava vindo a voz, e reagiu:

Começou a mexer com a papada dela, reagindo.

Tartaruga é o único animal que já vem com casa própria:

Nunca vai pagar aluguel.


Sobre os homens

Estava vendo agora á noite o culto em PIB Copa, da net.

Eu tive aquele sonho, na semana, com Copa, e tive que postá-lo...

Nele, dizia dos preconceitos que sentia- e das coisas que o Chefe sentia – vindo da mensagem pastoral.

E não é que houve uma mensagem com graça? Me surpreendi:


Pela primeira vez em muito tempo, o vi falar sobre divórcio de forma não legalista, mas sim, apresentando a graça divina, que faz com que os divorciados possam seguir a vida.

O Pastor, como ele mesmo disse, não sabe o que é a dor de um divórcio, pois é casado.

Mas falou muito bem – com graça – sobre a vida que continua, sobre os sonhos que não podem deixar de existir.

Divórcio, seja ele como for – consensual, como foi o meu, ou litigioso- é uma paulada que a gente leva da vida...alguns sentem a alma rasgando.

Mesmo para aqueles em que isto possa ser um alívio de uma vida opressora (também o meu caso), a pessoa fica sem chão...

Digo isso pra quem tem sensibilidade, claro...

Tem gente que se aproveita da situação de “liberdade" pra fazer o que quiser.

Muita gente não acredita que eu, sendo homem, estou sozinho há 3 anos:

Se surpreendem quando digo que nunca namorei ninguém, “fiquei” com nínguém, ou mesmo, “peguei” alguém, nesse período.

As pessoas ficam surpresas quanto a isso, ao descobrirem que não tenho ninguém:

Já disseram que sou "seletivo", que tô assim por que quero...

Mas não seleciono nada...ao contrário, se soubessem como é mole me "selecionar"...

Mas não vou estar com alguém, para “não ficar só”, como canso de ver por aí:

Precisa haver um mínimo de sentimento.

Não saio cantando meio mundo, pedindo, ou dando telefone:

Quem mais me liga, são as meninas operadoras da TIM, oferecendo oferta de mudança de plano...

E quem mais me manda “torpedo” é a TIM, tudo com oferta de promoção...

Quem vê meus recados, pensa que eu namoro a TIM!

Um dia, apesar de não beber, farei um brinde com minha namorada, pelo término de torpedos exclusivos e chamadas da TIM:

Tim- Tim!

Sigo em espera, sem ansiedade, angústia, e mais experiente com erros passados, para não cair em furadas....e com mais tempo para estar com o Chefe.


Em igrejas, deveria ser o local em que mais deveriam se acolher as pessoas, sejam elas quais forem...

Inclusive, os divorciados.


Parabéns pela mensagem de hoje em Copa, com graça:


Foi uma mensagem de esperança.


Parece haver ainda esperança no Pastor, continuando assim, deixando o povo pra cima- onde sempre deve olhar - e não pra baixo.


Lee

Continuando assim, em breve devo dar um pulo por lá:

O Chefe há tempo me cobra isso (estava postergando por causa das mensagens), bem como ir em outra grei da Zona Sul.

Meu Ita-time está acabando...domingo que vem (a confirmar), pode ser uma das últimas vezes que toque por lá.


sábado, 15 de maio de 2010

Entendendo o porquê de pastores bandidos e padres pedófilos, parte 2


Na primeira parte, na semana passada, vimos sobre os pastores bandidos -literalmente- e vimos as dicas que Jesus nos deu, pra saber quem são eles:

Verificar os frutos.
Nessa segunda e última parte, vamos tentar entender sobre a pedofilia dos padres.
Os padres pedófilos

Em primeiro lugar, é preciso entender que isso não vem de hoje:

O grande erro que percebo nas pessoas atualmente, é se chocar com isso, como se essas práticas jamais tivessem ocorrido na igreja católica, ao longo dos séculos.

Isso é reforçado por declarações idiotas, como a do Cardeal do Rio Grande do Sul, que disse que isso ocorre por “a sociedade atual ser pedófila”.

Ora, a pedofilia católica começou a ser registrada no século II.

O Livro de Gomorra, escrito por São Pedro Damião em 1051 depois de Cristo, denunciava os padres que “corrompiam homens e meninos que se aproximavam deles para confissão”.

O que ocorre hoje, é a facilidade de se praticar tais atos na sociedade, via internet, especialmente o MSN, em que meninhos e menininhas de 8 a 12 anos são as vítimas preferidas dos pedófilos via net.

E hoje, pelos meios de comunicação, são mais facilmente denunciados os casos de pedofilia na igreja católica, o que não ocorria antigamente.

O que acontecia antigamente na igreja católica,era que existia um sistema secreto de que, em vez de afastar os padres nessa situação do exercício sacerdotal na igreja, eles eram transferidos:

Assim, transferiam-se os problemas para outras dioceses.

Outro problema que ajudou a mascarar essa questão, era de que a igreja só via isso como “pecado”, e não crime:

Somente em 25 de abril de 2002, o papa João Paulo II o definiu como crime – antes, como pecado, era só julgado (e encoberto) pela igreja, agora pode ser julgado nos tribunais seculares.

(Dificilmente, em especial nos países de origem católica, eram levados a um tribunal).

Por isso que estamos vendo a Irlanda sacudida por escândalos, com pedidos de indenizaçõs milionárias ( num colégio tradicional católico por lá, os padres abusavam das crianças há mais de 70 anos).

Até o irmão do atual papa, é acusado de encobertar escândalos, no coral que ele regia, nesse sentido.

Nos EUA, indenizações já passam de um bilhão de dólares, e pipocam por todos os lados, desde igrejas pequenas, até paróquias tradicionais.

De orfanatos, escolas católicas, seminários, e dioceses, ao redor do mundo, dos EUA, Europa, e até as Filipinas e Nova Zelândia, estão se revelando histórias escondidas:

Na Austrália, a ordem católica de São João de Deus, que acolhe deficientes mentais (uma espécia de APAE católica) 20 padres abusavam de 24 deficientes mentais.

Na Inglaterra, a polícia invadiu a paróquia de St. Joseph, e prendeu o padre local:

Descobriu no computador dele uma das maiores coleções de pedofilia do mundo, e este abusava de 3 coroinhas da igreja...Adrian McLeish pegou seis anos de prisão.

Outro padre ingês, só visitava crianças no hospital:
Abusou de um confinado a cadeira de rodas, e de outro com paralisia cerebral.

Nos EUA, já estão catalogados 3 mil padres pedófilos, que representa 5% do clero.

Padres pedófilos sempre existiram no Brasil, não se surpreenda quando os casos, a maioria abafados, começarem a pipocar, como esse de Arapiraca.

Pedófilos em geral, tem a idéia de quanto mais novo, melhor:

O que gosta de meninas, não procuram adolescentes, que já sabem se defender, e ainda por cima, já as tem como “velhas” :

Para este tipo de pedófilo, uma menina de 15, 16 anos, já é “velha”.

Eles procuram as que tem menos de 10 anos de idade.

Mas padre pedófilo gosta é de menino:

Os padres homossexuais, procuram ficar em contato com seus coroinhas (que auxiliam no serviço de preparação da missa), todos com menos de 12 anos de idade.

Se você é de confissão católica, jamais desgrude de seu filho pequeno, perto de um padre:
É melhor prevenir, do que ver tudo o que temos visto por aí.

O homossexualismo é muito alto nos seminários, base de formação dos Padres...

Alíás, no seu livro “Poder e Glória “, que fala sobre o lado negro do Vaticano, David Yallop, jornalista investigativo, calcula que só no Vaticano, que é considerado um estado, existam de 20 a 50% de padres homossexuais.

Se estes estão perto do papa, imagine os que estão distantes...

E para “subir de posto”, muitos se sujeitam a favores sexuais dos cardeais velhos.

Tudo isso, por uma imposição econômica da igreja:

Padres não se casam, meramente para não deixar pensão pra viúvas.

O celibato é doutrina de igreja de homens, e não doutrina bíblica:

Jesus disse que o celibato era opcional, mesmo para os do “clero”.

Ele disse que homens se tornavam “eunucos” por amor ao evangelho, mas que ninguém era obrigado a fazer isso...

Eunucos, eram os escravos, geralmente negros, que serviam a mulher do rei, ou mesmo trabalhavam no harém real:

Tinham o pinto cortado, pra não pegar nenhuma mulher do rei.

Jesus fala sobre três tipos de eunucos:

"Porque há eunucos que nasceram assim ( ou seja- com alguma deficiência genital);

E há eunucos que pelos homens foram feitos tais (como no caso acima- cortaram o pinto deles);

E outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus (por livre e espontânea vontade, não se casaram, para terem mais tempo livre para o reino);

Mas nem todos estão aptos para isto." (Mt 19:12)

Portanto, para quem não tem uma vocação natural em ser “eunuco”- e isso é uma vocação – e foi obrigado a fazer voto de celibato, para mim, fica fácil de entender tudo o que vem acontecendo.
Você que está num seminário, ou que já é padre, e sabe que é homossexual, melhor seria que você fosse estudar outra coisa, ou fazer outra coisa, que não fosse o sacerdócio.

Se não, é uma questão de tempo, para que isso possa convergir não só para homens- que você gosta- mas para os pequeninos, que são preciosos ao Senhor.

Lee


Na Sessão Revival, o Repórter Roberto Cabrini e o padre pedófilo de Arapiraca, que não sabia que estava sendo gravado: