sábado, 15 de maio de 2010

Entendendo o porquê de pastores bandidos e padres pedófilos, parte 2


Na primeira parte, na semana passada, vimos sobre os pastores bandidos -literalmente- e vimos as dicas que Jesus nos deu, pra saber quem são eles:

Verificar os frutos.
Nessa segunda e última parte, vamos tentar entender sobre a pedofilia dos padres.
Os padres pedófilos

Em primeiro lugar, é preciso entender que isso não vem de hoje:

O grande erro que percebo nas pessoas atualmente, é se chocar com isso, como se essas práticas jamais tivessem ocorrido na igreja católica, ao longo dos séculos.

Isso é reforçado por declarações idiotas, como a do Cardeal do Rio Grande do Sul, que disse que isso ocorre por “a sociedade atual ser pedófila”.

Ora, a pedofilia católica começou a ser registrada no século II.

O Livro de Gomorra, escrito por São Pedro Damião em 1051 depois de Cristo, denunciava os padres que “corrompiam homens e meninos que se aproximavam deles para confissão”.

O que ocorre hoje, é a facilidade de se praticar tais atos na sociedade, via internet, especialmente o MSN, em que meninhos e menininhas de 8 a 12 anos são as vítimas preferidas dos pedófilos via net.

E hoje, pelos meios de comunicação, são mais facilmente denunciados os casos de pedofilia na igreja católica, o que não ocorria antigamente.

O que acontecia antigamente na igreja católica,era que existia um sistema secreto de que, em vez de afastar os padres nessa situação do exercício sacerdotal na igreja, eles eram transferidos:

Assim, transferiam-se os problemas para outras dioceses.

Outro problema que ajudou a mascarar essa questão, era de que a igreja só via isso como “pecado”, e não crime:

Somente em 25 de abril de 2002, o papa João Paulo II o definiu como crime – antes, como pecado, era só julgado (e encoberto) pela igreja, agora pode ser julgado nos tribunais seculares.

(Dificilmente, em especial nos países de origem católica, eram levados a um tribunal).

Por isso que estamos vendo a Irlanda sacudida por escândalos, com pedidos de indenizaçõs milionárias ( num colégio tradicional católico por lá, os padres abusavam das crianças há mais de 70 anos).

Até o irmão do atual papa, é acusado de encobertar escândalos, no coral que ele regia, nesse sentido.

Nos EUA, indenizações já passam de um bilhão de dólares, e pipocam por todos os lados, desde igrejas pequenas, até paróquias tradicionais.

De orfanatos, escolas católicas, seminários, e dioceses, ao redor do mundo, dos EUA, Europa, e até as Filipinas e Nova Zelândia, estão se revelando histórias escondidas:

Na Austrália, a ordem católica de São João de Deus, que acolhe deficientes mentais (uma espécia de APAE católica) 20 padres abusavam de 24 deficientes mentais.

Na Inglaterra, a polícia invadiu a paróquia de St. Joseph, e prendeu o padre local:

Descobriu no computador dele uma das maiores coleções de pedofilia do mundo, e este abusava de 3 coroinhas da igreja...Adrian McLeish pegou seis anos de prisão.

Outro padre ingês, só visitava crianças no hospital:
Abusou de um confinado a cadeira de rodas, e de outro com paralisia cerebral.

Nos EUA, já estão catalogados 3 mil padres pedófilos, que representa 5% do clero.

Padres pedófilos sempre existiram no Brasil, não se surpreenda quando os casos, a maioria abafados, começarem a pipocar, como esse de Arapiraca.

Pedófilos em geral, tem a idéia de quanto mais novo, melhor:

O que gosta de meninas, não procuram adolescentes, que já sabem se defender, e ainda por cima, já as tem como “velhas” :

Para este tipo de pedófilo, uma menina de 15, 16 anos, já é “velha”.

Eles procuram as que tem menos de 10 anos de idade.

Mas padre pedófilo gosta é de menino:

Os padres homossexuais, procuram ficar em contato com seus coroinhas (que auxiliam no serviço de preparação da missa), todos com menos de 12 anos de idade.

Se você é de confissão católica, jamais desgrude de seu filho pequeno, perto de um padre:
É melhor prevenir, do que ver tudo o que temos visto por aí.

O homossexualismo é muito alto nos seminários, base de formação dos Padres...

Alíás, no seu livro “Poder e Glória “, que fala sobre o lado negro do Vaticano, David Yallop, jornalista investigativo, calcula que só no Vaticano, que é considerado um estado, existam de 20 a 50% de padres homossexuais.

Se estes estão perto do papa, imagine os que estão distantes...

E para “subir de posto”, muitos se sujeitam a favores sexuais dos cardeais velhos.

Tudo isso, por uma imposição econômica da igreja:

Padres não se casam, meramente para não deixar pensão pra viúvas.

O celibato é doutrina de igreja de homens, e não doutrina bíblica:

Jesus disse que o celibato era opcional, mesmo para os do “clero”.

Ele disse que homens se tornavam “eunucos” por amor ao evangelho, mas que ninguém era obrigado a fazer isso...

Eunucos, eram os escravos, geralmente negros, que serviam a mulher do rei, ou mesmo trabalhavam no harém real:

Tinham o pinto cortado, pra não pegar nenhuma mulher do rei.

Jesus fala sobre três tipos de eunucos:

"Porque há eunucos que nasceram assim ( ou seja- com alguma deficiência genital);

E há eunucos que pelos homens foram feitos tais (como no caso acima- cortaram o pinto deles);

E outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus (por livre e espontânea vontade, não se casaram, para terem mais tempo livre para o reino);

Mas nem todos estão aptos para isto." (Mt 19:12)

Portanto, para quem não tem uma vocação natural em ser “eunuco”- e isso é uma vocação – e foi obrigado a fazer voto de celibato, para mim, fica fácil de entender tudo o que vem acontecendo.
Você que está num seminário, ou que já é padre, e sabe que é homossexual, melhor seria que você fosse estudar outra coisa, ou fazer outra coisa, que não fosse o sacerdócio.

Se não, é uma questão de tempo, para que isso possa convergir não só para homens- que você gosta- mas para os pequeninos, que são preciosos ao Senhor.

Lee


Na Sessão Revival, o Repórter Roberto Cabrini e o padre pedófilo de Arapiraca, que não sabia que estava sendo gravado: