quinta-feira, 10 de junho de 2010

O Cristão e a Copa do Mundo- Ainda há Repressão

Rua Alzira Brandão, aqui na Tijuca : Vai lotar


Dependendo do lugar em que você está, e principalmente, do Pastor ou Padre que você tem, haverá implicância com a Copa, nessa época.

E mesmo se estes forem jovens, mas infuenciados por mentores repressivos, ou criados também dentro da repressão, ele irá implicar com o assunto, nesse período.

Isso deve-se a herança repressora de tudo o que era “mundano”, no passado:

Proibições a filmes, praias, roupas, barba e bigode (pra não parecer comunista) dos homens, cabelo curtinho das mulheres, televisão...

E claro, o futebol.

Na década de 60, nessas igrejas reprê, a bola era chamada de “ovo do diabo”....rsss!

Num sabia que o diabo botava ovo!

Nessas igrejas, além de serem proibidos de irem aos estádios (teve um monte de gente expulsa de igreja , também por isso) , era proibido também de os rapazes jogarem futebol.

Alías, naquela época, ser jogador era coisa meio marginal, coisa de vagabundo.

Mulher no estádio (por aqui no Brasil) era vista como prostituta ou sapatão.

Aos poucos, os pastores e padres, homens apaixonados por futebol, não conseguiram ficar afastados de sua paixão, e se reuniam para uma partida aqui e ali...

Mas só entre eles, meio que escondido, principalmente nos seminários.

Até que a mentalidade desses que gostavam, foi aos poucos sendo passada para os jovens da igreja:

Assim nasceram os campinhos de pelada, ou as quadras, nas igrejas...

Antes, era tudo estacionamento, ou pequenas hortas, dentro delas.

Mas a membresia antiga resistia e muito, pois geralmente os antecessores desses pastores e padres, ensinaram que isso era, como quase tudo fora da igreja, do diabo.

Hoje, ainda há focos desse tipo de pensamento, e uma enorme falta de bom senso:

Na Copa de 94, o jogo do Brasil na final foi das 4 da tarde até quase ás sete da noite, pois houve prorrogação e penaltis:

Várias igrejas mantiveram , aqui no Rio, seus cultos ás sete da noite!

Na minha igreja de origem, foram seis gatos pingados (todos mais idosos), que conseguiram furar o bloqueio da rua, para verem, mas não ouvirem (por causa do enorme barulho), o culto.

Líderes eclesiásticos são muito ignorantes nessa época:

Ignoram que é difícil sair na rua, por causa do trânsito, nesse período, mesmo sem ser necessáriamente o jogo final;

Ignoram que é um perigo forçar a membresia a comparecer, pois a quantidade de gente bêbada quadruplica (fica igual no carnaval), sendo perigoso principalmente para crianças, e idosos;

Ignoram que existe um sentimento patriótico muito maior do que um de sete de setembro, por exemplo – que toma conta do povo.

Pastores e Padres jamais devem forçar ninguém a comparecer forçosamente, obrigatóriamente, a casa de Deus:

Alegrei-me quando me disseram: Vamos a casa do Senhor!” (Salmo 122.1)

A pessoa deve ter essa alegria, naturalmente, em ir até lá.

Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontâneamente, segundo a vontade de Deus;

Nem por torpe ganância ($), mas de boa vontade.” ( I Pedro 5. 2)

Líderes eclesiásticos em geral, tem a mania de querer forçar a barra, enquanto Deus ensina a não forçar barra nenhuma.

Isso em geral é pra tudo, desde dízimos e ofertas, até para apelos para atuar na igreja, em algum “ministério”...se esquecem da espontaneidade ensinada por Pedro.

Alguns ainda falam com amor, mas a maioria é em tom ou de ameaça, fazendo-os se sentirem culpados (em não ir a igreja por qualquer motivo), ou de chantagem emocional.

Amigos meus de igreja, gente firme na fé, já viajaram pra ver a Copa na África ao vivo;

A primeira vez que vi uma Copa fora de casa, quando criança, foi na casa da minha “tia da igreja” !!

Que associação prazerosa que ficou, uma tia que me ensinava a Bíblia, que gostava de futebol !

Alô tias da grei: Já enfeitaram a salinha do culto infantil com azul e amarelo?? Sejam criativas!!

Me lembro que um Pastor a época conhecido meu, na Copa de 2002, fez o seguinte:

Pra quem não lembra, a final era ás 8 da manhã...ás dez, estava tudo acabado, pois não houve prorrogação e penaltis, dessa vez (foi o pentacampeonato)

Esse pastor, daqui do Rio, fez algo de deixar tradicionais de cabelo em pé...

O culto era ás 10.30h da manhã...ele chamou todo mundo pra assistir a final na igreja:

Botou uma TV enorme no salão de cultos da grei!

A igreja encheu, todo mundo assistiu a final juntos, e depois, felizes da vida , cultuaram juntos!

A Igreja Batista Central do Rio de Janeiro, ousou naquele dia...

Sua igreja ousaria? Hoje, várias tem telões.

Nessa quinta-feira, abertura de mais uma Copa, ás 15.30h da tarde, e na sexta, começam os jogos.

Pode ver sem culpa nenhuma...

Se seu Pastor ou Padre não gostarem, é porquê eles foram nerds na infância e juventude.

Nunca jogaram bola no recreio, nem trocaram figurinha, nunca pisaram num estádio...

Só ficaram lendo livros “teológicos”, e isso até hoje.

Lee

Torcendo contra o Brasil pra Dilma não ganhar, e sim a Marina.