domingo, 13 de junho de 2010

Sobre a Cobertura da Globo na Copa

"Não manjo de futebol, mas sempre vou pra Copa!"


Na verdade, a cobertura da Globo tem me aborrecido desde antes da Copa.

A Globo faz a cobertura da Copa como se estivesse fazendo o “Fantástico”.

Falo da Globo, me utilizo dela como exemplo, pois é o carro chefe das outras emissoras, que vão na onda dela, e outras a imitam descaradamente, como a Record:

Esta então, “rouba” os jornalistas e artistas da maior emissora do país.

Em vez de fazer uma cobertura jornalística - esportiva como convém a um evento dessa natureza, a Globo parece mais uma espécie de “Fantástico na Copa do Mundo”.

Todo mundo já tá de saco cheio do Fantástico – já são dois anos de audiência baixa, em relação aos anos anteriores – já sugeriram até ressuscitar a Glória Maria:

O programa só começa a melhorar quase no final, por causa do Tadeu Schmidt com os gols do Fantástico, e dos bolas cheia e murchas, tanto que estão esticando o programa agora, depois desse bloco, o que não faziam antes.

O Fantástico é tão chato, que até o Zeca Camargo bocejou na volta de um dos intervalos...veja depois na Sessão Revival, abaixo.

Pois bem...mandar Fátima Bernardes, que não entende nada de Futebol, e pior ainda, a Sandra Annenberg, que de tão adocicada ainda vai aparecer com um pirulito na boca...
É dose pra leão africano!

Reportagens bestas, uma farofada global idiota, como dizer que os jogadores foram ao shopping, foram tomar sol no treino, dizer a hora que levantaram pra escovar os dentes.

“Reportagens” que eu e você faríamos com uma câmera na mão, sem precisar de crachá (que na verdade, serve pra pouca coisa, pois estão mantendo os jogadores afastados da imprensa)... e depois jogaríamos no youtube pra todo mundo ver.

“Reportagem de tiete, não de jornalista...o que nos interessa isso??

Se fosse pelo menos uma compra em Paris ou na Itália...compra em shopping da África?
Aqui no Shopping Tijuca tem coisa mais legal!

Acho que até fazer compras no Paraguai é mais aventureira...a minha pelo menos foi, quando era teen.

E tudo com aquele sorriso colgate do início ao fim das reportagens, parece que estamos vendo uma Copa na Disney, e não na África.

O CQC, que é humorístico, mas com reportagens mais sérias do que o próprio Fantástico,mostrou o outro lado da África do Sul, onde, na realidade, ainda continua existindo uma separação entre negros e brancos, de maneira não oficial.

A discriminação, de ambas as partes continua:

Branco gosta de rúgby...negro, de futebol, que é mais popular:

Basta a gente dar uma olhada na arquibancada dos jogos, e comprovar isso.

Isso, a Globo, não mostra, pois não interessa a ela reportagens de verdade, mas apenas o que é “Fantástico”.

Como aquela série de mostrar todos os 23 jogadores da seleção, antes da copa:

Altamente sentimentalóide...feito pra chorar em pleno Jornal Nacional.

Se o Brasil perder, não levar a Copa, ou se um acidente acontecer, tudo é esquecido, e vem um sentimento de revolta que eles mesmos começam.

Geralmente com o mala do Galvão logo após o jogo, dizendo que faltou “atitude”...lembram?

Nessa hora, terminam os sorrisos colgate, a pátria de chuteiras, as marchinhas e musiquinhas, as propagandas sacaneando argentinos, a propaganda do Dunga com a Vivo...

Os Brahmeiros guerreiros, os torpedos do Faustão, as insuportáveis fufuselas , e todo o circo da TV, puxado pela Globo.

A farofada da Globo, lembra muito a farofada gospel, especialmente em congressos.

Senti falta sabe de quê?


Se era pra fazer esse circo todo, por que não levaram o loiro José?


Afinal, se Dona Fátima e Dona Sandra não manjam nada de bola, era melhor colocar o papagaio...

Já imaginaram um link direto dele ao vivo com a Ana Maria?

Lee


Na Sessão Revival, José Trajano resume bem o que é cobertura jornalística numa Copa:

http://www.youtube.com/watch?v=v_KPJXPQP7w

Nem o Zeca Camargo aguenta mais o Fantástico: