domingo, 22 de agosto de 2010

Moisés e os Métodos de Hoje em dia



Então disse Moisés ao SENHOR: Ah, meu Senhor! Eu não sou homem eloqüente, nem de ontem nem de anteontem, nem ainda desde que tens falado ao teu servo; porque sou pesado de boca e pesado de língua.

E disse-lhe o SENHOR: Quem fez a boca do homem? ou quem fez o mudo, ou o surdo, ou o que vê, ou o cego? Não sou eu, o SENHOR?

Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar.

Ele, porém, disse: Ah, meu Senhor! Envia pela mão daquele a quem tu hás de enviar.

Então se acendeu a ira do SENHOR contra Moisés, e disse: Não é Arão, o levita, teu irmão?
Eu sei que ele falará muito bem; e eis que ele também sai ao teu encontro; e, vendo-te, se alegrará em seu coração.

E tu lhe falarás, e porás as palavras na sua boca; e eu serei com a tua boca, e com a dele, ensinando-vos o que haveis de fazer.

E ele falará por ti ao povo; e acontecerá que ele te será por boca, e tu lhe serás por Deus.
( Exodo 4. 10-16)

Moisés fez da falta de um dom natural de comunicação, uma desculpa para não fazer a vontade de Deus:

Transmitir sua vontade ao povo.

Moisés, na ocasião, confundiu talento natural humano com dom vindo do alto.

Este é específico para uma missão.

Ora, se Deus afirmou a Moisés “que seria com sua boca e ensinaria o que haveria de falar”, por que isso ocorre até hoje?

Se com Moisés a desculpa foi que ele “não tinha jeito pra falar”, hoje é diferente:

Hoje, vejo gente pregando se utilizando de métodos de oratória;

Vejo gente sendo ensinada, em aulas de homilética em seminários, a “pregar a palavra”;

Vejo gente escrava de esboços- se voar,acaba a mensagem;

Vejo muita gente em púlpitos priorizando métodos técnicos (oratória, data shows, pastor apertando botãozinho e aparecendo imagens, etc);

Vejo pastores hight tech, com microfones sem fio, lendo a Bíblia de smartphones, etc;

Mas quase todos sem unção, sem que as pessoas percebam que aquilo veio de Deus.

Quando o homem troca a ajuda divina- sua total dependência Nele – nossa tendência sempre será para a técnica humana, “substituindo a ação divina”.

Em vez de as utilizarmos como ferramentas de auxílio a ação Dele, as utilizamos com fim em si mesmo:

Dependemos de nossa própria força – e nos esgotamos;

Dependemos de nossa própria inteligência – e fazemos ao contrário do que Ele quer.

Isso serve pra tudo, em nosso trabalho, estudo, etc;

Em vez de pedirmos que Ele nos ajude, nós tentamos nos ajudar...

Podemos levar por algum tempo, mas em breve chega o cansaço, a escassez, etc.

Deus pode até botar um Arão pra falar por você -Mas você tem que estar junto.

Dependa dele, e não de técnicas e métodos...

Isso serve tanto para pregar, estudar, ou simplesmente fazer a escova num cabelo:

Peça ajuda a Ele.
Lee