sábado, 18 de setembro de 2010

Saindo do Casulo - De Lagarta pra Borboleta


Lagartas se transformam em borboletas ou mariposas.

Ver a lagarta dá um asco, algumas pessoas tem até medo...

Mas a borboleta, já até parei pra ficar olhando seu vôo na natureza.

Aliás, na natureza é assim, as coisas tem seu tempo determinado, e o fluxo simplesmente flui...

Mas na natureza humana, nem sempre as coisas fluem como deveria ser.

Tem muita gente em sua vida que permanece como lagarta, sem querer sair do casulo.

Assim como esta, vive se arrastando, mas ao contrário da lagarta, não quer se transformar:

Muita gente perde a oportunidade de voar livre como borboleta, seguindo um plano maior em sua vida, para permanecer se arrastando como uma lagarta.

São pessoas que se acomodam a um ritmo de vida tedioso, sem perspectiva de crescimento como pessoas.

Pessoas que nunca terão a beleza da borboleta;

Pessoas que não contemplarão a vida da maneira que a borboleta a vê.

Por quê isso acontece?

Algumas pessoas simplesmente não sabem que podem virar borboleta, e por isso, nunca se transformam, permanecendo na vida como lagartas.

Várias delas são tratadas como condenadas a viveverem para sempre como lagartas.

A família, e as escolas, de maneira geral, não as estimulam a virar borboleta...

A igreja, esta então, também de uma maneira geral – e de forma mais cruel - faz questão de que a pessoa sempre permaneça como uma lagarta, sem sair do casulo.

De forma geral, não encontramos na sociedade o estímulo as pessoas para se livrar da carne velha, sair do casulo, e alçar vôos maiores, com a beleza da borboleta.

Pois ser borboleta é isso – se livrar da carne velha, deixá-la onde está, e imediatamente começar a alçar vôo.

Você vira borboleta na hora que abandona o casulo.

Enquanto não o abandonar, você continua com corpo de lagarta.

Romper com a forma de pensar cotidiana, é o primeiro passo pra deixar de ser lagarta.

Vivi como lagarta por longos anos.

Quando rompi com a forma cotidiana de pensar a vida, foi quando saí do casulo.

Virei uma borboleta tardiamente – mas quando você se transforma, jamais quer voltar a rastejar como uma lagarta.

Melhorou o referencial de valores á vida;

Melhorou o humor- como disse um colega, “pode estar caindo o mundo que você tá rindo”;

O stress se foi, e a ansiedade se reduziu a níveis ínfimos:

Antes, eu andava depressa na rua, quase correndo:

Agora, além de andar devagar, ainda paro na rua para ver um cachorro numa casa, além de uma tartaruga em outra.

o entendimento do evangelho- meu referencial de vida – se clareou de maneira impressionante, como jamais poderia imaginar que aconteceria.

Antes, mesmo com dons vindo do alto querendo e se manifestando ocasionalmente em mim, meu entendimento da palavra era limitado a minha condição de lagarta.

Ah, e antes que me esqueça:

Ainda há um outro grupo de lagartas – os que de alguma forma, conseguiram descobrir que poderiam virar borboletas.

Geralmente, foram avisados por quem foi lagarta e virou borboleta.

Mas estes, se acomodaram de tamanha forma a viver rastejando na vida, conformadas com situações de pseudo- conforto;

Se conformaram por medo – de família, de amigos, da lagartada geral que os cercam, do que estes iriam pensar , se ele ou ela virasse uma borboleta livre.

Ou se conformaram mesmo em viver em sua condição de lagarta, pois pra eles “tá bom”.

Lee
Na Sessão Revival, Raul Seixas com Metamorfose Ambulante: