quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Pastores Mirins – Os anões do Circo Gospel

Eles chegaram até a Casa Branca
Um estilo mais "povão"

A estrela dos programas da tarde




Vem aumentando a cada ano o número de pastores mirins.



No meio desse grande circo que virou o mundo gospel, uma das maiores aberrações – e covardia que já vi fazer – foi a de transformarem crianças em pregadores mirins.



Por quê isso vem acontecendo?



Por quê o circo gospel acha bonitinho uma criança falar para pessoas- é mais uma atração diferente para o circo – quem não vai parar pra ver uma criança no púlpito?

Deu-se a ideia de que eram crianças especiais, por tão somente estas, e não outras, fazerem isso.




Justificam a criança pregadora sob a história do pequeno Samuel ( I Samuel 3), esquecendo-se de que este foi entregue ao velho profeta Eli, para treinamento ainda criança.



Mas não percebem que este só foi de encontro ao povo profetizar já jovem, após anos de ensinamento com seu velho mestre.


Repito:



O que faz lançarem essas crianças como se fossem anões de circo, é a mera atração de um espetáculo que sempre precisa de novidades, que virou a igreja.




Pois o que vem mantendo a audiência do espetáculo circense que viraram os cultos mundo afora, é o louvorzão barulhento, com uma banda nova a cada domingo;



Um coral, conjunto vocal ou instrumental, que vem cantar ou tocar de fora;



Um pastor da moda, geralmente inventando um método revolucionário de alguma coisa (forma de culto, ler a bíblia, etc);



Como uma leva muito grande de pastores perderam a palavra ao longo do tempo, e outros levam a vida sacerdotal como profissão, sem absoluta unção nas mensagens;



Assim, substituem a simplicidade da palavra- e de ensinarem o evangelho – por essas coisas acima citadas.



Quem lê os evangelhos, vê uma simplicidade nos ensinamentos de Jesus, que até uma criança – sem precisar ser pastor mirim – entende.



Por que isso não basta?



Por quê intelectualizaram as mensagens?



Por quê esse Polishop evangélico?



O Polishop gospel vai de cds, dvds, camisas, bíblias as mais variadas, seminários proféticos, congressos de avivamento, cursos de como aumentar membro de igreja, etc.



Todos fazem isso, e saem com a alma vazia...



Transformar uma criança em pregadora ou pregador, fazer delas pastores mirins, é levar sua alma cativa , colocando-as nas cadeias da religião.



É só reparar que, quando pregam, nada mais são do que meros repetidores de terminologia gospel, são pequenos papagaios do que ouvem.


Crianças devem desenvolver seus dons pastorais, se assim os tiverem, nas classes de suas igrejas, nos cultos infantis.


Para daí passarem para seus amiguinhos na escola, no clube, no condomínio, sempre entre as próprias crianças.


Criança de igreja,deve brincar, correr, jogar bola, pular corda;



Deve ser criança como qualquer outra, e não ser forçada por pais a ter um pastorzinho/a na família.




Estes e estas, tem proliferado nos púlpitos mundo afora;



Tem proliferado nos programas de entrevista/fofoca das tardes na TV, por ser o que é, ou seja, algo bisonho;



Tem até chegado a Casa Branca:



Um pastorzinho abençoou o Obama, botando a mãozinha na cabeça dele (foto acima).

E todos no circo acham isso o máximo, e dizem amém.



Lee



Na Sessão Revival, vejam como a menina pastora surta se achando máximo diante da multidão:

http://www.youtube.com/watch?v=KC0on_LpoMM