domingo, 25 de abril de 2010

Por acaso sou eu guardador do meu irmão?

Caim matando Abel, Por Corinth Lovis, 1917

Aí Caim disse a Abel
, o seu irmão: Vamos até o campo. Quando os dois estavam no campo, Caim atacou Abel, o seu irmão, e o matou.

Mais tarde o SENHOR perguntou a Caim: Onde está Abel, o seu irmão?

Não sei, respondeu Caim, Por acaso eu sou o guarda do meu irmão?

Então Deus disse: Por que você fez isso? Da terra, o sangue do seu irmão está gritando, pedindo vingança. (Gênesis 4 )

Se você ler desde o início do capítulo, vai ver que Caim matou seu próprio irmão por inveja.

Mas, antes que eu me esqueça (não trabalho com esboços, sou livre também disso), quero começar falando da pergunta de Deus...

Quando Deus fez aquela pergunta, é claro que Ele sabia o que havia ocorrido...

A pergunta de Deus naquela hora, foi um momento que Ele preparou para oferecer a Caim uma oportunidade de arrependimento.

Foi um ato de misericódia;

Era um ato da graça
, a disposição de Caim, se esse confesasse seu erro.

Talvez as sanções apresentadas a Caim depois (e só você continuar lendo o texto em casa) seriam amenizadas, se esse tivesse confessado...teve que viver fugindo.

Mesmo em nossos maiores erros e pecados, a primeira atitude divina é de oferecer perdão, e não chicote.

Mas Caim, além de matar covardemente, ainda foi debochado...

Disse que não era “guarda do irmão”.

O coração invejoso de Caim revela uma face egoísta...o que ele quis dizer para Deus, foi:

“Eu cuido da minha vida, e ele que cuide da dele”.

É assim, na maior parte do tempo, na história de nossas vidas:

Levamos uma vida á la Caim, seguindo nosso próprio egoísmo, sem se importar com os outros.

O Cainzinho que tem dentro da gente, não se preocupa com os outros, e é extremamente invejoso.

Quando Deus pergunta pra gente “ Onde está o seu irmão”, será que sabemos responder?

Sabe o que é mais curioso dessa história, o que me chama mais a atenção?

Toda a inveja de Caim começou num culto.
Abel levou um carneirinho como sacrifício ao Senhor, o primeiro nascido de seu rebanho.

Abel era pastor de ovelhas...Caim, agricultor.

Caim pegou algum dos produtos da terra, que Deus rejeitou.

Ele poderia ofertar da terra, sim...mas só que:

Fez de qualquer jeito...deve ter pego algo que “não lhe fizesse falta”...

Algum hortifruti mas caidinho...mais murcho, mais pra lá do que pra cá...

Deus sempre repara na nossa atitude, quando estamos cultuando/ ofertando/ indo em sua presença.

Não adianta fazer ofertas fakes, ele manja rapidinho...

Mas até hoje, muitas pessoas num ambiente de culto, fazem a oferta fake de Caim.

E morrem de inveja dos outros...nossos cultos tem muito da inveja de Caim, até hoje.

Encontramos na grei pessoas assim:

Morrem de inveja no culto, de alguém que canta melhor do que você;

De alguém que toca melhor do que você;

De alguém que rege melhor do que você;

De alguém que ensina melhor do que você;

De alguém que prega melhor do que você;

De alguém que tem mais grana, posição social, do que você;

De alguém que é mais inteligente do que você;

De algúem que é mais influente do que você, mesmo chegando há pouco tempo;

De alguém que “capta as atenções naturalmente”, mesmo com pouco estudo, e sem ser “de família tradicional na igreja”, como você;

De alguém que é mais bonito/a do que você (méldeus!) ;

De alguém que “já se casou”, antes de você (e especialmente, se for uma irmã mais nova, a outra mais velha vai desesperadamente querer se casar, procurando uma “vítima”);

De alguém que passou no vestibular e ainda escolheu para aonde quis ir, e você ainda não passou;

De alguém que passou num concurso estudando sozinho, e você, mesmo nas Degrais Culturais da vida, ainda não conseguiu nem classificação;

Então...tô exagerando, ou as igrejas de hoje são cheias de Cains?

Caim e Abel eram “irmaõs de igreja”, e a inveja de Caim floresceu num culto.

Mas também eram irmãos de sangue...

Vejo irmãos de sangue com inveja um do outro...

Pelos mesmos motivos acima...e aí começam a disputarem...

De números de filhos feitos, a graduações em faculdades:

Conheço diversas irmãs que, assim que descobriram que a outra estava grávida, trataram logo de engravidar também, ou de ter mais filho do que a outra;

De irmãos que assim que um soube que o outro comprou um carro zero, quase ficava sem comer, só para bancar um carro zero, também;

De disputas de graduação:

Se um fazia Pós, o outro começava um mestrado...o placar atual é:
Um já tem doutorado, o outro, ainda é “apenas mestre”.

Os teens então, tem a síndrome de Caim nas veias:

Vão de roupas, brinquedos, games, computadores, e por aí vai...

Um inveja o que o outro tem, e os pais tem que se virar, pra “dar igual”.

Aquele adesivo que as vezes a gente vê em carro, é uma grande verdade:

A Inveja,é uma m...é verdade.

O mais triste de tudo, é que ela continua se iniciando em corações que estão num culto, como se iniciou no de Caim...

E que também estamos guardando, cuidando de nosso irmão, da mesma forma que aqueles guardadores de carros das grandes cidades, os flanelinhas...

Deixa que eu to vendo”...e vai embora, e só volta para te cobrar.

Lee

sexta-feira, 23 de abril de 2010

O Casamento Relâmpago das Estrelas - e divórcio idem – as lições que tiramos deles


Recentemente, alguns casórios das estrelas terminaram tão rápido como começaram.

Pato e Stephanie Brito, Roger e Deborah Secco,Daniela Winnits e Cassio Reis, e Dudu e Bombom decretaram falência conjugal.

Muito mais do que se imagina, eles tem algumas lições que podemos extrair, e que pode orientar quem quer se casar, ou recém casados,e evitar os erros cometidos por eles...

Ou mesmo quem está com casamento de “fachada” a longo tempo, pros outros verem, como era o caso do Dudu Nobre e da Bombom.

Vamos começar com o casal mais novinho da leva...Pato e Stephanie Brito.

Pelo que li e percebi, ficou claro basicamente a falta de maturidade dele.

Nós homens geralmente somos mais imaturos que elas - especialmente quando mais novos.

O problema não é se casar “cedo demais”:

É saber com quem você se casa, mais cedo.

Se casar cedo, tem por si só, toda uma falta de “bagagem de vida”, e o ideal é se cercar de conselheiros sábios, que tenham mais chão na frente.

Por isso, particularmente não concordo que casais recém casados ou com pouco tempo de casório, sejam líderes conselheiros de pessoas que estão para se casar:

O ideal é alguém com mais bagagem, mais chão.

Mas continuando a questão da maturidade:

Pela minha experiência, lidando com adolescentes e jovens a maior parte do tempo, sempre vi nelas muito mais maturidade do que nos homens.

Meninas de 18 a 22, geralmente são mais maduras que os rapazes da mesma idade, e ás vezes, de mais idade...mesmo com uma infantilidade boba aqui e ali.

Steph me surprendeu positivamente, demonstrando maturidade:

Deu um pause na carreira promissora de atriz, para acompanhar o marido...

Achei isso lindo, ela, nos primeiros anos, investindo na vida a dois...iria fazer só mini-séries, que não tomam assim tanto tempo, quanto uma novela.

Acompanhava os jogos dele da arquibancada desde que era noiva.

Mas não chegou a ter sequer “primeiros anos”...o casório terminou em oito meses.

Um milhão de reais em festa...Copacabana Palace lotado...e tudo já acabou.

Pato simplesmente começou a se comportar como solteiro...

Inclusive indo na onda do Ronaldinho Gaúcho, companheiro de clube, e suas festinhas (e nego ainda pede para ele e Adriano, irem pra Copa, repetirem as festinhas de sacanagem da copa passada).

Steph está com a mãe, e só esperando a poeira baixar (a do vulcão, da Europa, outra clara demonstração de nossa impotência contra a natureza, que continua reclamando), para pegar o vôo e voltar pra Barra da Tijuca.

Sem falar que o David Brazil disse que o Pato é borracha fraca, mas deixa isso pra lá...

(Nesse caso, seria um patinho de borracha, mesmo)

Moral dessa história:

Se você é mais nova, preste atenção na maturidade de seu namoradinho...

Veja se ele tem potencial de ser homem, ou se é apenas um pato.

Casório Relâmpago 2 : Roger e Deborah Secco

Outro casório que tem muito o que ensinar para os mais novos...

Primeiro porquê:

Dos nove meses casados, o casal passou seis meses longe um do outro.

Roger jogou em Dubai, lá pro lado das Arábias, e ela não quis ir.

Ao contrário da Steph, Deborah não quis acompanhar o marido...então, por que se casou?

Achou mesmo mesmo que daria pra manter casamento via MSN?

Uma amiga achou que, por eu ter Orkut e postar sempre no blog, eu estaria sempre nessa bodega de MSN, que odeio...

Esse dispositivo é frio, não substitui o contato humano, é louco, com gente tentando falar com várias ao mesmo tempo (e levando ás vezes 5 minutos pra responder uma linha de alguém)...

Como se pode namorar, conhecer alguém de fato (hoje uma teen de 17 anos de Goiânia, na TV, voltou pra casa, depois de passar 17 dias na casa de um cara aqui em Campo Grande, zona oeste do Rio, que conheceu na internet – a polícia descobriu que o cara tinha mandado de estupro) via MSN?

Pode ser útil em casos de viagens, temporariamente...mas nunca como substituto de algo entre dois.

O casamento deles foi via MSN...deu no que deu.

Moral da História:

Saiba se a profissão de seu marido pode levar você pra Dubai, pra China, pro Vietnã...

Saiba o que ele faz – e no que isso acarreta:

Se trabalha na plataforma de petróleo, vai passar 15 dias todo mês em Macaé, ou seja aonde for...

Se for da Marinha, se for piloto de avião, jogador de futebol...

Se ela for aeromoça, executiva, se viajar constantemente...

E em geral, todos dizem que aquilo será apenas “temporário”...

Trabalhar em outra cidade na semana, e passar com a família apenas no final da mesma, é investir apenas em dinheiro, e não em relacionamento.

Mudanças, transferências...isso por que aqui não é os EUA:

Por lá, é comum os caras resolverem se mudar de um estado pra outro, casados, em busca de situação melhor de trabalho...sem falar na guerra:

Um soldado passa 11 meses por ano, no Iraque, com apenas seis semanas em casa.

Por isso, voltam loucos...quando voltam.

Lembre-se:

Namoro “a distância “é um caminho curto para um casamento relâmpago;

Casamento “ a distância”, é uma enganação mútua vivida pelos dois.

Terceiro e quarto caso : Dani Winits e Cássio Reis/ Dudu e Bombom.

O primeiro casal, ficou 4 anos e 4 meses juntos, e o segundo, 8 anos.

A Dani (que já tá com outro) não aguentou as traições do marido...a última, no carnaval, camarote da Brahma, ele cheio de chamego, beijou uma loira.

Já Dudu e Bombom, era uma fachada só há muito tempo:

Traições de ambas as partes, num casório que era só pra mídia ver.

O casamento deles, me lembra o de muitos que vejo na igreja:

É só para a igreja ver, aos domingos...

Mas há muito tempo não tem mais nada.

Perdi a conta de quantos vi com outras, ao longo dos últimos três anos...

Gente conhecida, criada na grei, líderes, pastores, esposas de pastores, ou simplesmente membros...

Vários se arrastando já há algum tempo,como os últimos casais de astros acima.

Moral da história:

Para a turma de igreja, isso sempre é mais complicado...

Se você acha que tem que ficar casado com uma pessoa assim, só por quê “Deus odeia o divórcio”, saiba que:

Ele odeia muito mais a falsidade, a mentira, a falta de coragem, que vocês tem tido um com o outro, com Ele, e com os outros.

Não adianta um somente querer :“Andarão dois juntos se não houver entre eles acordo? " ( Amós 3.3)

Se os dois quiserem, podem solucionar uma crise, um problema, até mesmo uma traição (a mulher cristã, foi ensinada pela sua mãe ou avó cristã a “ser besta”, dizendo que isso seria um jugo do casamento que ela teria que suportar).

As mulheres que não são da igreja, são super-descoladas nesse sentido;

As da grei, mesmo o cara não querendo mais nada- mas geralmente não tendo coragem de assumir – pedem pra todo mundo orar por isso, jejuam, fazem promessa, e ficam com cara de maluca ou acabadas, fisicamente falando.

E nada acontece...chama-se livre arbítrio:

Deus nunca fará alguém ser seu namoradinho/a ( tem gente que ora por isso) ou ser fiel, ou permanecer casado...a não ser com que o outro queira.

Não gaste sua oração á toa – converse com a pessoa primeiro , e veja qual é a dela.

As mulheres da grei, carregam um fardo de igreja- eu disse de igreja, não de Deus – muito pesado, aqui.

São induzidas a se casarem cedo, pra poder transar ( apesar da pesquisa da maior rádio gospel do Brasil dizer que 80% transam antes, e acham isso normal);

A terem filhos logo, e por aí vai.

Muitas, querem esperar seus filhos crescerem, para “poder separar”, enquanto o marido não tá nem aí pra isso, pois a essa altura já tem outra...é outro engano.

Sem falar que a essa altura, eles (as crianças) já sofrem com a falta de atenção dele.

Enfim, o casório das estrelas, quem diria, tem muito o que nos ensinar...

Seja para os mais novinhos, ou para os mais “cascudos”.

Lee
Na Sessão Revival, Caetano já dava um toques no assunto, antes:

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Os Utensílios e Símbolos Cristãos esquecidos Pela Igreja Moderna





Com o passar dos anos, fomos nos esquecendo de nossos símbolos Cristãos nas igrejas:
Muitos com significado espiritual profundo, e também de utensílios que naturalmente deveriam fazer parte da igreja, em seu interior.

Eles eram parte integrante da grande maioria das igrejas, no passado...

Mas foram aos poucos deixados de lado, por causa basicamente de acusações mal fundamentadas, desinformação, e outros, atropelados pela “modernidade” da igreja atual.

Entramos em igrejas modernas de hoje, e não encontramos mais uma cruz no altar;

Não vemos mais uma Menorah (candelabro) em cima da mesa da ceia;

O peixe, outro símbolo do Cristianismo, é ignorado, nas igrejas...

No dia da ceia, não vemos uma taça/cálice com pães asmos (sem fermento), é tudo discretamente compactado...

Nenhuma lembrança dos símbolos e utensílios bíblicos do santuário...

Mas vemos as igrejas modernas trocaram seus símbolos cristãos pelas “modernidades” de hoje, ou pela cabeça de quem ornamenta uma igreja:

Muitos vasos com flores, ou com plantas, lá na frente...tem igreja que o altar mais parece um jardim, com plantas que atrapalham até a visão...

E ai de quem reclamar da irmãzinha que acha isso o máximo, encher a igreja de flores e fitinhas de ornamentação!

Cartazes de propaganda, seja de propaganda de atividade da igreja (como campanhas de arrecadação ou congressos ou passeios), ou atividade denominacional (campanhas de missões,etc) dentro do santuário, afixados, ou pendurados em locais estratégicos;

Batistérios High-tech (para as igrejas que batizam mergulhando), com batistérios modernos que abrem e fecham “sozinhos”, alguns com água descendo em formato de chafariz, e que ficam borbulhando o culto todo, distraindo a todos;

Batistérios “pops”, pra quem não tem dinheiro para um High-tech, com o famoso desenho do rio:
A pintura da parede desce como um rio até o batistério, produzindo o efeito cafonérrimo do “pastor batizando no rio”, ao lado do sol, da grama verdinha, e de alguns carneirinhos;

Dependendo da grana, tem batistérios tanto para filmes do James Cameron, quanto para filme do Zé do Caixão!

E no batistério “pop”, quando tem um palhudo pregando (pregador fraco) nos abre o imaginário:
Ficamos tentando imaginar "aonde irá terminar o riozinho que começa lá em cima"...

Outros símbolos que insistem em abarrotar nossos altares são as bandeiras do Brasil, e do estado em que fica as nossas igrejas, penduradas ou afixadas em mastros, lá na frente...muito cívico, isso...

Ou igrejas que em mês de missões, enchem á frente da igreja com bandeira de todos os países, poluindo o visual do ambiente...

Parecendo mais uma festa “junina missionária”, cheia de bandeira pra todo lado...

Mas nada disso é símbolo cristão...são raros os símbolos ou utensílios da Bíblia em nossas igrejas, hoje em dia.

Dificilmente vemos a Cruz, a Menorah, o Peixe, ou uma Candeia...

A Cruz

Toda igreja deveria ter uma – e antigamente, elas tinham, muito mais do que hoje.

Algumas igrejas protestantes acham que ter cruz é sinal de catolicismo:

Especialmente as latino-americanas, na época em que o catolicismo era mais forte do que é hoje.

Nos EUA, é muito comum igrejas protestantes com cruz – não tinha essa questão de” parecer católico por lá”- da mesma forma, a igreja Anglicana na Inglaterra, e pelo mundo.

A cruz representa o sacrifício de Jesus para a redenção do homem com Deus, representa que houve um preço a ser pago, por isso.

Só estamos ali dentro – na igreja - por causa desse sacrifício.

Como isso poderia ser alguma coisa só de um grupo?

Em minha atual igreja, a cruz é um dos símbolos, em seu logotipo:

Uma cruz na frente de um altar de fogo...espero um dia vê-la não só na capa do boletim ou da internet, mas dentro do santuário, mesmo.

Felizmente, várias igrejas modernas tem re-adotado a cruz dentro de seus santuários:

As igrejas Presbiterianas modernas, aqui da cidade, tem a forma de casas por fora...

Mas dentro de seus pequenos templos (em média cabem 100 pessoas), em vários bairros aqui do Rio (as recentes) sempre tem uma cruz lá na parte da frente, que chamamos de altar...algumas Metodistas, também.

A modernidade arquitetônica (tem algumas leis em cidades que dizem que não se pode levantar igreja com aparência "de igreja" em bairros residênciais) não pode influenciar no aspecto interior da mesma...essa tem que ter aspecto de igreja, com seus símbolos.

Só aproveitando a questão da cruz:

Várias pessoas com mentalidade legalista, ou que foram de formação católica, acham que protestante não pode usar corrente com crucifixo.

Pura besteira – é o mesmo princípio que citei acima, do simbolismo da cruz...

Uso corrente com crucifixo até quando jogo bola, só tiro pro banho...ela não tem nenhum “conteúdo espiritual”, não me “protege de nada”(quem o faz é Deus)...

E me faz lembrar, como símbolo, que não tô aqui de bobeira, um preço foi pago...

E tanto faz se o crucifixo é vazio ou se tem um Cristo na cruz...até o meu brinco tem cruz.

A Menorah

A Menorah (um candelabro de 7 pontas, usados no Templo antigo e nas sinagogas) é um símbolo bíblico:

A Menorah nos lembra os 7 Espíritos de Deus de Isaías 11.1-2:

“E então brotará um rebento do toco de Jessé, e das suas raízes um renovo (Jesus) frutificará.
E repousará sobre Ele o Espírito do Senhor (o Messias Jesus), o espírito de entendimento e conhecimento, o espírito de conselho e fortalecimento, o espírito de sabedoria e temor do Senhor...”

É um símbolo de significado espiritual muito profundo:

Podemos ter esses “sete espíritos de Deus” atuando em nosso dia a dia, conforme as circunstâncias...alguém já tinha falado disso pra você?

Não, por quê colocaram a Menorah apenas como “coisa de Judeu”, coisa do Velho testamento...

Engraçado é que a igreja atual se utiliza direto de coisas do “velho testamento”, no culto:

Batizar, tomar ceia, celebrar casamentos, recolher dízimos, apresentar crianças na Igreja, etc, tudo são práticas vindas do antigo testamento – Era tudo “coisa de Judeu”.

Por que ignoram a Menorah? Por que dizem que é “coisa de Judeu”?

É um utensílio que pode perfeitamente estar dentro de nossas igrejas, nos dias de hoje.

O Peixe

É outro símbolo pouco visto dentro de nossas igrejas, tem mais é em chaveirinhos ou adesivos de carro.

Antigamente, com a perseguição de Roma, os cristãos marcavam o símbolo do peixe numa madeira próximo ao encontro de onde seriam as reuniões, para ali se reunirem.

Ou quando queriam saber se um determinado grupamento de pessoas eram cristãs, desenhavam o peixe com o pé na terra.

Nos maiores milagres de Jesus, tinha peixe no meio;

Ele faz de nós “pescadores de almas”.

Mas o peixe sumiu como símbolo da igreja moderna...nem nos almoços da igreja, tem:

Sai mais barato fazer strogonoff de frango.

O Alfa e o Ômega

Este símbolo é em referência ao fato de Cristo ser o princípio e o fim de todas as coisas.

É a primeira e a última letra do alfabeto grego, Jesus disse que Ele era o alfa e o ômega, em Apocalipse 1.

Não vemos essas letras gregas mais em nossas greis, mas vemos termos em inglês, e a irritante termilogia gospel, com seus “tremendos e fogo caindo”, em tudo que é igreja.

A Candeia

Lampião de antigamente, Jesus é a nossa Candeia, pois Ele é luz. (Marcos 4.21)...nunca vi.

Cajado

Raramente vejo cajados em gabinetes pastorais, que cada vez mais parecem gabinete de executivos.

Dificilmente você vê um quadro cristão inspirativo dentro de um gabinete pastoral;

Dificilmente se vê uma pequena Menorah, ou uma Cruz;

Ou uma Mezuzá (É um pedaço de madeira ôca por dentro, normalmente tem cravado no lado de fora a letra ‘L' do alfabeto hebraico, que é a inicial de “El Shaday”).

Esta caixinha contém dentro dela escrito em hebraico o texto de Deuteronômio 6:4-9, que diz:

"Ouve oh Israel nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor Teu Deus de todo o seu coração, de toda a tua alma e de todas as suas forças... "

Dificilmente você vê num gabinete pastoral um cajado...

Tem igreja que dá chave, em posse de pastor, e não cajado...

Entre tantos outros signifificados, como liderança, cuidado, disciplina, defesa do rebanho, está o do salmo 23 – consolação...
E também não vejo, em ordenação de pastores, comissionamento de missionários, derramar óleo de dentro do pequeno shofar, o chifre do carneiro...como Samuel fez com Davi.


Você não vê em gabinete pastoral, quase nenhuma referência a criação do Chefe:

Uma quadro com uma montanha, ou algo da natureza...

Um vaso de plantas, aqui sim, regado dia a dia pelo Pastor...

Um aquário, com peixinhos, criação dele- e tão dependente da ração que ele joga, como dependemos de Deus para comer...

O gabinete de seu pastor diz muito sobre quem ele é, entre nele e sinta se tem a presença de Deus, e referência as coisas do reino de Deus.

Ou se tem muito mais coisas de homens:

Biblioteca abarrotada de livros;

Diplomas de graduações de “sabedoria humana”;

Certificados de congressos ou cursos “capacitórios”.

Fotos ao lado de cardeais da denominação e políticos influentes, foto de seu” padrinho ministerial”...

Preste atenção se ele tem foto da esposa (se for casado), ou não...alguns tiram quando recebem mulher...ou só deixam a dos filhos (de quem mais gostam);
E se ele não tem fotos da família, mas tem de outras pessoas, "aí tem ".

Preste atenção se o Pastor é por demais High-tech:

Certa vez, fui conversar com um assim e ele mal me olhou nos olhos:

Ficava o tempo todo controlando quem entrava e saía da igreja, pela camera de monitoração, direto seu computador instalado em sua mesa.

Outros se perdem na internet:

Ano passado, um foi destituído da igreja, aqui no Rio, após somente 8 meses á frente da mesma:

Acessava sites com vídeos pornôs, e certa vez esqueceu aberto...

Um membro entrou, viu, foi no histórico e viu que ele fazia isso quase todo o dia (em casa, não dava, a patroa tava lá).

Outros são viciados em chats e papos eróticos.

Ah, sim, alguns tem a Bíblia em suas mesas...

Alguns a lêem para si mesmos, outros, lêem desesperados, só para ter o que falar no domingo.
Lembre-se dessas coisas, quando entrar num gabinete pastoral:

Aquela sala, muitas vezes tão pequena, reflete como anda toda sua igreja.

Lee

Cada vez sinto mais um desejo de começar um trabalho,desde o nascedouro, sem esses vícios pré-estabelecido por convenções humanas, só por que “é assim que as coisas são”...

domingo, 18 de abril de 2010

De Gaiato no Navio



"Certo dia, o SENHOR Deus disse a Jonas, filho de Amitai:

Apronte-se, vá à grande cidade de Nínive e grite contra ela, porque a maldade daquela gente chegou aos meus ouvidos.

Jonas se aprontou, mas fugiu do SENHOR, indo na direção contrária.

Ele desceu a Jope e ali encontrou um navio que estava de saída para a Espanha.
Pagou a passagem e embarcou a fim de viajar com os marinheiros para a Espanha, para longe do SENHOR.

No entanto, Deus mandou um forte vento, e houve uma tempestade no mar. Era tão violenta, que o navio estava em perigo de se partir ao meio.

Os marinheiros ficaram com muito medo e gritavam por socorro, cada um ao seu deus.

E, para que o navio ficasse mais leve, jogaram a carga no mar.

Porém Jonas tinha descido ao porão e ali havia se deitado e caído num sono profundo.

O capitão do navio o encontrou ali e disse: Como é que você está aí dormindo? Levante-se e peça socorro ao seu deus. Pode ser que ele tenha pena de nós e não deixe a gente morrer.

Os marinheiros disseram uns aos outros: Vamos tirar a sorte para descobrir quem é o culpado de estarmos neste perigo. Eles fizeram isso, e o nome de Jonas foi sorteado.

Então lhe perguntaram: Agora diga: quem é o culpado de tudo isso? O que você está fazendo aqui? De onde você vem? De que país você é, e qual é o seu povo?

Eu sou hebreu respondeu Jonas, e adoro o SENHOR, o Deus do céu, que fez a terra e o mar .
Em seguida, Jonas contou que estava fugindo de Deus, o SENHOR. Aí os marinheiros ficaram mais apavorados ainda e disseram: Veja só o que você fez!

A tempestade piorava cada vez mais, de modo que os marinheiros perguntaram a Jonas: Que devemos fazer com você para que o mar se acalme?

Jonas respondeu: Vocês me peguem e joguem no mar, que ele ficará calmo. Pois eu sei que foi por minha culpa que esta terrível tempestade caiu sobre vocês.

Em vez de fazerem isso, os marinheiros começaram a remar com toda a força, tentando levar o navio para a praia; porém não conseguiam nada porque a tempestade piorava ainda mais.

Então oraram bem alto, assim: Ó SENHOR Deus, não nos castigues com a morte, por tirarmos a vida deste homem. Pois és tu, ó SENHOR, quem está fazendo isso, e o que está acontecendo é da tua vontade.

Em seguida, os marinheiros pegaram Jonas e o jogaram no mar, e logo o mar se acalmou.

Eles ficaram com tanto medo do SENHOR, que lhe ofereceram um sacrifício e lhe fizeram promessas.

O SENHOR ordenou que um grande peixe engolisse Jonas. E ele ficou dentro do peixe três dias e três noites." (Jonas, Capítulo 1)

Jonas tentou dar uma de gaiato (esperto) entrando num navio, pra fugir de sua missão...

Esse navio, ia na direção contrária a Nínive, aonde deveria, de fato, ir...

Sempre que a gente se desvia do propósito do Senhor, esse tipo de coisa pode acontecer.

Particularmente, esse texto mexe até com a questão do livre arbítrio...parece querer indicar o seguinte:

Você tem a opção do livre arbítrio de querer ou não seguí-lo? Sim.

Deus nunca vai obrigar ninguém a seguí-lo...

Mas parece surgir um enfoque muito forte, aqui:

Quem é Dele, não tem muitas opções de escolha...é como se recebesse sua missão específica, e tivesse que executá-la, igual fazemos com nossos exércitos aqui na terra.

Se o comandante der uma ordem, seus subalternos tem de executá-la...

Se seu patrão quiser algo de uma forma, você tem de fazer do jeito que ele quer...

Se o professor pede uma coisa na hora da prova, você ali não vai escrever que discorda da teoria, naquele momento..

Se não, pela ordem, você vai preso, demitido, ou tira zero.

Deus nessa história quer deixar uma coisa bem clara:

Quem se diz Dele, deve aprender a seguir sua direção.

Hoje em dia, vejo muita gente no navio (igreja) igual a Jonas:

Sem conceito de missão...sem obediência...fugindo Dele...

Dormindo, enquanto as tempestades acontecem...

Mas já que paga sua passagem (dízimo), ninguém pode falar nada...

Vejo gente na igreja, como se estivesse num cruzeiro da CVC:

Assistindo a animados shows (cultos);

Fazendo compras onde o navio para, ou nas lojas deste (mercadão evangélico);

Tomando banho de sol, e brincando na piscina (os retiros “espirituais” );

Tudo isso ao lado de nossos irmãos...ao lado de nossos “Jonas brothers.”

E muitos dos capitães desse navios, tão preocupados com o entretenimento dos passageiros- afinal, eles querem é que você “se divirta no navio”, pra falar bem dele...

E nunca verão os icebergs na frente, ou as tempestades, como aquele capitão viu:

O capitão do navio de Jonas, era muito mais consciente de sua missão, não só do que o próprio Jonas, mas como de boa parte dos capitães á frente de nossas igrejas de hoje.

Ele foi verificar o que estava acontecendo, o que poderia fazer;

Ele identificou o problema, que estava no porão (Jonas!);

Ele ordenou que Jonas se levantasse, e pedisse ajuda a seu Deus
(uma atitude espiritual se originou de quem menos se esperava!)

Os capitães de nossas igrejas, precisam aprender muito com esse capitão “ímpio”.

Jonas sabia que o problema, era ele...

Que a tempestade, era por causa dele...

A sorte dos marinheiros, era o azar de Jonas...ele foi “sorteado” como sendo o azarado.

Mas Jonas, ainda tinha vestígio de profeta nele...pediu pra ser jogado no mar...

E só quando o foi, parou a desgraça na vida dos outros ao seu lado.

Deus enviou um grande peixe – e em nosso imaginário imaginamos logo uma baleia...

Mas em garganta de baleia só passa cardumes- e aquele peixe engoliu Jonas.

Ali dentro, ele orou, pedindo perdão ao Senhor...e o peixe o cuspiu numa terra, provavelmente uma ilha.

E finalmente, decidiu ir a Nínive, onde pela sua palavra, transformou, na ocasião, a cidade.

Jonas aprendera com seu erro...seu sentido de missão, fora restaurado.

Temos dois Jonas distintos:

Um no início, fujão, e outro consciente de sua missão, ao final.

Em que “estágio de Jonas” você se encontra?

Quando a igreja aprender a ter sentido de missão, saber que isso não é opção, e sim uma ordem, muitas Nínives da vida serão alcançadas.

E enquanto não tiver o sentido de missão, será apenas mais um CVC turístico, com louvorzão “rebolation” para animar os Jonas brothers á bordo.
Lembre-se:

Sua vida pode estar uma droga, e afetando negativamente a vida dos outros ao seu lado...

Se você estiver fugindo Dele.

Lee

Na Sessão Revival, os Paralamas também entraram de gaiatos no Navio:

http://www.youtube.com/watch?v=xWJ71vydxBw


quinta-feira, 15 de abril de 2010

Quem me Tocou?


Veja a diferença entre uma multidão que seguia a Jesus, e apenas uma mulher no meio dela:

"E uma mulher, que tinha um fluxo de sangue, havia doze anos, e gastara com os médicos todos os seus haveres, e por nenhum pudera ser curada,
Chegando por detrás dele, tocou na orla do seu vestido, e logo estancou o fluxo do seu sangue.
E disse Jesus: Quem é que me tocou?

E, negando todos, disse Pedro e os que estavam com ele:

Mestre, a multidão te aperta e te oprime, e dizes: Quem é que me tocou?

E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude.

Então, vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se tremendo e, prostrando-se ante ele, declarou-lhe diante de todo o povo a causa por que lhe havia tocado, e como logo sarara.

E ele lhe disse: Tem bom ânimo, filha, a tua fé te salvou; vai em paz. (Lucas 8.43 a 48)

Às vezes, fico pensando como nos comportamos exatamente como essa multidão:

Seguimos, acompanhamos, e até esbarramos em Jesus, mas não tocamos Nele.

A mesmice, de tão mesma, torna-se fato comum...

Pedro tinha razão, numa lógica humana total, numa situação em que todos estavam do mesmo jeito em relação a Jesus:

Mestre, tem uma muvuca em cima de você, te amassando, como é que você pergunta isso?”

O problema é que toda muvuca em cima Dele não conseguiu uma coisa que só uma mulher (sempre elas), conseguiu:

Tirar virtude Dele.

Essa mulher recebeu graça...foi curada.

Essa mulher, que parecia apenas ser mais uma na multidão, tinha fé Nele.

Ela não foi atrás do Jesus popstar;

Ela não foi atrás do Jesus da religião.

Ela poderia ter ficado em casa, já que era naturalmente enfraquecida.

Nós homens nunca vamos entender a dor dela...

As mulheres, sim:

Imagine uma mulher menstruar continuamente todos os dias por 12 anos.

Isso num tempo em que não haviam absorventes...era tudo no pano.

Na lógica de Pedro (sempre ele) todos estavam tocando Jesus...

Mas de fato, só uma pessoa, naquela muvuca, fazia isso com fé, e recebeu graça.

Hoje em dia, muitas vezes somos como aquela multidão em volta Dele:

Estamos em volta, esbarramos, mas jamais o tocamos...

Conseguimos fazer isso sempre da maneira religiosa que representa a muvuca em cima:

São cultos, são estudos bíblicos, são seminários, são ministérios, são campanhas de oração, são encontros de poder, são expectativas distorcivas de milagres, são estudos profundos sobre Deus, são missões e muitas missões...

Programações especiais, em dia disso, dia daquilo, mês disso, mês daquilo, culto cantado, culto falado, culto pulado, culto de mulher, de criança, de velho, de teens, culto jovem...

Muita gente tenta tocar Nele através dessas coisas...

E continuam no mesmo bagaço espiritual...

Continuam num vazio tremendo de alma, mesmo tentando exercitar a mesma numa das várias academias da alma existentes.

E não falamos pra ninguém, pois podem pensar que somos “pecadores”.

Isso, é porque estamos no raciocínio de Pedro – estamos no cotidiano, no algo “comum.”

Jesus sentiu o “anormal”, o fora do comum, do cotidiano de empurra-empurra, quando alguém lhe tocou, de verdade.

Quando foi a última vez que você tocou, de fato, Nele?

Aliás, você já tocou Nele alguma vez?

Lee

Na Sessão Revival, assim como aquela mulher, todos esperamos Dias Melhores:

http://www.youtube.com/watch?v=RX_SCap890s

quarta-feira, 14 de abril de 2010

A Menina, O Comandante, O Profeta, e o Olho Grande

A Menina Israelita soube do problema, e o indicou ao Profeta
Naamã obedeceu, e foi curado


Nossa historinha de hoje é muito interessante, e tem 4 personagens com atitudes diferentes..marquei alguns detalhes, pra facilitar.

“Naamã, o comandante do exército da Síria, era muito respeitado e estimado pelo rei do seu país porque, por meio de Naamã, o SENHOR Deus tinha dado a vitória ao exército dos sírios.
Ele era um soldado valente, mas sofria de uma terrível doença da pele.

Num dos seus ataques contra Israel, os sírios haviam levado como prisioneira uma menina israelita, que ficou sendo escrava da mulher de Naamã.

Um dia a menina disse à patroa: Eu gostaria que o meu patrão fosse falar com o profeta que mora em Samaria, pois ele o curaria da sua doença.

Então Naamã foi falar com o rei e contou o que a menina tinha dito.

E o rei ordenou: Vá falar com o rei de Israel e entregue esta carta a ele.
Então Naamã saiu, levando uns trezentos e cinqüenta quilos de prata, e uns setenta quilos de ouro, e dez mudas de roupas finas.

A carta que ele levava dizia assim: Esta carta é para apresentar Naamã, que é meu oficial. Eu quero que você o cure.

Quando o rei de Israel leu a carta, rasgou as suas roupas em sinal de medo e exclamou:

“ Como é que o rei da Síria quer que eu cure este homem? Será que ele pensa que eu sou Deus e que tenho o poder de dar a vida e de tirá-la? Ele está querendo briga!”

O profeta Eliseu soube do que havia acontecido e mandou dizer ao rei: Por que o senhor está tão preocupado? Mande que esse homem venha falar comigo, e eu mostrarei a ele que há um profeta em Israel!

Então Naamã foi com os seus cavalos e carros e parou na porta da casa de Eliseu.

Eliseu mandou que um empregado saísse e dissesse a ele que fosse se lavar sete vezes no rio Jordão, pois assim ficaria completamente curado da sua doença.

Mas Naamã ficou muito zangado e disse: Eu pensava que pelo menos o profeta ia sair e falar comigo e que oraria ao SENHOR, seu Deus, e que passaria a mão sobre o lugar doente e me curaria!

Além disso, por acaso, os rios Abana e Farpar, em Damasco, não são melhores do que qualquer rio da terra de Israel? Será que eu não poderia me lavar neles e ficar curado? E foi embora muito bravo.

Então os seus empregados foram até o lugar onde ele estava e disseram:
Se o profeta mandasse o senhor fazer alguma coisa difícil, por acaso, o senhor não faria?
Por que é que o senhor não pode ir se lavar, como ele disse, e ficar curado?

Então Naamã desceu até o rio Jordão e mergulhou sete vezes, como Eliseu tinha dito.
E ficou completamente curado. A sua carne ficou firme e sadia como a de uma criança.

Depois ele voltou com todos os seus homens até o lugar onde Eliseu estava e disse:
Agora eu sei que no mundo inteiro não existe nenhum deus, a não ser o Deus de Israel. Aceite um presente meu, por favor.

Eliseu respondeu: Juro pelo SENHOR, o Deus vivo, a quem sirvo, que não aceitarei nenhum presente.

Naamã insistiu com ele para que aceitasse, mas ele não quis.

Eliseu disse: Adeus! Boa viagem!

Geazi, o empregado de Eliseu, começou a pensar: O meu patrão deixou que Naamã fosse embora sem pagar nada. Ele devia ter aceitado o que o sírio estava oferecendo.

Juro pelo SENHOR, o Deus vivo, que vou correr atrás dele e receber alguma coisa!

Então Geazi saiu correndo. Quando Naamã viu que um homem vinha correndo atrás dele, desceu do carro e perguntou: Aconteceu alguma coisa?

Não! respondeu Geazi. Mas o meu patrão mandou dizer que agora mesmo chegaram dois membros de um grupo de profetas da região montanhosa de Efraim. Então ele gostaria que o senhor desse a ele uns trinta quilos de prata e duas mudas de roupas finas.

Naamã disse: Por favor, leve sessenta quilos de prata. E insistiu com ele. Então pôs a prata em dois sacos, entregou a prata e as duas mudas de roupas finas a dois dos seus empregados e mandou que eles fossem na frente de Geazi.

Quando eles chegaram ao morro onde Eliseu morava, Geazi pegou os dois sacos e carregou-os para dentro de casa.
Depois mandou embora os empregados de Naamã,entrou em casa de novo e foi falar com Eliseu.

Este perguntou: Onde é que você foi? Eu não fui a lugar nenhum! respondeu Geazi.

Mas Eliseu disse: O meu espírito estava com você quando aquele homem desceu do carro para falar com você. Esta não era ocasião para você aceitar dinheiro e roupas, plantações de oliveiras e de uvas, ovelhas e gado ou empregados e empregadas.

Portanto, a doença de Naamã vai pegar em você, e os seus descendentes a terão para sempre.
Quando saiu dali Geazi tinha pegado a doença, e a sua pele estava branca como a neve. “
(II Reis 5. 1 a 27)

Como disse lá em cima, são 4 personagens que chamam a atenção:

A menina Israelita

Essa menina, era prisioneira de um ataque Sírio a Israel, feito provavelmente pelo próprio Naamã, que era um General Sírio.

Ela tinha tudo para odiar seus senhores, pois foi feito escrava...mas não:

O temor do Senhor tinha entrado em seu coração desde cedo, e ela, ao descobrir que seu patrão tinha provavelmente lepra, procurou sua patroa.

Ela disse que sabia de alguém em sua terra que podia curá-lo...

A compaixão da menina, veio através de sua formação no lar, dada por seus pais, provavelmente, em particular, sua mãe.

Ora, que menina nessa idade sabe sobre cura divina, a não ser que tenha escutado a respeito?
Que menina nessa idade teria como referência um profeta de Deus, a não ser que tenha escutado falar de suas histórias, através de sua mãe - na época em que ainda estava em sua casa?

Por isso digo: Mãe, ensine sobre Deus para seus filhos...fale sobre Ele.

Digo mãe, pois não me iludo, sei que a maioria das mulheres tem muito mais interesse nas coisas espirituais do que os homens...

São as mulheres que levam os homens para a igreja... que os arrastam da cama no domingo...

Foram elas que ficaram até o final na cruz, e que foram ao sepulcro...

Por isso que foi para elas, em primeiro lugar, que Jesus apareceu ressuscitado.

Mães tem que ensinar sobre Deus a seus filhos, como a mãe daquela menina, em casa.

Mulheres não eram consideradas nem em contagens de frequência, nos templos daquela época...por isso aquela educação foi em casa.

Sei que as “tias da igreja” se esforçam bastante (né Siomara? né Calandrini?), mas as crianças só vêem elas uma vez na semana, aos domingos...

Enquanto a mãe vê todo dia...ensine seu filho sobre as coisas do Chefe, você vai se surpreender com ele/a - ainda criança.

Deus se aproveitou das circunstâncias contrárias, pela fé de uma menina.

Naamã

Primeiro, é interessante ver que um General obedeceu uma menina - e que era apenas sua “criadinha” de terra estranha...só Deus é capaz de fazer isso.

Segundo, o conflito do racional, contra o elemento espiritual:

Pra que ter que se banhar no Jordão – e sete vezes - se os rios de Damasco eram muito melhores e mais famosos?

Era mais ou menos como se fosse o belo rio Nilo, contra o rio Tietê...qual vc prefere?

Vencido o conflito espiritual, ele obedeceu, e foi curado.

Um general inimigo de Israel, passou a adorar ao Senhor...por causa de uma menina, e ao obedecer um Profeta Dele.

Eliseu

O que mais me chama atenção é sua atitude diferenciada, deixando bem claro a marcação do espaço divino, versus a condição humana.

Veja, Eliseu poderia aceitar o dinheiro (trocando aquilo tudo, dava muita grana).

Mas a percepção espiritual naquele instante foi de dizer que:

Não se consegue graça divina mediante pagamento de qualquer espécie.

Por isso ele reclamou com Geazi depois, dizendo que “não era momento praquilo”.

Para Naamã, aquilo era absolutamente normal...para Eliseu, não, pois além de tudo, era uma “didática espiritual”.

Se fosse com vários pastores de hoje, esses arriariam suas calças pra botar toda prata nas cuecas, já que não caberia tudo nos bolsos...como temos visto por aí.

Teriam bajulado o Rei, o General, e todos os políticos, como fazem...

Observe também a atitude de Eliseu, orientando na cura de um cara que invadiu seu país, levou cativo pessoas...que compaixão...

Tem pastor até hoje em púlpito que chama "os de fora" de ímpios e gentios, “pois tá na Bíblia”.

Elias era tão cheio de unção, que até seus ossos, quando tocaram um morto, fez revivê-lo:

“E sucedeu que, enterrando eles um homem, eis que viram um bando e lançaram o
homem na sepultura de Eliseu; e, caindo nela o homem e tocando os ossos de Eliseu, reviveu e se levantou sobre os seus pés." ( II Reis 13.21)

Geazi

O olho grande...nunca foi interessado em coisas espirituais, só era mais um curioso, mesmo ao lado de um dos profetas que fazia milagres espetaculares...

Hoje, tá cheio de Geazis pastores, e poucos Eliseus...

A repreensão que ele levou de Eliseu – quebrando a" didática espiritual” desse, veio seguida de uma sanção divina...ele que ficou com a doença de Naamã, e seus genes.

Que é um ensinamento válido para todos, até hoje:

Quem se diz Dele e aceita dinheiro e bens em troca de favores espirituais, supostos milagres, favores políticos, poderes humanos, não passa de um doente.

Lee

terça-feira, 13 de abril de 2010

Avivamento Espiritual - Muito Falado, mas pouco Conhecido de Verdade

A Igreja na Roça
Igreja na Roça depois do Avivamento


Leonard Ravenhill, em seu clássico livro “Por quê tardam os avivamentos”, deu sua definição do que é avivamento:

“Avivamento, é quando Deus se revela”.

Domingo passado, eu disse aqui que Jesus não precisa de propaganda...

De que Ele mesmo, conduziria as pessoas para onde houvese evangelho sadio...

De que, ao contrário de nossas propagandistas igrejas e televangelistas, ela não é necessária...
Igreja cheia de gente não é sinal de avivamento...

Igreja cheia do poder, graça e misericórdia Dele, sim.

Veja o exemplo moderno abaixo e tire suas conclusões.

“No ano de 1996 o fogo pegou na cidade de Smithton, Missouri, EUA, uma cidade com uma população de apenas 532 pessoas.

Steve Gray, o pastor da igreja Smithton Community Church, tinha passado tempos difíceis e estava abatido e desanimado, pensando até em sair do ministério.

Como uma última esperança, ele resolveu tirar duas semanas de férias e visitar o avivamento de Brownsville, em Pensacola.

Quando ele voltou para sua pequena congregação, no dia 24 de março de 1996, o avivamento caiu:

Daniel Gray, enquanto refletia naquela noite e os eventos gloriosos que a seguiram, disse:

Deus explodiu naquela pequena igreja e afogou a mentalidade Pentecostal tradicional dos seus membros no rio de poder e energia.

Antes de qualquer um poder entender o que acontecia, a igreja estava pulando literalmente! Não só uma figura de linguagem.

A congregação inteira estava pulando para cima e para baixo ao louvor poderoso que tinha se levantado.

Nos próximos quatro anos, mais que 250.000 mil pessoas, de todos os estados dos EUA e cinquenta países do exterior, tinham visitado aquela pequena igreja na roça.

Muitas pessoas tiveram encontros poderosos com a pessoa do Espírito Santo, com muito quebrantamento, cura e manifestões de sua presença.

Em março de 2000 a igreja fechou na cidade de Smithton e se mudou para o metrópole de Kansas, onde o cultos de reavivamento recomeçaram em uma grande tenda em junho daquele ano.
A igreja agora se chama a World Revival Church (a Igreja do Avivamento Mundial), e conta com uma escola de missões e uma rede de avivamento. "

Cabe a você agora distinguir o que é avivamento, e não é...

É o que a gente tem visto por aí, ou o exemplo de cima?

E o que fazer para tê-lo?

Simples...seguir o evangelho pura e simplesmente...sem mecanismos de religião...

Veja como o líder disse que a primeira coisa a cair foi a mentalidade religiosa...

A formalidade caiu...americanos, em geral, são frios e formais...aquilo foi por terra...

E ter a mentalidade de Cristo:

Em todos os exemplos que Ele deixou, nas situações de vida.


Lee

domingo, 11 de abril de 2010

A Natureza Gemeu, a Pedra Rolou, e Nada Mudou


"Sabemos que toda a natureza criada geme até agora, como em dores de parto." (Romanos 8.22)
A natureza grita, e deixa bem claro os seus sinais de angústia.

O Rio sentiu isso bem na pele na última semana...

A maior chuva dos últimos 44 anos por aqui, nos serve de reflexão...

Até agora, 223 mortos, 40 mil desabrigados...dentre os mortos, pelo que soube de manhã, tinham 5 pessoas diretamente ligadas a minha igreja.

É fácil culpar a chuva...mas vamos pensar:

Se a chuva é parte cotidiana da natureza- se sabemos que existe chuva, o que fazemos para escoá-la, mesmo se vier em forma dobrada, como veio?

O problema aqui no Rio, envolve 3 classes de pessoas:

Empresários, Políticos e População.

Os Empresários, por que suas empresas ao longo dos anos, não desenvolveram uma técnica para eliminar seu lixo:

A grande maioria, por anos a fio, joga tudo em rios que desembocam na Baía de Guanabara, uma das mais poluídas do mundo.

Os Políticos, pois aqui no Rio, nossas galerias fluviais, são dos anos 60, bem pequenas em seu diâmetro...

Vi um tampão de bueiro aqui na Tijuca, onde estava escrito que o Rio ainda era capital do Brasil...

Sabe como é, galeria não dá pra inaugurar tirando foto e cortando fita, como político gosta...só de um ano pra cá, bem poucas foram trocadas.

E a população, que é muito porca, jogam papel na rua- de picolé a pedaços de jornais e garrafas pet- descendo tudo para os minúsculos bueiros, que claro, entopem.

O descaso dos políticos, como visto no morro em Niterói, vem de anos...agora, querem “assentar” 18 morros em áreas de risco, aqui no estado...

Vão assentar só se for na calçada...não tem lugar para mandá-los, e ainda vão fabricar é mais mendigos, se fizerem isso:

A política de prevenção de acidentes, de assentamento aqui no estado é zero, nesse sentido.

Esse foi o preço de moradores invadirem a mata, destruindo-a, para criar barracos...

Moradias que os políticos deveriam criar, em locais adequados,como só agora tardiamente no PAC...

A natureza gemeu- esse tipo de terra, não pode ser invadida: Jesus ensinou isso.

"Todo aquele, pois, que houve estas minhas palavras e as põe por obra assemelha-se a um homem sensato que edificou sua casa sobre rocha.

Desabaram aguaceiros, transbordaram os rios, sopraram os vendavais e deram de rijo contra a casa; mas ela não caiu porque estava construída sobre a rocha.

E todo aquele que houve estas minhas palavras e não as põe por obra, parece-me com um homem insensato que edificou sua casa sobre areia.

Desabaram aguaceiros, transbordaram os rios, sopraram os vendavais, dando de rijo contra essa casa, e ela caiu, e foi grande a sua queda.” (Mateus 7.24 a 28)

Dizem que esse é o texto favorito dos arquitetos...não se pode enfrentar a natureza, ir de encontro a ela.

Fazer barraco em local que era lixão...deixar com que gente não instruída fizesse isso, é omissão, no caso, dos políticos.

Alías falando neles, quero aqui deixar duas observações:

Porquê que quando tem desgraças lá fora, como no Haiti, no Chile, o Lula vai visitar, e aqui no Brasil, não?

É mais fácil o Lula visitar vítimas de desgraças na China, do que no seu próprio país...

E porquê o Prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira, se escondeu, só aparecendo muito tardiamente, por pressão da imprensa, pois estava” pegando mal”?

A mesma coisa a Aparecida Panisset, Prefeita de São Gonçalo...

Ora, até o governador do estado fica lá todos os dias, verificando o trabalho, consolando moradores...

Podem falar o que for, e só Deus conhece o coração, mas ninguém pode falar nesse sentido do governador Sérgio Cabral.

Ser prefeito de gabinete, chegando depois do meio-dia, e saindo antes das cinco, é mole.

Creio que o povo de Niterói deve dar uma resposta ao seu prefeito, nas eleições (ele tentará reeleição).

Enfim, enquanto os homens (a população, os empresários, os politícos) não se conscientizarem que natureza é vida- e esta geme, se revolta, essas cenas vão acontecer:
Nada vai mudar, e as pedras vão continuar rolando.

Jesus ensinou que temos que ter técnicas para nos adequarmos e respeitarmos a natureza..

Quando é que o homem vai aprender isso?

Lee

Na Sessão Revival, bem que Leó Jaime avisou -Nada Mudou:


Kiko Zambianchi, com Rolam as Pedras:
http://www.youtube.com/watch?v=Nj5kDkPj8d4

Um Jesus Anti- Marketing


Certa vez Jesus estava numa cidade onde havia um homem que tinha o corpo todo coberto de lepra.

Quando viu Jesus, o leproso se ajoelhou diante dele, encostou o rosto no chão e pediu:

Senhor, eu sei que o senhor pode me curar se quiser!

Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: Sim! Eu quero. Você está curado. No mesmo instante a lepra desapareceu.

Então Jesus lhe deu esta ordem:

Escute! Não conte isso para ninguém, mas vá pedir ao sacerdote que examine você.

Depois, a fim de provar para todos que você está curado, vá oferecer o sacrifício que Moisés ordenou.

Mas as notícias a respeito de Jesus se espalhavam ainda mais, e muita gente vinha para ouvi-lo e para ser curada das suas doenças.

Porém Jesus ia para lugares desertos e orava.” (Lucas 5. 12 a 16)

As pessoas ligadas ao universo cristão de hoje em dia, tratam Jesus igualzinho ao que está na foto acima:

Como se Ele adorasse publicidade...como se procurasse semprer estar em propaganda...

Como se quisesse sempre estar em evidência...como se fosse um Marketeiro.

Infelizmente, o errado se tornou uma prática, que de tão massiva, parece que é a correta:

Banners, camisas, adesivos, e tudo o que se relaciona com o nome Dele, é anunciado, estampado, negociado, numa das propagandas com nome de uma só pessoa com a maior divulgação e exploração que se tem na história.

Confundiram o Ide e pregai o evangelho a todos, trocando- o por um “Ide e fazei propaganda de mim”.

E vários, por um “Ide e lucrai com o meu nome”.

Assim, no primeiro caso, em vez de pregar o evangelho, que é acima de tudo vivência (ora, se é “boa nova”, tem que ter algo bom, em primeiro lugar, para o próprio pregador) faz-se propaganda.

E com a propaganda, Jesus se dilui...

Na propaganda, Jesus se torna mais um caminho, e não O caminho...

Pois na propaganda que se faz nos programas de TV, que custam caro, o objetivo não é pregar o evangelho pura e simplesmente:

É fazer propaganda da própria igreja, da qual Jesus é um mero “garoto-propaganda”.

Você nunca vai encontrar alguém dizendo “procure uma igreja próxima de você”, ao final do programa, e sim:

Procure a nossa igreja, ou “filial” dela.

Você talvez ache isso comum, ou normal - eu disse que o errado, de tão divulgado, toma o caráter de correto – mas não é assim com Jesus...e nem com o evangelho.

É assim entre os homens...quem banca, quer retorno – assim é a propaganda.

Jesus foi completamente anti-marketing em suas ações...

No texto acima, Ele curou um leproso, e contra tudo o que a gente vê na tv de hoje, pediu sigilo:

Não fez da cura, um espetáculo.

Pediu que se seguisse a regra de então, se apresentar ao sacerdote, conforme a lei de Moisés.
Hoje, nos “shows da fé” da TV (e é isso que é, apenas show, de todas as denominações), faz-se da cura um espetáculo, tem entrevistas com demônios, antes de expulsá-los...é um circo gospel.

Ora, o que é natural, acontece:

Mesmo Jesus tentando ser discreto, vinham para ouví-lo, e para serem curados.

Numa igreja “natural”, com evangelho sadio, tudo acontece naturalmente:

As pessoas se achegam a esta, seja “in loco” ou via internet, sem propaganda.

Simplesmente, ficam sabendo de maneira natural, Deus faz com que se acheguem até aquilo que Ele considera natural, e aonde Ele está.

Jesus ia para lugares desertos...queria e precisava ficar só, se abastecer, meditar e orar.

Pois só quem faz isso, e prega o evangelho, é que consegue transmitir algo para as pessoas...
Hoje, uma leva de pregadores vive na mídia, vivem de congresso em congresso...

Algum tempo atrás, um pregador que tinha muita evidência entre os jovens- os jovens adoram gente em evidência , inclusive pregadores, mesmo que sejam vazios – disse,orgulhoso:

Já preguei em 52 congressos esse ano”...era um mês de outubro, e ele disse isso ao receber um novo convite, de um teen de uma igreja aqui perto.

Em fevereiro desse ano, esse pregador carioca foi convidado a se retirar de sua própria igreja, por tentar trazer a maluquice do G12 para a mesma...

Uma forma de tentar compensar a diluição de suas mensagens, pois sua audiência dominical caíra drásticamente, ao mesmo tempo em que era um “orador requisitado”.

Quase sempre repetia a mesma mensagem batida em locais diferentes, mas em sua própria igreja, não dá pra fazer isso todo domingo.

Jesus era requisitado de maneira drástica – no texto, o leproso se ajoelhou diante Dele, e encostou o rosto no chão;

Hoje, os astros da evidência gospel, pastores e cantores, são bajulados, idolatrados, comprados por polpudos cachês para se apresentarem.

O leproso queria a cura para sua lepra (hoje chamada Hanseníase);

A igreja moderna, fica mais leprosa a cada prática bajulatória com os pastores e cantores da moda.

Ser assediado não é problema:

Jesus era, sabia disso, dava atenção, ficava sem comer, segurava crianças, perdia horas atendendo o povo, ensinando, curando , expulsando demônios.

Ele sabia que muita gente ia vê-lo, ás vezes, só por curiosidade.

Creio mesmo que se fosse hoje, não se importaria com fotos ou autógrafos:

Na época não tinha isso, mas todos ficavam em cima, e ele parou só para atender as crianças, certa vez, mesmo com seus discípulos tentando impedí-las.

Mas Ele estava absolutamente convicto de sua missão:

Não se vendeu por dinheiro;

Não quis ser libertador político (Roma dominava o mundo);

Não se dobrou a religião distorcida, farisaica, da época, condenando-a.

Ele sabia que para o sucesso dessa missão, precisava estar em contato com o Pai:

E mesmo sendo um “evidente”, saía pra locais desertos, muitas vezes bem cedo, com os seus discípulos dormindo, para se abastecer espiritualmente.

Só se abastece alguém- seja na igreja, seja na tv- quem é abastecido por Deus.

Só se abastece alguém, quem é cheio do evangelho no coração.

O resto, é se utilizar do nome Dele pra fazer propaganda.

Lee


sexta-feira, 9 de abril de 2010

Um Jesus Teen no meio dos Doutores


O menino crescia e ficava forte; tinha muita sabedoria e era abençoado por Deus.

Três dias depois encontraram o menino num dos pátios do Templo, sentado no meio dos mestres da Lei, ouvindo-os e fazendo perguntas a eles.

Todos os que o ouviam estavam muito admirados com a sua inteligência e com as respostas que dava.

Então Jesus voltou com os seus pais para Nazaré e continuava a ser obediente a eles. E a sua mãe guardava tudo isso no coração.

Conforme crescia, Jesus ia crescendo também em sabedoria, e tanto Deus como as pessoas gostavam cada vez mais dele. “ (Lucas 2. 40a 52, editado)

Isso tudo aconteceu quando Jesus era teen: Ele tinha 12 anos.

Ao contrário dos quadros religiosos em que vemos sempre um Jesus com cara de coitado, ou sisudo, ele foi um adolescente perfeitamente normal...

Como foi em sua condição humana...

Vemos um Jesus participando de festas, como a da Páscoa, e em casamentos, onde sempre houve muita dança...

Vemos um Jesus que bebia vinho, mas não se embriagava...

Talvez como teen, tenha ido as praias de Nazaré, nem que fosse a passeio...

Aprendeu carpintaria na oficina caseira do pai terreno, José...

Mas desde teen, estava absolutamente convicto de sua missão...

Se você ler o texto inteiro, vai ver que Maria, preocupada como mãe, foi dar um “sabão” nele, pela sua “sumida”...

Jesus na ocasião falou como Deus, tratando logo de “enquadrá-la”...

Por isso, mais tarde, o texto diz que ela “guardou isso no seu coração”.

Quem dera se os teens que se dizem cristãos hoje, dessem sumidas como as do teen Jesus:

Foi localizado na igreja...Ele responde a Maria, depois de “enquadrá-la”:

“Ué? Você nunca pensou que eu poderia estar aqui, na casa do meu Pai?”

Os teens de igreja hoje, até mesmo na católica, tem uma coisa que não tinnha há 10, 15 anos atrás:

Gente pra trabalhar com eles...pra ficar com eles...acampamentos especializados pra faixa etária...

Uns congressos um tanto quanto duvidosos, mas vai lá, também tem.

Antigamente, não havia nada disso, aliás, nem culto infantil tinha:

A gente tinha que assistir (e não entendíamos nada) culto com os adultos, com linguagem rebuscada, tipo português de Camões...era horrível.

Na minha fase teen, até o final dela, vi brincando mais de 50 adolescentes largarem a grei...

Então, nesse contexto, imagine Jesus teen entre os Mestres da lei, no templo...

Tinha tudo pra ser chato...enfadonho...

Mas Ele deixou a todos perplexos...explicava os livros dos Profetas...perguntava...

Fazia a aplicação espiritual , de maneira que muitos doutores só ouviram aplicações daquilo que tanto estudavam, e não entendiam, por um teen de 12 anos.

Os teens de hoje, estudam muito desde os 12 anos, em suas escolas...

Muitos fazem cursos de idiomas, etc...

Dos 17 ao 20, aquele terror do vestibular...

Muitos teens sabem muita coisa na ponta da língua:

Mas vários deles, não sabem sequer explicar alguma coisa simples da Bíblia, tanto para um colega cristão, ou para alguém “de fora”, sem nenhum conhecimento bíblico.

Tudo isso, apesar dos congressos, acampamentos “capacitórios”, das variadas Bíblias teens, e das músicas do “louvorzão”.

Muitos, acham mico falar de evangelho, morrem de vergonha, ás vezes até de assumir que são...

Mas não ficam com vergonha de falar de camisinha, de evitar gravidez ao transar, de lerem as Caprichos e inúmeras outras revistas teens da vida, de comentar o significado da cor das pulseirinhas com os outros...

Essas pulseiras idiotas nada mais são do que uma versão pesada da "salada mista" de antigamente...acham mesmo que é novidade?

A gente não precisava "de cor" pra dizer o que queria.

Jesus teen foi ao templo, debateu, impressionou e ganhou a simpatia de todos:

Ele ganhou a simpatia, bancando o que Ele era, e não ficando com vergonha do evangelho, achando que pagaria mico por estar entre especialistas.

Jesus teen tem muito a ensinar pra gente...


Tanto pra teens, quanto pra marmanjo velho.



Lee