domingo, 6 de fevereiro de 2011

É Certo Dizer que Deus Escolheu Alguém Para Cada Pessoa?

Ela "esperou em Deus o Homem Perfeito"


E chamaram a Rebeca, e disseram-lhe: Irás tu com este homem? Ela respondeu: Irei.



E Isaque trouxe-a para a tenda de sua mãe Sara, e tomou a Rebeca, e foi-lhe por mulher, e amou-a.



Assim Isaque foi consolado depois da morte de sua mãe”. (Gênesis 24. 58,67)



A Síndrome do Príncipe e da Princesa Encantada atinge a quase todos:



Culpa da Disney...seus desenhos semeiam desde cedo, especialmente no coração de meninas sonhadoras, a esperança de encontrar um príncipe encantado, no futuro.



Você duvida? Converse com elas...



Na Igreja, a versão do príncipe ou princesa encantados, tem outro nome, ou melhor, uma frase muito comum:



Deus separou uma pessoa para você”.



Se alguém é de um círculo pentecostal, por exemplo, a frase sofre uma variação:



Deus “separou um varão pra você”, se for mulher;



Deus “separou uma varoa para você”, se for homem.



Mas afinal, é certo dizer que Deus separou alguém para outra pessoa?



Existe um roteiro divino pré - estabelecido para isso?



É ele quem escolhe, independente de nossos gostos e vontades?



A Única vontade de Deus para as nossas vidas, claramente expressa no Novo testamento, é a seguinte:



Que cresçamos na graça e no conhecimento de Cristo ( 2 Pedro 3.18)


Dizer que Ele estabeleceu alguém para viver ao nosso lado, faz parte de uma presunção muito grande, muito comum no meio cristão de nossos dias.



Quem defende esta tese, endossa a idéia de um Deus com roteiro definido para cada pessoa, como se fôssemos parte de um seriado da vida real;



Quem pensa desta forma, faz pensar que fomos destinados a algo já pré estabelecido por Ele, e acaba entrando em neurose ou paranóias comuns que seguem a isso:



Uma espera doentia por alguém que não vai aparecer -quem disse que ia aparecer, foi o Pastor ou o Padre;



Uma precipitação, geralmente terminada em casório frustrado, pois a pessoa pensou que o primeiro que apareceu na frente dele ou dela, era o “separado por Deus”;



A frustração por alguém não ter aparecido – remetida a Deus, que não teve nada com isso, e não frustração com o Pastor ou o Padre, prometedor de algo infundado;



A frustração por alguém ter aparecido – Mas na verdade, o príncipe era um sapo, e a princesa, virou uma bruxa velha- e pra piorar, agora estão casados;



A paranóia da procura por campanhas que visam a “ativação da promessa divina”:



Vigílias, novenas, correntes, cultos de oração, subir ao monte, jejuns, fazer promessas;



Queimar bilhetinho com o nome na fogueira santa (muito comum em acampamentos);



Ungir fotos- seja a própria, ou do pretendente, na igreja - além de outras loucuras.



Sabe o que é mais curioso de tudo?



Numa simples lida nos evangelhos, as pessoas veriam que nem para seguí-lo, Jesus forçava a barra.



Ia com ele, quem queria fazer isso.



A pessoa seguia- e continua seguindo, pela sua própria vontade.



Foi o que aconteceu com Rebeca, no texto acima:


Ela não era obrigada a ir com o servo de Abraão, que foi mandado por seu patrão para procurar uma esposa para seu filho Isaque, em outra cidade.



Mas ela aceitou ir...ela quis ir -poderia não querer.



Mas por vontade própria, foi.



Da mesma forma, funciona conosco:



Escolhemos alguém, por vontade própria.



Não por que “Deus escolheu” - Ele não escolhe.



Não por que o Pastor mandou - Ele não manda em nada.



Escolhemos por nossa vontade.



Da mesma forma que escolhemos nosso emprego, nossa casa para morar, nosso carro;


Nossa roupa, nossos amigos, nosso time, nosso prato favorito, nossas músicas favoritas, a cidade aonde vamos viver, aonde vamos estudar, o filme que vamos assistir.



Deus não escolhe essas coisas – somos nós quem escolhemos, através de nosso gosto pessoal – o mesmo vale para relacionamento afetivo.



Pensar que Deus “separou alguém” para estar ao nosso lado, é um engano, uma falácia das mais comuns, existentes hoje em dia.



TENHA BOM SENSO, E ESCOLHA UMA PESSOA COMPATÍVEL A VOCÊ.



Lee