quinta-feira, 12 de maio de 2011

Katy Perry e a Repressão Religiosa de seus Pais


Katy Perry é uma das atrações do Rock in Rio 4:


Ela vai cantar no primeiro dia do festival.


Nunca ouvi uma música dela, mas uma entrevista que ela concedeu a Vanity Fair do ano passado, me chamou a atenção:


Nela, Katy queixou-se de não ter tido infância, pois seus pais, pastores evangélicos, só lhe permitiam ler a Bíblia e proibiam qualquer alusão ao demônio.


Isso sem falar de coisas banais de uso cotidiano, mas que se tivessem qualquer alusão ao capeta, era imediatamente vetado:


"Ovos endiabrados" (receita de ovos cozidos e recheados) ou a marca de aspiradores de pó "Dirt Devil" eram proibidas no seu lar da Califórnia, e a menina chegou a acreditar que o grupo de planejamento familiar Planned Parenthood era apenas uma clínica de aborto.


É mais ou menos como qualquer cristão deixar de usar o diabo verde ( desentupidor de pias e ralos, um dos melhores que existem) só por que tem diabo no nome.


E pra Katy ouvir música que “não fosse de igreja” era um sacrifício:


Seus amigos lhe passavam cds escondidos, e ela tinha que escutar tudo sozinha e escondida.


"Eu não tive infância. Vim de uma família muito intolerante, mas sou tolerante", disse ela.


Katy é um retrato do que acontece no mundo, com filhos de pastores ou pessoas religiosas altamente legalistas:

Acham que tudo o que não vem “da igreja”, é do diabo.


Assim, não assistem programas que não sejam evangélicos (ou católicos);


Não escutam rádios que não sejam “cristãs”,e só adquirem cds e dvds desses “artistas”;


Usam, de preferência, roupas de griffe cristã;

Os adesivos de carro são apenas de dizeres bíblicos, ou de Maria com um terço;


As revistas, jornais, tudo enfim, só podem ser “do ramo”.


Tem até uma denominação de Igreja aqui no Rio que os membros só podem tomar o Guaraná Jesus (um refrigerante sabor tutti- frutti originário do Maranhão, provei e gostei):


Pois segundo eles, a Coca- Cola é do diabo.


O mundo gospel gera essas loucuras, promove medo, e o resultado da repressão, é que várias gerações ao longo dos anos cresceram sem ter infância.


Isso, pra quem veio de igreja desde muito cedo...


Pois os que entram agora, e aceitam essa ideologia doentia, deixam de viver de imediato:


Deixam de viver a liberdade em Cristo que o evangelho oferece.


Pois este diz que “todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém” ( I Corintios 6.12), ou seja:


Precisamos aprender a ter bom senso, segundo nossas próprias escolhas- e não a de outros que venham a dizer o que “pode ou não pode” , como é feito de maneira geral nas Igrejas.


Katy, eu, e talvez você, fomos vítimas de ensinamentos religiosos repressores.


Quantos mais ainda serão vítimas deles?


Lee