sexta-feira, 27 de maio de 2011

Sobre Kits Gay e Pastores Bisbilhoteiros

Evangélicos e Católicos Pressionam Dilma

Dois acontecimentos, um de nível nacional, e outro de nível local, no qual estava presente, me chamaram a atenção nas duas últimas semanas.


Vou começar pelo local.


Estava eu em determinada igreja, quando um pastor convidado disse que fica vendo as fotos do Facebook dos membros da igreja dele, e “via cada coisa”, nos dizeres dele.

Isso servia de ilustração para dizer como aquilo que ele vê – segundo ele – estava distante de coisas de “bons valores”, bla bla blá, etc.

Pensei cá comigo: “ainda bem que, apesar de conhecê-lo (e desde adolescente) nunca quis adicioná-lo".


É verdade:


Eu tomo o maior cuidado com os Pastores que eu adiciono - a maioria deles, infelizmente, não tem a cabeça no evangelho, mas sim na religiosidade farisaica.

Conheço um monte que, tais como os fariseus, “coam mosquitos, mas engolem camelos” ;


E “Poem um fardo tão grande ao povo, mas que nem eles mesmos aguentam”, conforme disse Jesus.


Tenho uns três no meu Facebook, e que não são iguais o nobre colega das linhas acima.


Pedro é bem claro com relação a isso:


"Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto;


Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho". (I Pedro 5. 2,3)


Acho que se meu colega tivesse a oportunidade de ver minhas fotos no show do Paul, e fosse da igreja dele, poderia ser excomungado...


Todos deveriam apascentar o rebanho apenas pregando o Evangelho – sem domínio de querer saber o que faz, aonde vai, com quem anda;


De dizer o que pode ou não pode fazer,aonde deve ou não ir;


O que vestir, com quem se casar (!), e o que assistir (fui numa igreja em que a mensagem do pastor foi contra o filme Avatar), seria tudo mais simples, mais fácil, mais fluente.


Essa mesma turma se manifestou num dos acontecimentos que citei, esse conhecido por todos.


Digo a mesma turma, pois na bancada evangélica e católica, tem alguns pastores.


Foi a bancada evangélica/católica, que pediu pra Dilma segurar o chamado Kit Gay:


Em troca, abafariam o caso Palocci, o ministro que enriqueceu rapidamente antes de voltar ao governo, dessa vez no Governo Dilma.


Vi o vídeo do tal Kit, e realmente, precisava de correções:


Em vez de alertar contra a homofobia, acabava estimulando a homossexualidade.


Mas para isso, uma vez mais venderam a alma ao diabo da vez, o Palocci.


Em vez de pregarem o evangelho, “coaram um mosquito,mas engoliram um camelo”.


Sim, pois nesse caso a questão da homossexualidade foi um mosquitinho...


Pois na Bíblia de todos eles, desde o Gênesis tem referência a essa questão:


E antes que se deitassem, cercaram a casa, os homens daquela cidade, os homens de Sodoma, desde o moço até ao velho; todo o povo de todos os bairros.


E chamaram a Ló, e disseram-lhe: Onde estão os homens que a ti vieram nesta noite? Traze-os fora a nós, para que os conheçamos". (Gênesis 19.4,5)


Muitos autores são unânimes em afirmar que se tratava dos gays de Sodoma que se encantaram com os dois anjos que, em forma humana, foram visitar Ló.


E olha que tinha desde moço, até garoto -Sodoma mandava ver.


Ou seja, tem gay desde o Gênesis, desde a Grécia antiga, da Roma antiga...


Muita gente não segue os preceitos bíblicos, e o estado é laico – ainda bem.


Por isso, não se pode excluir quem não segue esse ou outro tipo de ensinamento.


Assim como Jesus olhou para prostitutas e ladrões, devemos olhar com compaixão para todos, inclusive os gays:


Você pode até discordar da maneira como vivem, mas nunca discriminar.


Vejo absurdos cometidos pelos dois lados – pouca gente fala disso...


O lado religioso anda fazendo disso uma verdadeira guerra, no caso, contra tudo aquilo que é homossexual.


Mas não vejo bancada evangélica fazendo nada contra corrupção – pelo contrário, como disse, aliviaram o Palocci em troca de um kit - por mais equivocado que este kit fosse, foi o que aconteceu;


Não vi bancada evangélica e católica se manifestando contra código florestal, quanto ao assassinato de mais um casal defensor da natureza, quanto as questões da terra;


Quanto aos impostos absurdos que são pagos (só na garrafa de água, se paga 40% de imposto);


E tantas outras questões...a maioria, só fica de olho em algum cargo do governo, nem que seja em escalões mais baixos.


E ficam atrás do Bolsonaro em brigas, colocando ele de frente na questão.


Quanto ao lado dos gays, o deputado big brother Jean Willis assumiu a causa, como se ele tivesse sido eleito pelo povo do Rio á fim de só defender causas gays...

E quanto aos outros assuntos de acontecimento nacional, que a tal bancada evangélica/católica se omite?


Ninguém deles - dos dois lados -percebeu o que o Supremo Tribunal fez:


Não deveria partir do legislativo tal assunto (união civil) como foi na Argentina?


Mas não, assuntos desse como outros ficam muitos anos transitando de mesa em mesa.


Quer dizer, duas pessoas viveram a vida inteira juntas – se concordo com isso ou não, é outra questão – e quando morre, vem a família, que o baniu de seu convívio, que o desprezou e o rejeitou, e toma os bens? Isso não é justiça.


Agora – Em minha opinião – se casar em igreja, jogando arroz no final, é, como se diz no popular, uma tremenda “viadagem”.


Faltou bom senso nos dois lados, e o que temos visto é uma guerra pública.


Igreja é para pregar o evangelho, e se tão somente fizesse isso, tocaria nos corações de heteros, gays, lésbicas, travestis, prostitutas, e bandidos.


Era o que Jesus fazia...


A decisão, era de cada um, e Ele continuava amando mesmo a quem não o seguia.


Da mesma forma que ser gay ou não, é uma questão de escolha de cada um, não pode ser imposta, nem levantada como bandeira, uma causa.


Lee