sábado, 25 de fevereiro de 2012

Quando a doença nos faz mudar de Vida



Esse aí em cima é o Ed Dobson.

Ele era um Pastor muito famoso no fim dos anos 80, e início dos anos 90:

Escreveu cerca de 12 livros, creio que eu li um deles, mas não consigo me recordar do título.

Dobson chegou a ser eleito " O Pastor do Ano de 1993", prêmio dado pelo Instituto Bíblico Moody (sim, sei que é um absurdo dar "prêmio de melhor Pastor", mas americanos não vivem sem um concurso pra dar prêmio aos outros).

Sua influência foi grande entre a liderança Cristã de sua época, ele chegou inclusive a ter influência na administração do presidente Ronald Reagan (1980- 1988).

E era Pastor de um "Igrejão" :

Cerca de 5 mil pessoas lotavam sua Igreja, para ouví-lo, aos domingos.

Homem de sucesso em sua área, autor de livros, ouvido por Presidente do País...

Até que uma doença mudou completamente a vida de Dobson.

Ele foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica,também conhecida como doença de Lou Gehrig.

Ao ser diagnosticado, em 2001, os médicos deram-lhe de 3 a 5 anos de vida.

Ele vem ultrapassando as expectativas, mas a voz já deteriorada pouco lembra seus dias de pregador...teve de se aposentar em 2006.

O "Pastor do ano" viu as multidões se afastarem...

Mas isso teve um efeito positivo, por mostrar a realidade dele e de vários pastores ao redor do mundo, quando se sobrecarregam com o ministério...veja o que ele disse:

"Eu pensei que se eu soubesse que ia morrer, teria realmente lido a Bíblia e teria realmente orado como se deve”, explica.

”Mas durante anos o oposto era verdade. Eu mal tinha tempo de ler a Bíblia e tinha grande dificuldade de orar. Você fica tão sobrecarregado com outros compromissos que perde a perspectiva correta”.

Conheço amigos Pastores que estão desesperados nesse sábado á noite, sem saber o que vão falar amanhã á igreja deles.

E há alguns anos atrás, a mulher de um Pastor amigo confessou que não entendia como o marido só ia fazer um "rabisco no papel" para falar no dia seguinte á igreja deles, somente após o filme da noite na Globo.

O outro lado também ocorre:

Pastores que fazem uma série de esboços para pregar, como se fosse um "pacotão de pregação"...

Conheci um que no início do ano, fazia um pacote de esboços para os 3 próximos meses, e se orgulhava daquilo...

Enquanto eu pensava: E o Espírito Santo? E a inspiração para falar em determinadas situações? Era ele que pregava, ou Deus através dele?

Muitas vezes, em minha experência, na época que eu pregava, na sexta-feira ainda não tinha a menor idéia do que ia falar. Muitas vezes, era espiritualmente surpreendido até na última hora.

Dobson se "sistematizou", e acabou virando peça de engrenagem da grande máquina de funcionamento de cultos, pelo mundo afora.

E quando isso acontece, a pessoa deixa de ser Pastor...

Deixa de ser músico, deixa de ser regente, deixa de ser professor...

Precisou Dobson ficar doente, para sua alma deixar de ser doente:

Sim, pois quando nos sistematizamos nesse louco mundo gospel, seguindo suas próprias regras,ficamos todos doentes da alma.

Dobson reconheceu isso..

E o antes "Pastor das Multidões", aquele a quem sempre tinha uma tirada gospel da cartola, atende uma pessoa de cada vez, em vez das 5 mil, de tempos passados.

Eu não sou mais um pregador”, diz Dobson .

Hoje, diria que eu sou apenas um seguidor de Jesus. E ponto Final”.

E é isso, simplesmente, o que todos devemos ser.

Lee

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Um Pastor " Sem Teto"



No meio do bueiro gospel em que se enfiaram várias megaigrejas americanas, eis que sou positivamente surpreendido ao ler a notícia sobre uma delas:


O Pastor resolveu passar uma semana morando com os "sem teto" de sua cidade.

Eis a notícia:

" O Pastor Thomas Keinath, da megaigreja Calvary Temple, localizada em Wayne, New Jersey, abandonou o púlpito de sua congregação, que reúne mais de 2000 pessoas a cada domingo. A Calvary fica em um bairro rico da cidade e o pastor surpreendeu a todos quando anunciou que passaria a morar nas ruas como um “sem teto”.

Podendo escolher entre tirar uns dias pra ficar com a família ou participar de alguma conferência eclesiástica, ele passou uma semana de suas férias vivendo entre os sem-teto e mendigos de Paterson, cidade vizinha de Wayne.

Durante o dia, ele podia ser visto vagando pela cidade, parecendo apenas mais um homem sem ter para onde ir. À noite, ele se juntava a outros moradores das ruas, fazendo fogo em tonéis para manter-se aquecido enquanto as temperaturas caíam drasticamente.

Várias noites ele dormiu rodeado de lixo sob o viaduto de uma estrada interestadual. Ele passou a escrever “mini-biografias”, das cerca de 50 pessoas que conheceu, para poder lembrar-se delas e de suas histórias de vida.

Por que ele fez tudo isso? Para o Pastor, a explicação é simples: “Eu precisava entender o que eles estavam passando, eu precisava sentir a sua dor. Como eu poderia levar ajuda ou cura para as ruas se eu não sabia quais são as necessidades dessas pessoas?”

"O pastor Keinath passou sete dias e sete noites nas ruas e agora sabe como essas pessoas pensam e a opinião que elas têm sobre as igrejas. Durante essa “semana de férias” em que viveu na rua, teve a oportunidade de pregar e orar pelas pessoas.

Ele calcula que chegou a ter cerca de 75 ouvintes nas reuniões feitas na rua. “Não havia uma pessoa sequer , seja sem teto ou toxicodependente, que abertamente rejeitou a esperança que eu estava tentando oferecer”, disse."

Fiquei pensando: É claro que irão escutá-lo...ele fez igual a Jesus, foi aonde o povo estava.

E era nas ruas, junto a pecadores, prostitutas e publicanos, que Jesus pregava, raras vezes o fez nas Sinagogas - E essa pessoas, as marginalizadas de sua época, os escutou.

Isso é levar o evangelho, é levar a palavra até a alma das pessoas...ou algum sem teto entra numa megaigreja, para ouvir algo?

Bem, agora vão entrar na Igreja do Pr. Thomas. Pois finaliza assim a reportagem da Gospelprime Notícias:

"Desde que voltou ao púlpito da Calvary, as vans da igreja estão buscando e levando os sem-teto que desejam participar dos cultos de domingos.

Mas isso é apenas o começo do que o Pastor está chamando de “solução a longo prazo”, que inclui a construção de um centro patrocinado pela igreja que pretende “abrigar os sem-teto ao mesmo tempo ajudá-los a recuperar-se, inclusive dos vícios em álcool ou drogas”.

Isso sim, é levar o evangelho integralmente. Acho que essas alturas o Pastor nem tá interessado nos comentários de membros que devem estar torcendo o nariz pra isso- toda grande igreja é cheia de gente farisaica, metida a puritano - ele não deve estar nem aí pra isso, a essas alturas:

Pois sabe que agora sim, está cumprindo o chamado de Cristo integralmente, ou seja:

"A toda a criatura".

Lee

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Quando as Baleias vão a Justiça



Nos Estados Unidos, cinco baleias orcas entraram com um processo na Justiça contra o parque aquático Sea World.

Elas alegam que trabalham todos os dias, sem descanso, o que configura escravidão;

Alegam também que seus alojamentos, ou seja, os tanques em que são guardadas, mal tem espaço suficiente para se movimentarem, como na foto acima.

É claro que não foram as baleias que entraram com a ação...

Foi a PETA, uma espécie de sociedade protetora dos animais Internacional.

Mas na verdade, as baleias querem apenas serem baleias:

Nadar pelo oceano, seu habitat natural, e não serem palhaços de circo aquático...

O mesmo vale para os golfinhos desse parque, que são atraídos até a costa japonesa em armadilhas, e os mais bonitos são vendidos para o Seaworld...

Os mais "feinhos", desbotados no brilho ou defeituosos, em vez de devolvidos ao mar, são abatidos a facões e machados...sabia disso?

Um dos documentários candidatos ao Oscar ano passado era sobre essa ilha, nem sei se venceu, eu não quis ver as cenas (tem no Youtube, só teclar 'massacre de golfinhos no Japão').

O mesmo vale para as focas.

Quanto ao Zoológico, depende do mesmo...

É melhor ser sobrevivente de espécie num zoológico de alto nível, que reproduz ao máximo o ambiente natural do animal, com veterinários e comida apropriada, do que ver os animais sendo mortos por caçadores africanos, o que vem reduzindo a população de Felinos e de Símios, ao redor do mundo.

Tudo para ter uma cabeça de Leão pendurada na parede;

Ou um cinzeiro de pata de Gorila, na casa de um aristocrata.

Sem falar no passado recente, onde animais de circo viviam sendo maltratados, mal tinham o que comer, encurralados numa cela, e expostos ao ridículo:

Achavam o máximo um Urso pedalando numa pequena bicicleta...

"O justo tem consideração pela vida dos seus animais, mas as afeições dos ímpios são cruéis". (Provérbios 12:10)

Aqui no Brasil, temos o Projeto Tamar, que já salvou a vida de mais de 25 mil Tartarugas Marinhas...

É proibido comer carne de Tartaruga na costa da Bahia, pois se continuasse no ritmo que estava, não haveria mais Tartarugas no Brasil.

Devemos sempre ajudar os animais, numa época em que temos visto o bicho homem ser cada vez mais cruéis com eles, tanto os animais domésticos, quanto os selvagens.

"Se vires o jumento que é de teu irmão, ou o seu boi, caídos no caminho, não te desviarás deles; sem falta o ajudarás a levantá-los". (Deuteronômio 22:4)

O "amor ao próximo", se estende aos animais - Pouca gente entende isso.

Lee

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Sobre espancar mendigos e violência gratuita



Há 3 dias atrás, 5 jovens de um bairro de classe média alta aqui no Rio, todos estudantes, bem nutridos, de famílias ricas, resolveram espancar um mendigo.

A desculpa foi que o mesmo “estava atrapalhando a conversa deles”.

Um rapaz viu a covardia, tentou intervir, e acabou apanhando mais que o mendigo.

Dois jovens já foram presos, os outros ainda estão foragidos.

O caso mais uma vez chocou a opinião pública...


Porquê essa violência tão banalizada vem acontecendo?

Pqê jovens de classe média alta, que tem tudo na VIDA, perdem tempo praticando maldade?

Os debates psico sociais midíaticos continuarão, tentando obter uma resposta.

Mas me lembrei do capítulo 4 de Provérbios, que ajuda muito no entendimento dessa questão:

"Apegue-se à instrução, não a abandone; guarde-a bem, pois dela depende a sua vida.

Não siga pela vereda dos ímpios nem ande no caminho dos maus.

Evite-o, não passe por ele; afaste-se e não se detenha.

Pois eles não conseguem dormir enquanto não fazem o mal; perdem o sono se não causarem a ruína de alguém.

Pois eles se alimentam de maldade, e se embriagam de violência". (Provérbios 4:13-17)


Na questão social, eles não eram pobres- como se isso justificasse, mas muita gente gosta de alegar- pelo contrário, eles vem de boas condições financeiras, com acesso a cultura,etc;

Na questão da psicologia, eles são rapazes que, a princípio, receberam educação e instrução.

A questão que o autor de Provérbios fala, é que:

Não abandonar a instrução

Dificilmente creio que eles nunca receberam instrução na vida. Receberam dos pais, ainda que os mesmos sejam separados;

Receberam da escola, ainda mais se foram de boas escolas, devido suas condições.

Mas abandonaram as instruções que receberam sobre a vida:

Não a guardaram em seus corações.

Outra coisa que o livro nessa passagem nos ensina é sobre não andar com esse tipo de gente.

Adolescentes e jovens são que nem os Gnus, ou Bisões (espécie de búfalos americanos):

Adoram andar em bando.

E se um deles começa a fazer "bisonhices", outros acham engraçado.

A ponto de um bando atacar um mendigo, já alcoolizados, por este estar atrapalhando a conversa deles.

E o corações de muita gente assim, ultrapassa pontos, e cruza as fronteiras do ser, enquanto não conseguir fazer alguma maldade contra alguém.

Por isso que "perdem o sono se não causarem a ruína de alguém".

A maldade alimenta o ser de quem ultrapassa essa fronteira, e a embriaguez do álcool não surte mais efeito, buscando a embriaguez da maldade, para satisfazer seu desejo.

Evite pessoas assim. Afaste-se delas, pois se não, o final será o mesmo que os deles:

Achar que espancar mendigos, bater em velhinhas, matar cachorrinhos, é uma coisa normal.

Esse grupo, tá sempre chamando os outros a trilhar o caminho deles...

Esse clube, infelizmente, cada dia tem mais sócios.


Lee