domingo, 27 de janeiro de 2013

Santa Maria, 27 de Janeiro de 2013


O Brasil acordou perplexo, e foi ficando triste ao longo do dia.

A tragédia em Santa Maria, onde 233 jovens perderam a vida, pela contagem atual, foi algo que chocou o páis nesse domingo.

Sim, porquê o número de vítimas supera inclusive os de acidente aéreo.

E pelos jovens, pelo fato de serem jovens sim, tentando arrecadar fundos para a formatura de uma série de cursos, aos quais estavam se formando;

E por sem saberem, adentrarem num caminho de morte, sem volta, já que havia tão somente uma única porta para entrar e sair, num local onde haviam mais de mil pessoas.

Já vimos notícias ao longo do dia, e haverá muito mais complemento agora no jornalismo da noite.

Mas escrevo primeiro na tentativa de solidarizar com os familiares das vítimas, do povo do sul que tanto amo;

E também na tentativa de sufocar qualquer fariseu religioso, que já se apresentam na internet condenando os jovens ao inferno,pois como disse um deles, "se estivessem dentro da igreja, estariam salvos".

É gente que segue loucos pastores insensíveis a dor, a tragédia, ao ser humano, que vivem com a cabeça mais no inferno do que no céu.

Alguns desses, sem saber, estão destinados ao local a que tanto se referem.

Sim,me entristece ao ver jovens cada vez mais se entregando as bebidas, as chopadas de faculdade, dividindo a maconha coletivamente em repúblicas.

Mas não foi o caso- o objetivo em Santa Maria era nobre.

E mesmo se não o fosse, não deixaria de ser menos trágico- Isso é que precisamos entender, e não condenar!

O que os jovens não sabem, e só aprenderão quando estes forem pais, é que não há nenhuma mãe que consiga dormir em paz, até que este volte para casa.

Um domingo sombrio, de trevas, cercam os familiares das vítimas hoje...

Que a oração de Maria, que na terra foi mãe de Jesus, ecoe e chegue a terra de Santa Maria, nesse domingo:

" Para iluminar aos que estão assentados em trevas e na sombra da morte; A fim de dirigir os nossos pés pelo caminho da paz. (Lucas 1:79)

Lee, em luto.







quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Hospital de Fariseus




Na madrugada de 15 de dezembro passado, uma mulher de 25 anos é drogada e violentada na região de Colônia (Alemanha). Dois hospitais administrados pela fundação católica Cellites se recusaram a atender a mulher para não ter de recomendar a pílula do dia seguinte, combatida pela Igreja.

Isso demonstra a religião desprovida de amor, de Cristo, de compaixão. É apenas um sistema de cunho religioso, cheio de regrinhas, mas sem o evangelho.

São Fariseus cheios de regras pesadas demais, como disse Jesus, que eles mesmos não seguem.

A Pedofilia é uma praga na igreja católica, em todo mundo;

O Diretor do Banco do Vaticano (Banco Ambrosiano) é demitido por corrupção;

O Mordomo do Papa foi preso por fraude;

Mas não podem receber no hospital uma mulher estuprada, pra não quebrar a regrinha deles!

E você evangélico, não balance a cabeça, concordando, ainda não:

Em nossas igrejas, preferimos ver alguém pegar AIDS, do que recomendar o uso de camisinha.

Não ouço debates em rádios evangélicas, aliás, não ouço essas rádios, acabou a minha paciência pra isso - Muito comércio de músicas, produtos, idéias distorcidas do evangelho.

Mas certo dia , na casa de minha mãe- ela escuta esses debates - um Pastor Batista, que também é psicólogo, foi defenestrado por seus colegas por fazer trabalho nas comunidades carentes, e recomendar o uso do preservativo.

E filhas de pastor engravidam, bem como alguns filhos de pastor engravidam as namoradinhas de igreja.

E esta, a começar do líder, preferem expulsar os próprios filhos para "servirem de exemplo", e não perder a bocada.

Até quando iremos viver no faz de conta, negando a pílula de dia seguinte- e olha que foi em caso de estupro - e os métodos contraceptivos ocasionais, juntamente com as orientações que devem ser prestadas aos nossos jovens?

E até quando iremos rejeitá-los em casos assim, dando apenas o tradicional "pé na bunda" da religião, a quem não se encaixa no pacote desta??

Porquê a igreja, assim como o hospital, foi feita para receber os feridos.

E não para se livrar deles.

"Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los" (Mateus 23:4)

Lee

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Com que Roupa eu vou pro culto que vc me Convidou?


Tava lendo sobre o Pastor da Lagoinha que chamava a atenção sobre as calças apertadas que os jovens rapazes vão para a Igreja.

Taí, enfim uma boa notícia vinda de lá:

Por anos a fio (já que estamos tratando de roupas) sempre implicaram com a roupa feminina - a mulher sempre pagava o Pato.

Mas nesses tempos modernos, de Metrossexuais - algo ali situado na fronteira do "Homo", o mapa também é indefinido - A rapaziada tá indo com umas calças bem estranhas.

Algumas calças jeans masculinas parecem até aqueles "colants" de super Herói.

E a moda agora também é mostrar a marca da cueca - nem Calvin Klein na época do " De Volta Para o Futuro" (Filme de 1985, que volta em 1955 - quem viu a cena da cueca, sabe de que estou falando) , poderia imaginar isso em nossos tempos.

Sem falar que também vejo alguns rapazes com o 'cofrinho' de fora- Uma outra "variação" desse estilo.

Já disse, a mulher sempre pagou o pato - tanto na sociedade, quanto dentro da Igreja.

Aí em vez de orientarem, aconselharem, segundo o espírito do Novo Testamento, segundo o espírito do Evangelho, fazem em determinada igreja da baixada fluminense, aqui no Rio, as irmãzinhas se vestirem com uma espécie de versão tropical light da Burka, como visto na foto aí em cima.

Teclo hoje numa lan do shopping.Quando ia lanchar, vi uma irmãzinha dessa igreja, com a toga dessa vez de cor roxa, de mãos dadas com que pareceu o marido, fazendo compras.

Algumas coisas, chocam tanto por um extremo, tanto quanto o outro.

Eu não estou na Síria, no Irã, ou no Iêmen.

O tempo anda muito abafado aqui no Rio, até que hoje deu uma chuvinha.

O Apóstolo Pedro fala que existe um traje incorruptível:

Só que este não é feito de linho, de algodão, de pano nenhum.

Ele é composto por um espírito manso e quieto, que é precioso aos olhos de Deus.

Quem tem esse espírito, sempre vai saber como se vestir - Não vai pagar mico como Messi, com aquele terno de bolinhas,ao receber um prêmio da Fifa.

Veja o que Pedro falou as mulheres, mas que serve também para nós homens, com nossas camisas, cordões, e qualquer "tira onda" com objetivo de demonstrar status:

"O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos;

Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. (1 Pedro 3:3-4)



Lee


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Uma Igreja " Globalizada"


Estava lendo a notícia da Gospelprime, site sobre notícias cristãs, e me deparei com mais uma notícia que faz com que entendamos como anda a igreja brasileira dos dias de hoje.

Eis a notícia:

"A aproximação da Rede Globo com os evangélicos continua rendendo. Depois de contratar vários artistas gospel para sua gravadora, Som Livre, e exibir o Festival Promessas, o próximo passo deve ser uma “heroína evangélica” em uma de suas produções(novela).

Amauri Soares, o coordenador dos projetos especiais da Globo, irá almoçar com o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo. A conversa deve ser sobre os “interesses comuns” entre emissora e evangélicos, afirma a Folha de São Paulo.

Além disso, Soares deverá ter uma reunião ainda este mês com o bispo Robson Rodovalho, da igreja Sara Nossa Terra.

Esses encontros com os líderes evangélicos são um desdobramento da reunião em 12 de novembro passado, quando 17 pastores estiveram no Projac, os estúdios da Globo no Rio.

Embora muito criticada por segmentos da igreja, essa reunião teve como pauta “apoio e cobertura” para eventos como Marcha para Jesus, Dia do Evangélico e Dia da Bíblia".


Malafaia vem se gabando de ser "o pastor com o maior acesso a rede Globo", logo ele, que anos atrás, cansava de malhar a mesma em seus programas.

Eu fico pensando na necessidade cada vez maior que essas igrejas tem de querer aparecer na Globo:

É como se só fossemos igreja, se aparecermos na Globo.

Começando com os cantores, que fazem agora no Faustão e no Caldeirão, o momento de louvor que antes faziam na Igreja - O fazem no palco ao lado de dançarinas que, num espetáculo bisonho, ainda tentam fazer as coreografias da música cantada;

O antigo Cassino do Chacrinha, pelo menos ainda era mais autêntico na sua forma circense.

Pois desde Aline Barros, até o Diante do trono, agora são da Som Livre, tentáculo musical da Globo.

E agora Malafaia e sua turma pedem heroína gospel na novela...pelo amor de Deus.

Jesus nunca foi pedir para ninguém em sua época, apoio midático, ou político, para o evangelho.

Ele pregava tanto para Nicodemos, Mestre da Lei, como para "publicanos e pecadores", segundo os olhos do povo.

Cada vez mais que vejo essas notícias, o que mais me espanta são as pessoas da igreja achando isso "o máximo", uma grande conquista".

Ora, a Globo só faz isso por dinheiro, pois sabe que desde a venda de cds, shows , marchas disso e aquilo, é lucro certo, pela massa de participantes.

Não existe nada de divino, puro, abençoado nisso - É tudo negócio, e de altas cifras.

O mesmo ela fez com os Padres cantores.

Jesus falou bem claro sobre essa mania de grandeza, de querer um certificado de legitimidade social, um reconhecimento dos homens, em Mateus 20, 26 a 28:

"Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal;

E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;

Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos".


É dessa legitimidade que precisamos - e não a "Global".

Lee

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Quando o Tsunami Vier


Fui ver " O Impossível" com a Naomi Watts e Ewan McGregor.

Belo filme, que conta a história de uma família que passava o Natal na Tailândia em 2004, num resort, até que veio um Tsunami.

O contraste com a tranquilidade pré desastre, com tudo arrasado depois, com pilhas de corpos, e feridos no hospital, é gritante.

Na vida, também é assim:

Agora mesmo, com as enchentes na Baixada Fluminense, aqui no Rio, onde já existem vários desabrigados, comprova isso.

Quem poderia imaginar, após dias de calor intenso, que tanto na baixada, como em Angra dos Reis, isso poderia ocorrer?

Tragédias como as do filme, podem acontecer em dias festivos - como foi naquela ocasião;

No início do ano, quando justamente temos a expectativa de dias melhores;

Em qualquer tempo.

Somos surpreendidos por algo arrasador, não esperado, que pode vir tanto pela natureza, como por uma batida de carro.

Nessa terrível surpresa - a gente sempre tem essa palavra somente como algo agradável- só nos resta duas alternativas:

Ou ficamos lamentando eternamente a desgraça ocorrida, deixando de viver;

Ou deixamos Deus amparar nossa alma, ajudando a sarar as feridas.

Sei disso, pois vi meu pai sair são e forte para o trabalho num dia, num navio da Marinha Mercante, e voltar dias depois dentro de um caixão, com o rosto todo amassado- O legista teve um trabalhão pra remendar.

Tinha 16 anos, e nunca fiquei questionando ou botando a culpa em Deus nisso:

Intuitivamente, descobrira ali que essas agruras fazem parte da vida, enquanto nós estivermos nessa terra.

Faça de Deus o seu amparo, quando o Tsunami vier:

"Surpreenderam-me no dia da minha calamidade; mas o SENHOR foi o meu amparo.(Salmos 18:18)

Lee


Vivemos esperando dias melhores: http://youtu.be/_BV9DQ6eUGs