terça-feira, 29 de abril de 2014

O Bernardinho que todo mundo vê na Quadra, e o Bernardinho que Eu Vi - O que Aprendi com Ele



Após 4 meses de ausência, volto ao blog.

O período corresponde ao período que eu passei junto á Unilever, único time de Vôlei profissional aqui do Rio.

O final da história, dessa temporada 2013/2014, terminou com nosso título.

Mas passar a temporada junto a um dos ícones de nosso esporte - Um dos melhores treinadores de equipes, seja de que esporte for - Foi uma experiência gratificante.

Sim, pois Bernardinho poderia dirigir tranquilamente um time de futebol, que esse time seria vitorioso.

Pude aprender e ver o comportamento dele na quadra, e fora dela, nos desafios que foram surgindo ao longo desse ano.

Convivi com ele quase todos os dias, inclusive aos domingos, em dois períodos, manhã e tarde:

No esporte, não existe feriado, fim de semana etc - Treinamos no carnaval, e inclusive na sexta feira santa, bem como no sábado, só folgando no domingo de páscoa.

Bernardinho dá palestras para executivos de todo Brasil, e estima-se que as mesmas não saiam por menos de 50 mil reais;

Já deu palestra lá mesmo na Urca, no quartel de Educação Física aonde treinamos, na Escola Superior de Guerra, para os Generais do Exército Brasileiro.

Mas o que pude aprender "in loco', com ele? Quatro coisas, correspondente a uma para cada mês, a partir do dia em que cheguei...vou listá-las abaixo:

1 - Mantenha o Foco naquilo que está fazendo, ainda que esteja fazendo várias coisas ao mesmo tempo

Treinador da Seleção Masculina, e do Time da Unilever, ele também grava comerciais pra TV.

Mas ele consegue levar isso na boa...o que quase tirou Bernardinho do foco, foi um convite para se candidatar ao Governo do Rio, por um partido ao qual ele é filiado.

Por aqui no Rio, os candidatos as próximas eleições são terríveis, tipo o diabo concorrendo com o cramuião, com o capeta correndo por fora.

Deu pra perceber que o convite mexeu com ele, que tinha que dar uma resposta até o prazo legal de encerramento do TRE...Bernardinho é apaixonado pelo Rio, e tem o carinho do povo por aqui.

A família foi contra. E tem Olimpíada por aqui, daqui há dois anos(seleção).

Ele preferiu manter o foco no trabalho dele,e após essa decisão de não participar, parece que ele ficou até mais leve.

2- Tenha Resiliência quando o Furacão de problemas passar por sua vida

Na área da psicologia, a resiliência é a capacidade de uma pessoa lidar com seus próprios problemas, vencer obstáculos, e não ceder à pressão, seja qual for a situação.

Na reta final da Superliga, surgiu o "Dossiê do Vôlei", onde um repórter da ESPN revelou supostas irregularidades, inclusive desvios de verbas que o Banco do Brasil destina a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei).

Isso resultou num pedido de demissão do Presidente da entidade - Acontece que o referido Presidente e Bernardinho, dizem, nunca se 'bicaram', só se toleravam.

Bernardinho foi acusado de vazar o tal dossiê para Imprensa.

Isso o deixou sem dormir por 2 dias - Lembro quando foi para um treino de segunda com a cara inchada de tanto chorar, e de sono, e que teve que molhar o rosto e a cabeça pra ficar acordado.

Foram dias tensos, em que todo um trabalho poderia ser jogado fora, caso ele explodisse - O que seria normal diante da grave circunstância daqueles dias.

Mas quer saber? Ele nunca "descontou" em nenhuma atleta, nem em ninguém do Staff, nos treinamentos, durante os dias seguintes aquele escândalo.

Segurou a onda. Serviu de escudo pra não abalar o time - Naqueles dias, iam repórter aos montes por lá, não pra cobrir o time, mas pra saber a opinião dele sobre o caso.

Creio que foi o momento mais difícil que atravessou na competição. Mas ele soube controlar os nervos, e teve muita sabedoria nas respostas, mesmo em perguntas difíceis.

3 - Mantenha a Humildade, sempre

Eu NUNCA vi Bernardinho se negar a tirar uma foto, com quem quer que seja.

Ás vezes, até durante o intervalo pras meninas beberem água, no treino, ele atendia fãs.

Certa vez, no quartel da Urca, vários Sargentos vindos de todo Brasil foram fazer um curso lá na Escola de Educação Física do Exército.

Ele ficou cerca 15 minutos só tirando foto com os rapazes - Mais de 50 deles.

Hoje, vejo jogadores de futebol saindo rápido sem falar até mesmo com crianças, nos treinos, e por onde passam...

Vários deles se utilizam do celular, fingindo que estão falando, para não dar entrevistas, inclusive, com os repórteres que estão ali fazendo seu trabalho...

Bernardinho nunca deixou de atender a imprensa, mesmo após os treinos, quando eles iam fazer a cobertura.

Vi vários takes na Urca, ou mesmo no Maracanãzinho, onde já não havia ninguém da equipe por lá, todos tinham ido embora, no Sportv. Atendia a todos.

Vi ele dando atenção aos idosos que apareciam para ver o treino, bem como crianças e adolescentes.

No último treino do Maracanãzinho,no sábado antes da final,apresentou a equipe, após o treino, um jovem rapaz que acabara de passar no vestibular de Educação Física.

O rapaz não tinha os dois braços...fez a prova com os pés.

Enquanto isso, tem alguns técnicos babacas lá mesmo na Superliga, que se acham estrelas (e isso se reflete em suas jogadoras, que jogam de salto alto), que não cumprimentavam ninguém, fosse da imprensa, funcionários do ginásio,ou de nosso time - Vi isso quando tive o desprazer de passar ao lado de alguns deles.

4- Líder também pega na massa

Nunca vou me esquecer, já classificados para a final, o dia em que Osasco e SESI, num sábado, disputavam o segundo jogo, pra ver quem ia fazer a final com a gente.

Antes do treino daquele dia, descobrimos que a quadra estava...escorregadia.

Não sei se pela maresia da Urca ficou assim , enfim, começamos a passar rodo com pano molhado, mas não haviam rodos suficiente...começamos a pegar toalhas, uma turma com elas molhadas, outra turma secando...

É quando vejo Bernardinho indo de um lado ao outro da quadra, com os pés em cima da toalha molhada:

" Ely, seca aqui por favor"... Nem pensei duas vezes.

Ele não precisava fazer isso- Havia um staff todo já em ação.

Ali, tive a certeza de que venceríamos o campeonato.

Uma cena marcante, foi quando entrou uma borboleta azul (a cor do time), no ginásio.

Eu não me lembro de ter visto uma borboleta azul antes...

Ele falou que era " a nossa borboleta"...a mesma 'sobrevoou' o treino.

Bernardinho é dono de restaurante, de curso de inglês, e sócio de uma grande rede de academias no Brasil...

Mas não hesitou em secar a quadra com uma tolha aos pés.

E várias vezes, ia pra casa após o treino da tarde, que ia até ás sete da noite, de bicicleta comum, com capacete na cabeça:

" Boa noite, Ely", cansei de receber, quando ia andando para sair do quartel.


Lee