quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Estúpido Cupido


O Cupido mais estúpido é aquele que insiste em empurrar um para o outro – Sem necessariamente perceber se os envolvidos tem algo a ver, um com o outro.

Sim, ele somente empurra um para o outro para apenas parecer Cupido, para parecer bonzinho, para aparecer para os outros, dizendo depois:
“ Fui eu quem os apresentei”, ou “ Fui eu quem os uniu”.

Estúpidos Cupidos estão presentes em igrejas, no trabalho, nos condomínios, nos clubes, nas festas, nas escolas, nas faculdades, no bar, nas boates, nas viagens, sejam essas a lazer, ou a trabalho;

No Carnaval, no acampamento, no retiro espiritual, na praia, no campo, na fazenda.

Estúpidos Cupidos tem plantão até mesmo no Natal, e na virada do ano;

Tem Estúpido Cupido até mesmo nas cadeias, no horário das visitas, quando um preso apresenta uma irmã, uma prima, ás vezes até uma mãe, para outro colega:

É assim que muitos presos conseguem namoradas “sofredoras”.

Ao longo dos anos, tenho vistos diversos casos de uniões promovidas por Estúpidos Cupidos, que parecem uma bomba programada para explodir...e explodem.

Algumas, já explodiram há muito tempo, e ele ou ela empurram com a barriga, por motivos tais como: Filhos, falta de grana para se separar, vergonha em reconhecer que o relacionamento não está dando certo, ameaça de companheiro, etc.

O Mito do Cupido vem da antiga Grécia.

Mas amor,não é mito, é sentimento...você sente.

E flechas, costumam ferir.

Sinta por conta própria - Não deixe que os outros coloquem sentimentos e expectativas em você.

Veja se seus gostos, sonhos, modo e pensamento de vida, se ajustam com a outra pessoa:

Posso te assegurar que dificilmente ela vai mudar mais do que 10% de atualmente.

Anos atrás, havia uma senhora aqui no prédio, que era nadadora a nível Olímpico...

Nadava por um clube aqui no Rio.

Foi chamada para a Seleção Brasileira de Natação, e por lá andou treinando:

Foi convidada para ser a representante do Brasil na Olimpíada (não me lembro se em 1960, em Roma, ou na de 1964, em Tokyo).

O marido, machista, militar das antigas, não deixou ela ir...ficamos sem representante feminina.

Viveu o restante de sua vida como uma dona de casa, sempre com um olhar triste...eu fui amigo do filho dela.

“Meu tempo no treinamento foi um segundo atrás da terceira colocada”, me disse ela, “Se tivesse lá, aquela medalha poderia ter sido minha”.

Não seja Estúpido...pare de brincar de Cupido.

Lee