quinta-feira, 1 de junho de 2017

A Difícil Arte de Assistir os Programas Matinais da TV Brasileira



Assistir programa matinal nos canais abertos, no Brasil,é para os fortes.

Sim, ás vezes você se depara até com algo interessante, geralmente com algum entrevistado de área médica, ou de esporte, etc.

Em geral, só muda os apresentadores e o formato do programa:

Se o apresentador está em pé, sentado, cenário maior ou compacto, com ou sem platéia, etc.

Mas esses programas passam por um trio básico que se consiste em:Comida, entrevista, e música.

Ah, claro, muita propaganda dos produtos, que podem estar na mesa (uma margarina, por exemplo), ou mesmo exposta numa telinha ao fundo.

Na TV Brasileira pela manhã, fica combinado de que o programa é para mulher, dona de casa, e que não sai de casa até o meio dia.

Na TV Brasileira pela manhã, se esqueceram da emancipação da mulher, de que ela vota, que é executiva, atleta, professora, etc.

Sim, de vez em quando se lembram disso, mas parece estar na raiz da alma dos programas matinais, pois em sua essência, quando foram criados, era para a dona de casa ter o que assistir, enquanto estavam em casa e os filhos na escola, e o maridão, trabalhando pra "bancar a casa".

Foi assim desde o início, nos States, e aqui.

Vejo esses programas quando tomo café na padaria ( eu não tomo café em casa), ou quando estou num consultório da vida.

Foi assim que vi Thaís Araújo se recusando a comer abóbora no programa da Ana Maria;

E que vi um tal de "Luan estilizado" (é sempre um Luan pior do que o outro, aparecendo), no Programa da Fátima Bernardes.

Esse último, já perto da hora do almoço, me causando desespero, não sabendo se engolia a comida rápido, ou se largava os talheres pra tapar os ouvidos.

Tu ri? Veja a letra de "Pindaíba", a "música" da referida figura:

Chegou sem avisar

Entrou sem bater
Me fez acreditar que eu era tudo pra você
Levou as suas coisas lá pra casa
Quando vi não era dono mais de nada
Nem do meu coração

Nem se importou com o tamanho do estrago
Só esperou vir a união estável
Pra me mandar a intimação

Me deixou na pindaíba só bebendo pinga
Ouvindo uns modão que não alisa o coração
E a sentença mais sofrida
Seu juiz é que ainda amo essa bandida

Sim, tem atrações musicais que são boas...mas são raras, pois o que dá audiência, e TV vive disso, são essas porcarias que o povo gosta, como funk, pagode, etc.

"Mas o que é que você sugere então", poderia você dizer.

Um programa para mulher no estilo que a Marília Gabriela fazia no antigo "TV Mulher".

Aquilo sim, era programa para mulher, decente.

Mas o desserviço de imbencilizar o povo, em especial a mulher, talvez seja mais fácil..."vou dar o povo o que eles gostam".

Outro: Um pedaço do Fantástico poderia ser durante essas manhãs (falando em especial da Globo, que "rouba" as apresentadoras dos outros canais ( Ana Maria, Mariana Ferrão, os repórteres que eram do CQC, etc, e jogam tudo em suas manhãs).

Sim, o Fantástico é o "Show da Vida", tem muita farofa.

Mas bota parte desse Show pela manhã...as reportagens investigativas, e as de cinema, são muito boas.

E voltem com os desenhos, agora chamados de "cartoons".

Acabaram a TV Globinho.

Jogaram tudo na TV a cabo, nos canais de desenhos.

A antiga TV Manchete (atual Rede TV) formou gerações inteiras de seguidores dos animes e seriados japoneses.

Iria melhorar consideravelmente a qualidade da programação matinal.

Lee